Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

Pra matar a curiosidade dei pro meu Avô

  • Enviado: 9 de abril de 2011 12:41

Corpo do conto

Ola pessoal meu nome é Sonia, mas todos me chamam de Soninha, tenho 20 aninhos sou baixinha tenho 1,65 com 56 kg, sou moreninha com cabelos pretos compridos até aos ombros, tenho seios médios e bumbum grande, minhas coxas são bem grossa sendo a parte que mais gosto em meu corpo.

Sou órfã de pai e moro com minha mãe, temos um relacionamento muito bom e bem aberto, falamos sempre de tudo e principalmente sexo. Minha mãe apesar de sua idade, 40 anos, é uma morena bem bonita e com um belo corpo que chama muito a atenção dos homens. Ela tem seu namorado que muitas vezes passa a noite aqui em casa.

Minha mãe é daquelas mulheres espontâneas e fala tudo o que vem na mente, principalmente sacanagens, é uma mulher bem caliente na cama, pois quando está transando com o namorado, ouço seus gritos e seus gemidos de tesão e, algumas vezes, até sua fala com ele na hora do prazer.

Assim como a minha mãe, também adoro sexo e quando estou com meu namorado em meu quarto não deixo por menos e costumo gemer bem gostoso e alto, coisa que eu adoro.

Certa vez, meu namorado não veio em casa devido ao trabalho, eu na estava na sala vendo TV, lembro que vestia um shortinho e uma blusinha e, naquele momento, minha mãe e seu namorado começaram a transar, eu ouvia os gemidos de minha mãe e também os tapas que ela levava em seu bumbum. Aquilo foi me deixando excitada que acabei abaixando meu shortinho ficando de calcinha e blusinha, e comecei a me masturbar na sala, ouvindo minha mãe gemer.

Eu estava bem excitada massageava bem gostoso minha bocetinha por cima da calcinha ouvindo atentamente minha mãe dando gostoso para o seu namorado. Fiquei me masturbando até eles acabarem e quando acabou resolvi ir ao meu quarto e quando estou no corredor dou de cara com os dois pelados. Minha mãe na frente com seu rosto e seus seios, todo gozado segurando no pau do seu namorado que estava meio que duro, eles olharam pra mim rindo e gargalhando e foram ao banheiro.

No outro dia tudo normal, eu e minha mãe conversamos sobre a cena e rimos muito. Começamos então a falar de sacanagens e confessei para ela que me masturbei ouvindo os dois treparem, minha mãe riu bastante e confessou que uma vez fez o mesmo enquanto eu dava pro meu namorado. Rimos muito e então comentei com ela que estava bem servida me referindo ao pau do namorado dela, ela riu pra mim dizendo que o pau dele não era tão grande e sim um pau normal, medindo seus 17 cm, minha mãe me fez falar do pau do meu namorado e eu disse que chegava a 18 cm.

Com o papo rolando minha mãe disse que quando era pequena fazia a mesma coisa que fiz, masturbava-se ouvindo os pais dela transarem e ri muito com ela me contando. Disse que as vezes via os dois trepando e que o pau do pai dela, no caso meu avô, era imenso, chegou a falar que uma vez já passados alguns anos depois da morte de minha avó, o meu avô ficou muito doente, minha mãe que cuidou dele e foi ao seu quarto para acordá-lo, ela disse que ele não acordava e que ela resolveu tirar a coberta dele e o viu de cueca com o pau super duro, praticamente metade pra fora de tão grande que era.

Rimos bastante nesse dia com a história de minha mãe sobre o pau do meu avô que não soube responder a medida do pau dele. Aquilo ficou em minha cabeça, pois sou muito curiosa e queria saber essa medida ou até mesmo ver o pau dele. Meu avô mora sozinho e cuida de algumas casas à beira de praia, de amigos que são de outras cidades. Certa vez fui à casa de meu avô onde e pude ouvir uma conversa dele com um amigo sobre uma praia naturista reservada. Essa praia é de difícil acesso e as pessoas podem ficar nuas e sem esconder a ereção.

Resolvi, então, um dia ir a essa praia, pois queria ver o pau do meu avô e ver se realmente era tudo aquilo que minha mãe havia falado. No tal dia fui à praia que é bem reservada e o acesso muito fechado. Para entrar, tem que passar por uma entrevista, muito bem organizada e respeitosa onde deixam o visitante ciente que homens ficam com ereção e que não podia reclamar, nessa praia crianças não entram e é proibido sexo na praia. Depois de toda essa recomendação entrei na praia peladinha onde a mesma estava muito tranquila no dia muito bonito, não tinha muita gente e resolvi dar uma volta pela praia.

A praia é fechada com dois morros altos, que vão bem fundo no mar, um cenário muito bonito. Passei por alguns casais onde o marido estava com pau duro e outros não. Fiquei à procura do meu avô, mas nada. Fiquei algumas horas na praia andando pra lá e pra cá sem sucesso em encontrar meu avô, acabei indo embora.

Voltei outra vez nessa praia, não havia muita gente, tinha bem menos gente que da outra vez, talvez pelo tempo que não estava muito bom, um sol escondido pelas nuvens… fui caminhando pela praia na beira da água onde pegava algumas conchinhas perto da água, peladinha, e passado o tempo vejo meu avô caminhando nu em minha direção, fiquei meio nervosa na hora e então resolvi virar-me de costas pra ele, pois sabia que meu bumbum chamaria sua atenção! Quando meu avô estava a, mais ou menos, uns 3 metros de mim virei-me pegando ele olhando pra minha bunda, olhei em seus olhos que ficou meio assustado e me disse, “- Soninha o que faz aqui?” Eu fiquei toda envergonhada e disse a ele, – Ah vô eu sempre venho aqui! Meu avô ficou sem dizer nada e me olhando muito, assim como eu pra ele, ele tem 65 anos cabelos lisos branco com uma barriguinha normal de cerveja, seu pau estava mole e parecia ser bem grande mesmo.

Conversamos um pouco e resolvemos caminhar, pois ele estava indo à barraca de uma amiga que vende bebidas e fomos juntos pra lá. Chegando lá ele me apresentou como sua neta e a moça da barraca, muito bonita e simpática, com um belo corpo ficou conversando comigo por um bom tempo. Passado algum tempo, chegou um casal de amigos de meu avô e ficaram por lá também, foram chegando alguns casais onde os maridos estavam de pau duro. O amigo do meu avô estava de pau meio duro e, na brincadeira, a mulher dele disse ao meu avô, – Hei Sr. Almeida, você ta bem quietinho hoje. Acho que é a presença da neta né? Todos riram inclusive eu que ao me olhar disse, – Seu avô tem um desse tamanho! Ela disse isso pra mim mostrando com as duas mãos o tamanho do pau do meu avô, o que rimos muito juntos.

Passado um bom tempo o casal havia ido embora e meu avô me chamou pra caminhar e fomos, conversamos bastante no caminho onde ele me ajudava a pegar conchinhas. O tempo começou a fechar e o sol já não aparecia mais. Estávamos praticamente sozinhos naquele espaço da praia. As mais próximas pessoas deviam estar a uns 200 metros de nós. Peguei uma conchinha que dava pra colocar em uma corrente e comecei a tentar colocar na corrente de meu avô que estava de frente pra mim e, ao olhar pra baixo vi o pau do meu avô começar a se animar. Meu avô, vendo que eu não conseguia, disse que dava certinho para colocar no meu piercing que fica no meu umbigo. Ele tentou colocar, notei o pau dele ficar mais duro ainda e, quando conseguiu colocar e voltar ao seu lugar, vi que o pau dele estava todo duro, grande e envergado, somente com pontinha da cabeça pra fora. Não parava de olhar pro pau do meu avô e comecei a ficar excitada, sentindo que meus biquinhos estavam endurecendo e minha bocetinha se umedecer.

Ficamos de frente a frente e, nessa hora, meu avô pediu desculpa dizendo que não havia ficado ereto o dia todo e que, naquela hora, não dava pra esconder… eu só sorria pra ele olhando e admirando aquele pauzão e meu avô pra descontrair acabou forçando o pau dele o que fez balançar ainda mais pra cima me arrancado risos! Voltamos a caminhar por mais algum tempo e ele disse que precisar ir a uma casa pra alimentar os cachorros dos quais ele cuidava.

Chamou-me pra irmos juntos. Vestimos-nos e fomos à casa que ficava a alguns quilômetros, próximo à praia. Fiquei sentada no sofá enquanto ele fazia seu trabalho e logo após ele chegou e sentou ao meu lado onde ficamos conversando. Percebi meu avô me paquerando pelos papos elogiando o meu corpo, dizendo que estava com uma cor linda, uma morena muito sexy eu só ria com seus comentários e então começou a elogiar minhas coxas dizendo que eram bem grossas… Sorri a ele que colocou sua mão em cima da minha coxa, começando a alisar-me e elogiar, eu estava com uma saia Jeans e sem calcinha, pois como saímos rápido da praia não a coloquei.

Meu avô foi subindo sua mão pela minha coxa e vi seu pau já todo duro debaixo do short que estava sem cueca, meu avô foi subindo sua mão pela minha coxa fazendo minha saia subir onde foi aparecendo minha bocetinha com o bigodinho que sempre deixo. Já toda excitada e com a bocetinha molhadinha, fui deixando e comecei a gemer pro meu avô, – Ahhhhh ssssssssssss que isso vô! Meu avô foi passando a mão na minha boceta e dizendo, – Você gosta Soninha, gosta que eu passe o dedinho aqui? Eu respondi; já toda excitada: – Sim vô, eu adoro sssssssssssssss ahhhhhhhhhh.

Meu avô, continuando com suas carícias onde foi passando as mãos em meus peitinhos, ainda por cima da minha blusinha, me fazendo gemer cada vez mais, – Ahhhh sssssssss… Meu avô era bem carinhoso com suas caricias e foi tirando minha blusinha deixando meus peitinhos pra fora e alisou bem gostoso meus biquinhos, – Ahhhhhh sssssssssss que gostoso vô ahhhh ssssss… Meu avo sorriu pra mim e começou a chupar meus peitinhos, bem gostoso! Sentindo sua boca úmida em meus biquinhos, – Ahhhhhh sssssssss assim vô que gostoso vai, ssssssssss ahhhhhhh, meu avô me chupava gostoso os peitinhos e começou a descer pela minha barriga beijando-a todinha, e foi pegando em minha saia e tirando com todo cuidado e carinho.

Deixou-me peladinha no sofá beijando meus pés e descendo até minhas coxas beijando e chupando minhas coxas me levando à loucura num tesão incontrolável me fazendo gemer bem alto, – AAhhhhhhh sssssssssssss que tesão vô, não para sssssssssss ahhhhhhhh sssssssssss, estava completamente excitada onde meu avô começou a chupar minha boceta bem gostoso me fazendo gozar e gemer gostoso no sofá daquela casa – Ahhhhh sssss que delicia vô ahhhhhhhhh sssssssssss, meu avô chupou gostoso minha boceta e começou a subir chupando minha barriga vindo aos meus peitinhos me deitando no sofá onde e gemia e pedia pra ele, – Ahhh sssss vem vô, me come gostoso sssssss vem sssssss, me avô se levantou tirando seu short, deixando seu pauzão enorme à mostra, – Ahhhh ssssss vô que pau enorme o seu, ssssssss você vai me foder com esse pauzão vô sssssssssss, meu avô se deitou por cima de mim e foi colocando seu pauzão na minha boceta, que sentia entrar gostoso, – Ahhhhhh sssssssssss ahhhhhh ssssssssss me come gostoso vô, come sua netinha bem gostoso vai ssssssssssss ahhhhhhhhhh, meu avô atendia meu pedido me comendo bem gostoso bombando gostoso seu pau na minha boceta, segurando em minhas pernas, sentia seu pau entrar e sair bem gostoso da minha boceta, – Ahhhh ssssss me fode vô, me fode gostoso ahhhhhh ssssssssss, dava gostoso pro meu avô num tesão indescritível, e então logo pedi pra sentar no pau gostoso dele… Meu avô foi se sentando no sofá e me sentei em cima do pau dele, de frente pro meu avo trepando bem gostoso cavalgando gostoso e sentindo seu pau entrar na minha boceta toda molhadinha cavalgando e empinando minha bunda pro meu avô que pegava gostoso com suas mãos, – Ahhhhhhh sssssssss que tesão vô ssssssssss nunca me comeram tão gostoso sssssssssssss ahhhhhhhhhhh ssssssssss, eu cavalgava gostoso no colo e na pica do meu avô sentindo aquele pauzão me foder gostoso, gemendo e empinando a bunda onde naquele momento movimentava só minha bunda cavalgando gostoso na pica do meu avô – Ahhhhhhhh sssssssssss que tezão sssssssss me come gostoso sssssssssss.

Naquele momento meu avô parecia querer gozar e então disse a ele, – Vai gozar vô? Quero sentir seu pau na minha boca, nessa hora saí de cima dele me agachando. Meu avô ficou em pé na minha frente e eu peguei em seu pau fui passando a língua bem gostoso em toda sua rola descendo até as bolas, comecei a chupar bem gostoso o pauzão do meu avô e logo começou a gozar em minha boca, eu sentindo seus jatos de porra ainda dentro da boca, e fui tirando seu pau pra fora colocando minha língua pra fora recebendo seus jatos de esperma bem gostoso no rosto e na boca, – Isso Vô me dá leitinho bem gostoso sssssssss, ahhhhhh ssssss me lambuza toda! Meu avô gozou gostoso em meu rosto e me deixou toda lambuzada e gozada com aquele pauzão gostoso e grande que, mais tarde, fui saber que mede 25 cm.

Vou contar mais coisas que foram acontecendo, votem e comentem, pois quero saber se gostaram.

soninha.inc@gmail.com

9 Responses to “Pra matar a curiosidade dei pro meu Avô”

  1. eu gostei!
    pode contar mais!!! ssss
    beijos

  2. mrrodghercnp on 10 de abril de 2011 @ 15:20

    Isso sim conto que excita. Conta logo como foi que vc colocou sua me na Histria…

  3. taradopcasada on 11 de abril de 2011 @ 08:51

    que delicia de conto gatinha.. adorei.. muito bom.. por favor.. conte-nos como continua essa historia…
    beijo

  4. adorei gata

  5. Adorei seu conto!
    Nota 10, viu? rs
    Alm de ser minha xar, escreve com muito teso…
    Quero ler mais contos seus. Bjs.

  6. Esta soninha deliciosa.. To louco pra saber mais dessa putaria deliciosa em famlia..
    E que famlia deliciosa..
    Beijos delicia..

  7. Esta soninha deliciosa.. To louco pra saber mais dessa putaria deliciosa em famlia..
    E que famlia deliciosa..
    Beijos delicia..

  8. adorei delicia mto bom seu conto, escreva mais que eu quero ler.

  9. Uma dlç menina….
    vc nasceu pra isso…

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: soninha.inc
  • Membro desde: 9 de abril de 2011

Outros contos de autoria deste autor soninha.inc

  • Nenhum outro conto escrito por este autor encontrado.
Ultimos contos escritos por soninha.inc »

Pesquisa