Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

No Sítio dos Amigos

  • Enviado: 8 de julho de 2005 12:21

Corpo do conto

Bom, esse relato que vou contar aconteceu em 2004, no sitio de uns amigos nossos, na cidade de Biritiba Mirim. Tenho 36 anos, corpo normal e minha esposa é morena, tem 24 anos, cabelos negros compridos, cintura fina, quadril médio com uma bundinha redonda, lisa e dura, coxas grossas e de estatura mediana, seios pequenos, mas não minúsculos, adora usar lingeries curtinhas ou sensuais. Nós sempre adoramos provocar outros homens na praia, na rua, em shoppings e outros lugares, fazendo com que Mirian (minha esposa) deixe aparecer a calcinha numa cruzada de pernas ou agachando para pegar algo no chão, ou até mandando beijinhos para outros homens, mas é uma fantasia secreta nossa, nunca envolvemos ninguém. Um dia um casal de amigos nosso, ofereceu o sítio deles para nós passarmos um fim de semana, já que a conversa havia sido direcionada para aquele assunto e nós acabamos por aceitar (é o que nós queríamos mesmo). Mas esse casal tinha um filho de 15 anos  Ricardo  que aparentava bem menos, uns 13 anos, estatura mediana, era tímido, pacato, não se interessava por nada, do tipo lerdo, então nos oferecemos para levá-lo, pois seria uma forma de agradecer nossos amigos, fazendo com que seu filho se distraísse um pouco, e Mirian adorava o garoto e tinha muito jeito com crianças. Assim então fizemos, numa sexta feira pela manhã pegamos as bagagens, o garoto e fomos ao sítio; lá chegando minha esposa foi limpar a casa enquanto eu conversava com Ricardo, sobre namorada, sexo, mas o garoto era muito tímido e disse que nunca havia beijado uma menina, muito menos visto uma mulher de calcinha, ele ficava vermelho quando falava sobre isso. Como eu já disse, minha esposa adora usar roupas curtas, provocantes e a maioria das roupas que ela havia levado eram desse tipo. Terminado a faxina ela foi tomar um banho e quando terminou colocou um shortinho bem curtinho, tipo de lycra, branco, mostrando a base da bunda e um top bem folgado sem sutiã, Ricardo quando viu ficou até impressionado, não tinha a malícia de disfarçar o olhar, e Mirian percebendo a situação olhou para mim e riu. Deixamos o Garoto ir brincar um pouco no mato e aproveitamos para fazer amor enquanto isso; depois da transa conversei com ela sobre como dava dó de Ricardo, sua timidez, sua inocência e outras coisas e combinamos que iríamos ajudá-lo, conversando muito com ele e explicando sobre as coisas da vida. Acho que Mirian levava mais jeito, pois ela era fogosa, desinibida, simpática e outras virtudes que ela possui, sabia deixar os outros a vontade em uma conversa. Naquela tarde mesmo Mirian perguntava a Ricardo se ele tinha namorada, sexo e as coisas que eu já havia questionado a ele, tentando pegar uma intimidade maior com o garoto, e ele não conseguia deixar de olhar o rabo dela quando se virava de costas para ele, mas ela também provocava muito, agachando de quatro na frente dele para pegar as folhas no chão, dava para perceber o menino excitado usando um short jeans que não continha o volume, devia quase estar estourando o calção. Chegada a noite todos fomos tomar banho, eu primeiro; quando saí do chuveiro disse a Mirian que ira até a cidade comprar uma pizza enquanto ela tomava banho e depois o Ricardo. Quando voltei ela estava sorridente, quase dando risada e o menino estava no banheiro; perguntei o motivo da alegria e ela me explicou que quando terminara de tomar banho, saiu só de calcinha asa delta de dentro do banheiro com a toalha tampando toda sua cabeça, fingindo não enxergar nada e secando os cabelos, atravessou a sala, parou na porta do quarto de costas para sala, abaixou de quatro tipo enrolando a toalha nos cabelos (foi quando viu o rosto de espanto de Ricardo) e entrou no quarto e que o menino estava no sofá da sala, assistindo a seu desfile e que desde então ele estava no chuveiro, acreditando ela que talvez se masturbando. Perguntei se ela não exagerou um pouco, deixando ele vê-la só de calcinha, expondo seus seios e seu lindo traseiro a ingenuidade do filho de nossos amigos, então ela apenas riu, menosprezando meu comentário. Fiquei pensativo e enciumado quanto aquela atitude, mas depois de muito pensar acabei aceitando que poderia ser excitante a companhia do menino. Comemos a pizza, bebemos cerveja e ficamos assistindo à televisão na sala, deitados em um sofá e Ricardo no outro. A casa só possuía um quarto, e na hora de deitar ficamos na cama de casal e ele em um colchão de solteiros no chão; depois de apagadas as luzes, aquele lugar vira um breu, escuridão total, então aproveitei para fazer amor com minha mulher, e ela gemia a uma altura que desse para ele escutar, falava muita putaria, acredito que o menino nem dormiu só imaginando. Na manhã de sábado, tomamos café, e eu fui caçar de estilingue no mato, Ricardo não quis vir comigo e Mirian foi tomar sol no quintal, só de biquíni (era minúsculo, fio dental), sabia que alguma coisa ia acontecer; voltei logo e quando chegava parei atrás do muro e fiquei observando o menino que comia com os olhos minha esposa de bruços, deitada em uma toalha, tomando sol naquela bunda linda, então ela olhou para Ricardo e pediu para se aproximar e deu na mão dele o óleo de bronzear, pedindo a ele para passar em sua costa. O garoto estava excitadíssimo só de olhar e agora começava a passar a mão nas costas dela, dava para ver seu pinto querendo sair do calção, mas Mirian nem olhava, para parecer uma coisa natural. Em certo momento ela pediu para ele soltar o laço do biquíni (sutiã) nas costas, para não ficar com a marca e continuar a passar o óleo, o menino se contorcia só para ver a lateral dos seios dela, então ela pediu para ele passar nas pernas, ele suava frio, mas obedeceu, o garoto devia estar em ponto de bala, tocando naquelas coxas e a todo momento ela ensinava e elogiava a maneira de passar as mãos. Eu já estava de pau duro, só de olhar um moleque virgem tocando o corpo de minha esposa, imagine ele; dado momento ele colocou a mão dela sobre a dele e conduziu até suas nádegas, fazendo movimentos rotativos, dando liberdade a ele de passar o bronzeador em sua bunda. Eu percebia que ele estava adorando, porém sua timidez o deixava muito nervoso, e eu vendo aquelas mãos inocentes descendo e subindo o reguinho da minha esposa, então ela se virou de frente, os seios apareceram devido o biquíni estar aberto, deu para perceber os bicos duros  ela estava excitada, mas ela os cobriu rapidamente, fazendo parecer normal, então pediu a ele para passar em sua barriga, depois nas pernas e o menino obedecia de forma carinhosa, mas muito nervoso, até que ela colocou a mão sobre a mão dele e começou a alisar a parte interna da coxa chegando na virilha; Ricardo olhava para a bucetinha dela paralisado, tentando imaginar como seria debaixo do biquíni, ele não conseguia disfarçar seu tesão pela minha esposa, então resolvi aparecer como se nada estivesse acontecendo e sentei ao lado dela; ele foi para o banheiro e nós começamos a rir, então contei a ela que havia visto tudo e ela novamente sorriu. Foi notório que o menino estava mais alegre e desinibido para conversar, sorrir e outras coisas mais. Aquela tarde Mirian ficou o tempo todo de biquíni, só para provocar o garoto, deitou na sala, fez almoço, etc. A noite enquanto Ricardo tomava banho, nós conversávamos sobre as tentações que ela causava nele, então tivemos uma idéia e a colocamos em prática. Mirian com um walkman no ouvido fingiu não escutar o barulho da água do chuveiro caindo, e a porta do banheiro não tinha fechadura, então ela entrou só com a parte debaixo do biquíni, expondo seus seios e se deparou com Ricardo completamente nu e molhado, que ao olhar para ela foi inevitável a ereção de seu membro o qual tentou esconder mas era grande para sua idade, uns 17 cm e grosso, ficando vermelho de vergonha; ela com naturalidade pediu desculpas por ter entrado daquele jeito e que ele não precisaria ficar acanhado, pois ela era acostumada com homem pelado, então meio com vergonha ele deu um sorriso e disse que já estava saindo; ela pediu a ele para não contar para mim o que havia acontecido; ele ao sair do banheiro passou pela sala que nem olhou para mim; então fui ao banheiro e ela me contou, demos muita risada, aproveitei para transar com ela no chuveiro enquanto ela gemia alto para ele ouvir, aquela viajem devia estar sendo uma tortura para o rapazinho. Na hora de dormir fizemos um comentário que era injusto ele dormir no chão e nós na cama, já que a casa era de seus pais, então colocamos o colchão de casal no chão, colado ao dele de solteiro. Antes de deitarmos, eu e Mirian conversarmos sobre o que estávamos fazendo com ele e entramos em um acordo, ela o masturbaria durante o sono. Nos deitamos e como eu já havia dito antes, o quarto era completamente escuro, não se enxergava nem vulto, então transei com ela ao lado dele, sem que ele pudesse ver, o colchão dele colado no nosso e ela para deixar ele louco gemia e mandava eu socar com força até que gozei, inundando aquela bucetinha lisinha e pequenina; esperamos um pouco, então ronquei um pouco para fingir estar dormindo e ela aproveitou para colocar nosso plano em prática, virou para o lado de Ricardo e pos a mão sobre seu tórax, ele estava sem camisa, fazia muito calor aquela noite, então começou a acariciá-lo no rosto, no peito, na barriga e desceu sua mão por dentro do calção até seu pênis; o garoto estava com o pinto mais duro que uma rocha, ficou completamente paralisado, e ela iniciou uma masturbação para ele, posterior ela me disse que era muito grosso e liso o pau do moleque, mas tudo isso não durou dois minutos e ele gozou na mão dela; foi só ela retirar a mão de dentro do short e ele se levantou e foi até o banheiro. Eu e Miriam rimos baixinho enquanto ele estava lá, foi então que ela me pediu para chupá-lo, achei que ela já estava exagerando, mas me convenceu dizendo que depois me daria o cuzinho, acabei aceitando. Demorou uns trinta minutos e Ricardo retornou do banheiro e deitou de volta em seu lugar, ela não perdeu tempo e novamente colocou a mão em seu membro que instantaneamente ficou rígido, abaixou um pouco o calção e se inclinou em direção ao órgão do menino e começou a passar a língua ao redor da cabeça de seu pinto, dava para ouvir ele tentando conter os suspiros de tesão que soltava, enquanto eu fingia roncar, para dar uma sensação de segurança a ele. Só de imaginar os lábios de Mirian beijando e lambendo o membro do garoto, meu pau já ficou duro, dava para ouvir o barulho da chupeta que ela fazia para ele, mas tudo isso não durou muito, pois sua inexperiência fez com que enchesse a boca de Mirian de esperma que foi pega desprevenida e teve de engolir quase tudo, chegando a engasgar. Pela manhã eu e minha esposa comentamos o ocorrido e eu dei muita risada da cara dela, e Ricardo estava muito sorridente, feliz, contente, então só para testar eu perguntei o porque da alegria, e ele me respondeu que nunca havia se divertido tanto quando viajava com seus pais. Naquela manhã de domingo o ritual do bronzeamento se repetiu, só que desta vez ela foi além, pediu para ele passar em seus seios, o menino deve ter gastado o tubo de bronzeador só para não parar de passar a mão nas tetinhas dela. A tarde fui a cidade buscar alimentos e quando voltei ela me contou que entrou no banheiro a hora que ele tomava banho, completamente nua, e sentou na privada e ficou a observar ele tomando banho, e que ele ficou excitado na hora e então ela puxou ele pela cintura e fez outra chupeta para ele, deixando ele gozar no rosto dela e nos seios. Comentei que ela havia se exposto demais fazendo aquilo, mas ela não se importou e como sempre sorriu, disse que ele quase enfartou na hora de gozar, que gemeu muito alto, ficando na ponta dos pés enquanto ela o masturbava para ejacular. Só de ela contar, eu fiquei de pau duro, mas não concordei com sua investida, pois não havíamos combinado, então ela me pediu para transar com ele na hora de dormir e eu disse que não, que já estava passando dos limites, então chateada me pediu para chupá-lo ao invés de transar, daí eu concordei. Na parte da tarde ela colocou uma micro saia e top e toda hora agachava só para mostrar a calcinha enterrada no seu rabo, eu tinha que virar para o lado fingindo não ver, só para o garoto poder olhar. Ricardo já estava bem solto, se sentindo a vontade entre nós; na hora de dormir Ricardo foi o primeiro a se deitar, pois seu colchão era encostado na parede, depois eu me deite e Mirian em pé ao lado do interruptor apagou a luz, então ouviu o barulho de sua micro saia sendo tirada e depois o top, quando se deitou ao meu lado estava só de lingerie, então disse a ela que era muito abusada e se Ricardo levantasse e acendesse a luz, veria ela nua, então ela me disse que se não tivesse um risco não era excitante. Comecei a beijar minha esposa bem forte, ela se excitou rapidinho, então tirei sua calcinha e coloquei minha mão naquela bucetinha completamente encharcada de tesão, meus dedos escorregavam para dentro dela, ela suspirava forte e alto, então me empurrou para beirada do colchão (não entendi nada) e se virou para Ricardo que fingia dormir, passou a mão em seu peito e desceu até seu pinto que já estava duro, então se curvou e iniciou uma chupeta para ele que se retorcia, percebi quando sua mão deslizou pelo corpo de Mirian provavelmente para tocar em seus seios, depois deixou sua mão descer até a bunda dela e passou os dedos naquela xoxotinha melada; Mirian não resistiu aos dedos dele, percebi ela saindo de perto de mim, comecei a não entender mais nada e quando me dei conta ela estava cavalgando na rola dele, fiquei ferrado de raiva, mas nada podia fazer, tinha de fingir estar dormindo, mas eu estava muito excitado com a situação, então ouvi ela disser a Ricardo como se eu não estivesse ali: Goza na minha bucetinha, faz eu gozar nesse cacete grosso, me enche com sua porra. Que situação engraçada, minha mulher transando com um menino de quinze anos, a menos de meio metro de mim, sem minha autorização e eu excitado, percebi que ela beijava a boca dele, era como se estivesse fazendo amor com alguém que já conhecia a muito tempo, então ouvi ela falar gemendo:  Goza nessa puta, vai e ele suspirou forte, talvez abafando seu urro com medo e gozou dentro dela que retribuiu gozando no pinto dele; ficaram ali deitados, ela em cima dele uns cinco minutos, até que ela veio e se deitou ao meu lado, ele mais que rapidamente correu para o banheiro, então aproveitei para chamar sua atenção e ela me disse Isso é para você aprender a nunca mais negar nada para mim e não mexer com o tesão dos outros, se quiser vai ter que comer meu cuzinho, pois minha buceta ta cheia de porra nova e grossa, então meio que estúpido virei ela de quatro, lubrifiquei meu pinto com a porra que escorria e soquei no cuzinho dela com toda minha força, ela gemeu de dor, mas eu nem liguei e estoquei com tanta força que sangrou e ejaculei como nunca havia, pensei que não iria mais parar de sair porra do meu pau. Dormimos feito crianças aquela noite. Viajamos várias vezes para aquele sitio, e de vez em quando levávamos Ricardo, que cresceu e virou amante de minha esposa. Ele pensa que eu não sei, até hoje ela dá um jeito quando eles vêm nos visitar, sobe para o quarto para mostrar algo e transa com ele, nem seus pais desconfiam. senhordosrelatos@hotmail.com

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por:
  • Membro desde: 2 de outubro de 2014

Outros contos de autoria deste autor

Ultimos contos escritos por SUZI »

Pesquisa