Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

traindo meu esposo

  • Enviado: 17 de agosto de 2009 17:53

Corpo do conto

Meu nome é Juliana, tenho 33 anos e sou casada há mais de 10 anos. Não temos filhos. Não sou uma mulher muito bonita, mas devo ter meu charme, porque vejo os homens me olharem com desejos.

Eu e meu marido freqüentamos uma igreja evangélica aqui no bairro e ele foi meu primeiro homem.Nossa vida sexual sempre foi conservadora, mas fazemos sexo com alguma freqüência.

Uma amiga foi quem me mostrou esse site de contos eróticos. No inicio não quis ler os contos, mas depois, com a curiosidade feminina falando mais alto, acabei lendo alguns contos e por causa disso tomei coragem de relatar minha experiência para vcs.

Não sei se eu devia estar fazendo isso, mas acho que vou me sentir melhor dividindo com vcs a minha culpa.

No mês passado meu marido convidou o Luiz , um amigo dele do interior, para ele usar nossa casa aqui em S.Paulo, enquanto ele estivesse por aqui fazendo alguns negócios.

Ele iria ficar apenas 3 ou 4 dias e meu marido gentilmente disse que ele poderia usar nosso quarto de hospedes, para ele poder economizar com hotel e refeições. E ele topou.

O Luiz é um homem casado de seus 30 e poucos anos e muito bem apessoado.

Ele chegou à noite numa terça e na quarta pela manhã eu e meu marido saímos cedo e o Luiz já tinha saído também.

Voltei pra casa por volta das 4 da tarde e quando cheguei na cozinha, ouvi um barulho estranho na área de serviço mas logo me lembrei que era dia da empregada vir e fiquei mais sossegada.

A Yara, nossa empregada, é uma moça de 29 anos, solteira e bonitinha.Como o barulho não passava, resolvi dar uma olhada no quarto de passar roupa e tive um choque quando cheguei lá. Tive que me esconder rapidinho.

A Yara estava apoiada na tábua de passar roupa, com a saia levantada, a bunda jogada pra tras e a calcinha no meio das pernas, e o Luiz metendo nela por trás.

Fiquei sem saber o que fazer. Minhas pernas amoleceram e minha vagina se contraiu na hora. Não conseguia tirar os olhos da cena. A Yara gemia muito e o Gustavo segurava seu quadril e metia forte seu pinto nela.

Aquilo me deu um misto de tesão e medo. Mas o fato é que eu fiquei ali assistindo tudo até o Gustavo tirar o pinto de dentro dela todo melado meio mole. Mas muito grande mesmo mole.

Corri para meu quarto e tranquei a porta. Entrei debaixo do chuveiro e deixei a água fria cair sobre mim para ver se me acalmava do tesão.

Mas não conseguia tirar aquela imagem da minha cabeça. Minha vagina continuava se contraindo e eu então comecei a passar a mão nela e apertar minhas coxas uma contra a outra.Um calor começou a tomar conta do meu corpo , apesar da água fria que caía.

Não resisti e fiz uma coisa que nunca tinha feito. Enfiei meu dedo na minha xaninha .

Entrou fácil porque ela estava super molhada. Comecei então a enfiar e a tirar meu dedo de dentro dela e mexer no meu clitóris. Minhas pernas estavam bambas. Minha respiração ofegante e a com a outra mão, quase que inconscientemente, comecei a apertar meus seios.

O calor foi aumentando, minhas pernas cada vez mais moles até que minha visão escureceu e eu senti um prazer que nunca tinha sentido antes. Acho que pela primeira vez tive realmente um orgasmo. Precisei me sentar no chão até que os espasmos passassem totalmente e eu me recuperasse da situação.

Me vesti e quando cheguei na sala e vi o Luiz tomei um susto que ele até estranhou. Devo ter ficado branca porque ele me perguntou se eu tinha visto um fantasma.

Naquela noite não conseguia evitar de olhar para seu sexo. Acho que ele percebeu.

No dia seguinte me levantei e fui lavar as louças do jantar visto que aquele dia não era dia da empregada ir.

Escuto uns passos e era o Luiz com um short e uma camisa de pijama vindo tomar café.

Eu continuei na pia lavando os pratos e ele se aproximou bastante de mim, segurou nos meus dois braços e disse que eu era uma mulher muito bonita e que ele sempre sentiu atração por mim. Eu usava um vestido simples, que eu usava para trabalhar em casa, abotoado na frente.

Fiquei gelada. Um amigo do meu marido, na nossa casa me cantando!!!

Pedi pra ele me soltar e disse que não era nada daquilo e que ele estava enganado. Mas confesso que só dele me elogiar fiquei excitada.

Ele não desistiu. Se aproximou mais ainda de mim e de propósito encostou seu pinto na minha bunda. Tentei me desvinciliar mas ele me segurou forte e falou de novo que sabia que eu tinha visto ele e a empregada no dia anterior.

Fiquei gelada. Fingi que não sabia do ele estava falando mas ele continuou se esfregando em mim e eu já sentia seu membro duro roçando minha bunda.

A sensação era boa, mas eu estava assustada demais.

Ele me ofereceu um pano de prato e pediu pra eu enxugar as mãos e depois de mãos dadas me levou para seu quarto.

Eu obedeci quase que hipnotizada.

Chegando lá ele fechou a porta e perguntou se eu tinha gostado do que eu tinha visto e eu disse que não tinha visto nada, mas ele me desmontou quando mencionou o espelho da porta do armário que estava aberta.

- Eu sei que vc ficou excitada Juliana.- ele disse.

- Vamos parar com isso.eu praticamente implorei pra ele.

Mas ele então levou minha mão para encostar no seu pinto por cima do short do pijama e percebi que o safado estava sem cuecas.

Ele pediu então para eu apertar seu pinto e eu fiz. Estava nessa altura entregue aos caprichos daquele homem.

Ele então desabotou os botões da minha saia na parte que cobria meus seios e como eu estava sem sutien foi fácil ele me tocar.

Quando ele se aproximou para beijar meus seios ele abaixou o short e me deu seu pau de novo.

Minha respiração nessa altura estava toda atrapalhada. Sentia aquele pau grande e duro pulsando em minha mão e sua boca chupando e lambendo meus seios. Estava entregue.

Minhas pernas amoleceram e ele me abraçou, tirou meu vestido gentilmente e me sentou na beirada da cama só de calcinha.Tirou sua roupa e em pé na minha frente segurou seu pau e me ofereceu pedindo pra que eu chupasse.

Nunca tinha chupado o pau do meu marido porqeu ele não deixava, mas eu sentia vontade e ali estava a oportunidade.

Segurei seu pau com uma mão e coloquei o coube na boca e comecei a chupar e a lamber.

- Isso Juliana………chupa gostoso……..isso………me lambe safadinha..

Aquilo me deixava mais excitada ainda. Seu pau ia ficando mais inchado e comprido e pulsava na minha boca.

Eu estava encharcada de tesão. Traindo meu marido em nossa própria casa me deixava uma terrível sensação de culpa, mas eu estava sentindo um prazer inigualável.

De repente ele mandou eu parar e pediu que eu me deitasse ainda com as pernas pra fora da cama.

Se ajoelhou entre minhas pernas, delicadamente tirou minha calcinha e colocou minhas pernas sobre seu ombros, de forma que minha buceta ficou totalmente exposta pra ele.

Ele então começou a me lamber e a chupar meu clitóris e aquilo foi me deixando maluca.

Eu gemia e apertava a colcha que cobria a cama e rebolava quase que inconscientemente e ele enfiava sua língua dentro da minha xaninha e descia até meu cuzinho me levando a loucura. Sentia sua barba roçando minha virilha e sua língua quente explorando cada canto da minha buceta me deixava transtornada de tesão.

Não agüentei muito tempo e gozei como nunca tinha gozado antes. Parecia que estava eletrificada. Um arrepio percorreu meu corpo todo e eu estremeci num gozo longo e delicioso.

Quando me recuperei ele pediu pra me deitar de bruços na cama e eu obedeci.

Ele se ajoelhou atrás de mim, levantou meu quadril pedindo que me ajoelhasse e lentamente me penetrou.

Fui sentindo aquele membro delicioso tomando conta da minha buceta e ele segurando meu quadril enfiando e tirando de dentro dela.

As vezes ele tirava ele todo pra enterrar com força depois.

- Fode Juliana……..mete gostoso……sua buceta é uma delicia…….- Vc é um safado Luiz……….me deixa maluca……….que loucura…….

- Mete putinha……..aproveita que seu corninho esta trabahando…….fode……

- Vc faz o que quer de mim não e Luiz??…………vai me transformar numa putinha não é??Eu falava aquilo e ficava mais excitada ainda.

Estava rebolando no pau dele como uma vadia. Eu parecia outra mulher.

- Mete Luiz……………quero sua porra…………..me dá sua porra……

- Toma putinha………..toma minha porra………………fode safada…….. aaaahahhhh………gostosoooooo……..uuuuuiiiiiiii………..deliciaaaaaaaaaaa……..Isso goza gostoso…………..assim…………goza putinha………

Ele esperou que eu gozasse,me deitou de costas na cama se ajoelhando com uma perna de cada lado do meu corpo e se masturbou até gozar em meu rosto e meus seios. Me lambuzou todinha de porra. Eu estava saciada.

Fiquei viciada naquele homem. Já saímos duas vezes depois daquilo e até minha bundinha ele já comeu. Pior é que meu marido nem desconfia com as freqüentes viagens dele para S.Paulo.

Apesar de me sentir culpada não consigo pensar em parar de dar pra ele, o que eu faço???

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: apaixonante
  • Membro desde: 25 de julho de 2005

Outros contos de autoria deste autor apaixonante

Ultimos contos escritos por apaixonante »

Pesquisa