Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

Enviar Conto

Sexo: eu, minha esposa, meu pai e minha mãe !

  • Enviado: 10 de março de 2009 14:13

Corpo do conto

Tudo começa num dia de verão muito quente quando estávamos na casa de meus pais que moram num sítio.

Como já relatei nos contos anteriores, meu pai já tinha transado bastante com a minha esposa, quando teve que levar minha mãe para ser operada na cidade e ficou hospedado em nossa casa.

Mas, neste dia, aconteceu algo meio diferente e que eu não imaginava, já era umas 20:00 H e meus pais, como moram no sitio, dormem cedo, e já estavam se preparando para dormir.

Como eu e minha esposa não costumamos dormir cedo ficamos acordados assistindo TV, pois iríamos assistir super cine num sábado, mas passaram mais ou menos uns 30 minutos, começamos a ouvir gemidos e imaginamos que fossem meus pais e na verdade eram.

Isso durou uns 20 minutos e cessou. Bom nós ficamos curiosos, mas logo nos entretemos com o começo do filme, assistimos todo o filme, mas o barulho não se repetiu mais, ao terminar o filme fomos nos deitar e meio sonolentos acabamos dormindo rápido.

Altas horas da noite, eu escutei um barulho pela sala, vindo em direção ao quarto e, de repente, vejo que a luz se acendeu. Eu fiz que estivesse dormindo e, de repente, sinto que alguém está do lado da nossa cama e lembrei-me que eu estava nu e com a noite estava quente, eu estava sem coberta.

Mas como gosto de ver como as coisas acontecem continuei fingindo dormir. Foi quando senti uma mão, de leve, tocar meu cacete. Pensei ser minha esposa e imaginei que quem estava ali estaria vendo quando percebo que é uma mão maior que a de minha esposa e abri, assustado, os olhos e vejo minha mãe na minha frente. Nua! E ela, quando me vê acordado, leva um susto e sai meio rápido do quarto.

Fiquei meio sem entender e vi minha esposa dormindo. Ela nem tinha percebido o que tinha acontecido. No dia seguinte, acordo e como de costume fui ao banheiro. As luzes estavam todas apagadas e fui bem devagar para não acordar ninguém. Quando abri a porta do banheiro e vejo minha mãe sentada no sanitário com a mão entre as pernas. Ela, ao ver-me, tenta tampar seu corpo e então eu peço desculpas e nem sei por que eu digo: “A senhora não precisa ficar com vergonha e tampar, pois eu vi a senhora nua em frente minha cama, então eu já vi tudo, não faz mais diferença!”

Minha mãe fica meio sem jeito e diz: “Desculpa-me, fui ao seu quarto para pegar uma calcinha que estava no monte de roupa para passar e, quando vi você nu, não sei por que tive vontade de tocá-lo.” Eu, escutando isso, disse: “Não se preocupe, não vou falar nada para o pai e se quiser pode tocar meu pinto o quanto quiser!” Coloquei para fora e ela se afastou assustada e diz: “Quer que conte pro seu pai o que esta fazendo?” Então eu disse: “A senhora não vai contar, pois sabe que, se contar, eu conto sobre o acontecido durante a noite!”

Ela, então se assusta e logo concorda. Diz que não vai contar nada e, nessas alturas, já não escondia mais o seu corpo e, num relance, diz: “Então, já que aconteceu me deixe pegar no seu pau, pois agora já foi mesmo!” E pega meu caralho e diz: “Nossa, como esta grande! Quando você era pequeno tinha um pintinho bem pequeno e eu achei que você tivesse algum problema, mas vejo que se desenvolveu muito bem!”

Assim dizendo, abocanha meu pinto, chupando e dizendo: “Não tenha medo! A mamãe não vai morder!” Nisso, escutamos um barulho vindo do quarto e eu puxo o short para cima e saio do banheiro rápido e vejo a luz do quarto do meu pai acesa. Voltei para o meu quarto e minha esposa, que já estava acordada, me pergunta onde eu estava. Eu disse a ela que tinha ido ao banheiro.

Continuamos a passar o dia, minha mãe meio sem jeito de olhar pra mim, mas sem problemas. Como o dia estava muito quente meu pai deu a idéia de irmos à represa tomar um banho e, então, minha esposa disse que gostaria muito, mas que não trouxe biquíni. Minha mãe diz que também não tem então meu pai diz:

“Não vai ser isso que vai nos impedir de ir né?”

Minha mãe disse: “É verdade, vamos assim mesmo e tomaremos banho de short, não tem problemas. Então preparamos o almoço e uma hora após o almoço já estávamos prontos para ir, prepararam um lanche e fomos.

Como a represa ficava perto da casa, fomos a pé e ao chegarmos lá, minha esposa gostou muito e disse que o lugar era lindo e logo foi entrando. Meu pai avisou que era meio fundo em alguns lugares e então minha esposa ficou meio receosa, mas com o passar do tempo foi acostumando e tomando seu banho.

Minha mãe também entrou e logo saiu dizendo que a água estava muito gelada. Então, minha esposa saiu junto com ela. As duas sentaram numa sombra e minha mãe disse se tivéssemos um biquíni poderíamos pegar um sol, então meu pai sem perder tempo diz, mas podem pegar sol de calcinha mesmo… Minha mãe olha atravessado para meu pai, pois sabia que ele só queria vê-las peladas!

Eu disse: “Não tem problema, gente!” Então, minha esposa fala no ouvido da minha mãe que estava sem calcinha e minha mãe diz: “Não vai dar, a Elaine esta desprevenida!” Eu falo: “Pra mim não tem problemas nós ficamos aqui na água!” Meu pai sorri, minha mãe fica meio assim, e então minha esposa fala: “É verdade! Vamos, sogra eles ficam na água e a gente aproveita e fica sem as marquinhas de biquíni.” Minha mãe pensa mais um pouco e diz meio contra vontade: “Ta bem! Mas já que você vai ficar sem calcinha, eu também vou e começam a tirar as roupas.

Primeiro minha esposa tira tudo e aí minha mãe. Era uma beleza! Vi que meu pai já estava com uma mão embaixo da água alisando o pinto e minha mãe diz: “Olhem pra lá! Parece que nunca viram mulher nua!” Meu pai já retruca: “Mulher nua sim, mas duas assim, tão lindas, nunca!” Minha mãe pareceu meio brava e ameaçou por a roupa.

Vejo que minha esposa a convenceu em continuarem nuas e ela concorda. Alguns minutos depois, estamos com fome e saímos da água falando pras duas: “Vamos lanchar?”

Meio sem jeito, elas concordam e como não tínhamos trazido pano para por no chão, só uma toalha e minha mãe já tinha se enrolado nela… Meu pai diz: “Vai ter que tirar a toalha pra gente usar…” Meio contra vontade minha mãe tira e vejo aquela boceta novamente, cheia de pelos e a da minha mulher raspadinha. Eu falo: “Nossa! Como são diferentes!!!” Minha esposa diz: “A sogra disse que não gosta de raspar.”

E meu pai sem disfarçar, já esta de pinto duro aparecendo na sunga, minha mãe diz: “Você já tá com isso duro? Tapa isso aí!” Meu pai diz: Tapar com o que?” E todos riram! Minha esposa diz: “Nossa sogrinha! Como a senhora agüenta tudo isso?” Minha mãe, meio sem jeito diz, “Para com isso!” E aí, o meu pai diz: “Ela agüenta muito bem!!!” E minha esposa ri, minha mãe não gosta muito, e minha esposa diz: “Antonio, mostra pra sua mãe como o seu também é grande…”

Ficamos meio sem jeito, mas como a minha mãe não disse nada, nem meu pai, eu coloco para fora. Estava semi-duro e minha mãe fica assustada com a situação. O meu pai fala de repente: “Amor, mostra pra eles como você faz!” Minha mãe, logo diz: “Você ta louco!” E minha esposa diz: “Sogrinha, pode mostrar, estamos somente nós aqui!” Então minha mãe, meio contra a vontade, mas atendendo aos pedidos, fica de quatro, mostrando aquele volume para trás e meu pai coloca devagar.

Meu pinto fica duro como uma pedra. Não acreditava no que estava acontecendo, mas estava ali vendo e diferente das outras vezes que vi meu pai e minha mãe fazendo sexo, desta vez eles sabiam que eu estava vendo, minha esposa coloca sua mão no meio das pernas de minha mãe e diz: “Nossa, sogrinha a Senhora agüenta tudo mesmo! O Sogrão meteu até no talo!”

Minha mãe sorri vi que já não estava mais tão contrariada. Já estava mais à vontade e minha esposa diz então:

“Agora eu é que vou mostrar como o Filho da senhora faz e se põe também de quatro e eu, sem perder tempo, coloco meu cacete na boceta da minha esposa que, por ter a boceta raspadinha, dava uma visão melhor do cacete rasgando e entrando. Minha mãe, para minha surpresa, do nada coloca a mão na bunda da minha esposa e, abrindo bem a bundinha dela, diz: “Agora coloca tudo filho!” Eu, ainda meio tonto e não acreditando no que estava acontecendo, acabo deixando meu pinto sair da bocetinha de minha esposa e, então, minha mãe pegou no meu pau e o colocou novamente na entrada da boceta da minha esposa e disse: “Vai de novo!” E nisso, meu pai só metendo na minha mãe e assistindo eu socar na minha esposa… Meu pai diz que tem vontade de meter na boceta pretinha da sua norinha, Elaine e minha mãe diz rápido, “Não! O que esta pensando? Se você colocar nela, eu vou dar para o Antonio também!”

Meu pai fica meio assim, mas a vontade de comer minha esposa foi maior e ele diz, surpreendendo minha mãe, “Tudo bem!” e a minha esposa diz: “Tudo bem para a senhora, sogrinha?” E minha mãe, meio contrariada, diz: “Tudo bem!” Meu pai não perde tempo e já sobe na minha esposa. Eu saí e já vou subindo na minha mãe, quando ela me diz para esperar um pouco.

Pensei que ela iria desistir mas então vejo que ela olha mais de perto o caralho do meu pai entrando na rachinha da esposa e fala: “Ta agüentando aí, minha norinha?” Minha esposa, meio gemendo de prazer e tesão, diz: “Ta indo gostoso!” Minha mãe me surpreende e pede para meu pai tirar um pouco e começa chupar a xana da minha esposa e diz: Assim vai ficar mais fácil!”

Não sabia que minha mãe sabia dessas coisas e meu pai volta a bombar e minha mãe me diz agora vai, pode meter e eu sem perder tempo comecei, mas não deu muito tempo já comecei a gozar, mas nem me lembrei que estava gozando sem camisinha na minha mãe e logo vejo que meu pai fez o mesmo com minha esposa.

Paramos quietos por alguns minutos e, meio constrangidos, demoramos a falar qualquer coisa, mas acabei falando: “Acho bom irmos embora!” Nisso, minha mãe pega a roupa e meu pai diz nem precisa por a roupa, chegando em casa eu vou te pegar de jeito. Então todos nós voltamos nus e, chegando em casa, cada um tomou seu banho e após o banho acabamos conversando e concordamos que, apesar de tudo, foi muito bom e que o ideal seria não usarmos mais roupa quando estivéssemos juntos pois não seria nem uma novidade e seria mais excitante.

É assim acontece todos os finais de semana, pois minha esposa não agüenta mais esperar a sexta-feira para entrar na rola do meu pai e eu conto os dias para ver a boceta da minha mãe.

No próximo conto eu vou relatar como todos resolvemos raspar nossos pintos, e também as bocetas e tirar todos os pelos.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Pesquisa