Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

OBRIGADO A DESCABAÇAR A SOBRINHA

  • Enviado: 14 de agosto de 2003 13:54

Corpo do conto

Tenho 38 anos. Arquiteto. Tenho 1,85m, peso 86kg. moreno corpo definido. Quando jovem joguei muito volei e futebol e também fiz natação. Era bom nisso. Se sou bem dotado? Sou bem dotado. As mulheres nunca reclamaram. Tenho 22x6cm. Sou casado há 15 anos com Lúcia, médica ginecologista. Moramos no interior do estado de São Paulo. Temos uma filha de 14 anos, Letícia. Tudo o que aconteceu ainda vibra na minha cabeça. Foi um fato inusitado. Não esperava jamais que um dia Juliana, sobrinha de minha mulher me fizesse tirar seu cabacinho.Vou contar como tudo aconteceu. Em janeiro deste ano fomos passar as férias em Camburiú. Sempre escolhemos um local de praia. Chegamos na verdade no dia 28 de dezembro para as festas de ano novo e com projetos de ficar até dia 15 de janeiro…

Quem foi? bem fomos eu e minha mulher, nossa filha Letíca, e a sobrinha Juliana, um pouco mais velho do que minha menina. Juliana tem 16 anos. Aliás comemorou 16 anos em nossa estadia no Balneário.

Tudo ia bem nos primeiros dias. Num quarto eu e minha mulher e no outro as duas meninas. Como tanto eu como minha mulher somos um tanto fogosos em sexo, natural que descompromissados de serviço, em férias, o tesão ainda fale mais alto, por isso trepamos todas as noites até duas vezes e às tardes ainda quando as crianças se mandam para o Shopping, damos mais uma para relaxar…

Somos um casal normal portanto. Gostamos de sexo, estamos de bem com a vida, temos um belo modo de viver.

Bem, tudo começou a acontecer depois do dia 2 de janeiro desse 2003. Uma noite estava no quarto fazendo amor com minha mulher, que é mesmo muito tesuda, e enquanto trepávamos com ruidos próprios dos que se amam, com tesão, com chupação, gemidos, e quando estava minha mulher de bruços na cama, recebendo na bundinha meu cacete duro, e gemia de prazer, eis que sinto na penumbra, um vulto passar… pensei que fosse apenas imaginação de minha parte, mas percebi, sem que minha mulher desse por conta, que era minha sobrinha que nos olhava a fazer amor. Embora um tanto constrangido, meu tesão falou mais forte e meti com vigor na minha mulher, que me recebia inteiro no cuzinho e delirava de prazer…. dizia em gemidos: me fode, meu amor, mete no rabinho da sua putinha, mete gostoso, vc é o melhor homem pra foder… fode gostoso… mete fundo… arregaça sua putinha…. mete, mete, mete…

depois vc ainda vai meter mais na minha bucetinha e quero beber toda a sua porra. ai, meu amor, meu tesão, me fode fundo, forte, me fode, me fode.. ai, ai, ai, vou gozar…

sei que meti mais forte e vi minha sobrinha nos olhando a trepar… aquilo me deu mais tesão.

Sei que fiquei alucinado mas não pensei em nada. Curiosidade de menina apenas… ouviu nossos gemidos quando se levantou para ir ao banheiro e olhou pela porta… mas não foi nada disso. Na segunda parte irei contar, se houver interessados, como aconteceu até o dia 10 de janeiro sua abordagem para que eu tirasse os seus dois selinhos…. votem neste conto e direi o resto… abraços.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: eduardo
  • Membro desde: 12 de julho de 2002

Outros contos de autoria deste autor eduardo

Ultimos contos escritos por eduardo »

Pesquisa