Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Mulher do meu irmao

  • Enviado: 1 de janeiro de 2011 22:20

Corpo do conto

Olá pessoal, este é o primeiro conto que estou escrevendo e gostaria de compartilhar com todos.

Em primeiro lugar me descrevendo sou MARCOS, um cara normal 32 anos, 1.67 altura 56 quilos de peso, moreno, mestiço de italiano (meu pai) e japonesa (minha mãe) nenhum deus sexual como vejo em alguns contos. Mas como qualquer ser humano saudável, adoro muita sacanagem.

Bom, vou contar o que aconteceu comigo e a mulher do meu irmão ROBERTA que começou há 17 anos, quando tinha 15 anos. Como todos na família sempre têm alguém que faz você despertar para o sexo e comigo aconteceu com a minha cunhada, mulher do meu irmão. Na época tinha 15 anos e minha cunhada 25 anos, casada há três anos. Tínhamos acabado de chegar ao Japão onde atualmente moro. Morávamos em dois apartamentos, meus pais e minha irmã em um, eu, minha cunhada e meu irmão no apartamento ao lado. Na época como qualquer moleque na flor da idade, depois de uns 3 meses morando junto com minha cunhada não conseguia parar de observar minha cunhada, ela tem 1.70 de altura 65 quilos, morena peitinhos médios, mas como todos brasileiros gostam as coxas e a bunda enormes queimadas de sol. Nesta época eu já me acabava na punheta pensando nela que em algumas das vezes acompanhando o cheirinho de boceta impregnado na calcinha que achava no meio das roupas sujas. Infelizmente, na época ela era meio tapada em relação à sacanagem e depois de uns oito meses morando junto, ela já notava como eu olhava para ela e com certeza o que eu fazia com suas calcinhas. Infelizmente chegou o dia que aconteceu o pior, eu estava jogando game deitado na cama dela dentro do cobertor, pois estava muito frio e percebi quando ela chegou do trabalho e foi tomar banho. Continuei jogando game sem nenhuma intenção mesmo porque não teria coragem. Ela veio e falou que ia dormir e, como o game era de meu irmão, perguntei se queria que saísse para poder dormir, ela disse que não, mas não faca muito barulho. Ela entrou no cobertor e deitou ao contrario de mim com os pés perto do meu rosto e com a bunda virada para o meu lado, mas sem encostar. Depois de uma hora percebi que estava dormindo quando resolvi parar e ir para meu quarto, sem querer meu joelho bateu na bunda dela… Na hora gelei e fiquei parado, mas com meu caralho já querendo pular para fora, como ela não estava acordada tomei coragem e comecei a roçar a bunda dela com meu joelho e já não aguentado mais tomei coragem e comecei a passar a mão… E não aguentando também, comecei a me virar dentro do cobertor e fiquei numa posição encolhida com meu rosto perto da bunda dela , na hora ainda tinha certeza que estava dormindo e já não pensando em mais nada comecei a passar, e a pegar forte na sua bunda e até que tomei coragem e escorreguei minha mão por cima daquela bocetinha que tanto sonhei. Ela estava de short e já tinha percebido que ela não estava mais dormindo pela sua respiração, mas como não falou nada, continuei esfregando aquela bocetinha pequena na minha mão. Neste momento, claro, que eu já tinha melado toda minha cueca… E foi quando me atrevi a tentar colocar os dedos pelo short que ela me chutou para fora da cama e veio para cima e me deu um tapão na cara falando “filho da puta! Ta pensando que sou alguma vagabunda vou contar tudo para seu irmão.” Sai correndo e, depois, só pensando na surra que ia levar. Ela não contou nada para meu irmão, mas pediu aos meus que queriam morar sozinhos para aproveitar um pouco a vida de casados. Depois disso claro nunca mais aconteceu mais nada e eles voltaram para o Brasil. Depois disso passou a fase de adolescência e se passaram 10 anos , quando estava com 25 anos morando sozinho e bem sucedido ,meu irmão e minha cunhada voltaram ao Japão para nos visitar e ficaram na casa dos meus pais perto do meu apartamento. Minha cunhada, mais gostosa do que nunca, me fez relembrar o passado que fiquei com caralho duro que chegou a doer dentro da calca. Depois de umas duas semanas tive que viajar por três dias e falei pro meu irmão que se quisesse, poderia ir ao meu apartamento e entreguei a chave. Quando voltei de viajem fui pegar a chave com meu irmão e ele falou que não tinha ido lá. Apenas a Roberta, para levar algumas coisas que minha mãe pediu. Bom, eu fui olhar as câmeras escondidas, pois já tinha sido roubado uma vez e instalei câmeras escondidas em todos os cômodos. E me assustei quando vi a gravação. Vi Roberta entrando em meu quarto para deixar as coisas e a vi olhando uns filmes que estavam em cima da mesa. Acontece que para aproveitar a câmera usava para gravar as putarias que fazia em meu apartamento. Com certeza achou um e começou a assistir depois de meia hora, mais ou menos, ela começou a olhar pelo quarto parecendo procurar a câmera, mas não achou. Saiu do quarto e pensei que tinha ido embora e me assustei quando voltou ao quarto foi direto no armário e procurou por uma gaveta onde guardo vários vibradores que deve ter visto no filme. Quando ela baixou as calcas e deitou na cama, na hora abaixei minhas calcas e comecei a bater uma das minhas melhores punhetas até hoje, vendo ela de pernas abertas na minha cama, não deu para ver direito, mas também não foi necessário nunca gozei daquele jeito. Ela ficou menos de 10 minutos e, quando pareceu gozar, guardou tudo e saiu correndo do quarto. Nesta noite fui à casa dos meus pais e eu, meu irmão e meu pai bebemos pra caralho, até que meu irmão foi dormir. Era uma hora da manhã e todos foram dormir e a Roberta veio falar boa noite para ir dormir também. Chapado, falei para ela que sabia que o que ela tinha feito no meu apartamento, pois tinha gravado tudo e lembrando-me da cena de antigamente, falei que iria mostrar a fita para meu irmão para me vingar o tapão que ela tinha me dado quando eu tinha 15 anos e dei as costas e fui embora. Cheguei em casa e tomei uma ducha fria para aliviar a ressaca, coloquei o short e quando estava saindo do banheiro a campainha tocou eram duas e meia da manhã. Abri a porta e vi que era Roberta …

-Entra.

-Por favor, me desculpe o…

Antes de ela terminar dei lhe um tapão na cara, que vi que ficou atordoada…

-Sua puta, aquele cenário todo quando eu era moleque e sempre foi uma vadia…

-Não fala nada pro seu irmão semana que vem já estamos indo embora…

-Vem aqui! Peguei pelo braço e levei para sala. Abaixei o short com cueca e tudo e sentei no sofá com o caralho latejando. Ela tentou sair da sala e dei-lhe outro tapa na cara…

-Se você quiser, pode contar pro seu irmão seu filho da puta!…

-Eu não vou fazer nada senta ai na mesa e só faça o que você fez na minha cama a gente goza e terminamos com isso…

Ela me olhou com cara de raiva eu sentei na frente dela e comecei alisando meu caralho… Ela, me xingando e reclamando que era só isso e esquecemos-nos de tudo… Foi tirando a calça e quando ia tirar a calcinha pedi para virar de costas porque queria ver bem a bunda para tantas punhetas que bati…

- Cala boca…

Na hora que ela falou isso não aguentei e dei um tapão, com gosto, naquele bundão! Vira logo essa bunda pra eu ver… Ela estava começando a chorar.

Quando ela estava abaixando a calcinha e vi aquele rabão na minha frente e quase gozei…

-Bate uma de quatro em cima da mesa…

-Não vou fazer isso vamos acabar logo com isso…

-Vai levar outro tapão, ouviu sua BISCATE?…

Coloquei algumas almofadas em cima da mesinha da sala e quando ela se posicionou de quatro e abriu aquelas coxas… Nesta hora senti orgulho de ser brasileiro, pois como todo brasileiro como e gostoso olhar um cuzão daquele… Já estava batendo uma punheta feito um retardado quando não aguentei ao ver e ter certeza que ela tava gostando… Aquela bocetinha tava todo encharcada, melada com um cheiro desgraçado, eu não aguentei e levantei e gozei na bunda dela…

-Pronto vamos parar que eu vou embora…

-O caralho, sua vagabunda essa boceta toda encharcada e vai dizer que não ta gostando… Você vai terminar de gozar…

Ela deitou em cima da mesinha e começou a tocar na sua bocetinha… -Não vem falar agora que ta com vergonha. Abre, essas pernas direito sua vadia…

Ela abriu as pernas em V e começou a esfregar o grelinho… A vadia não queria gemer só dava pra ouvir a respiração – sssssssss, hhhaaaaaaa , aaaaaa, shhhhh , aaaaaa

Meu caralho já esta tremendo de novo… -Continua ai que eu já volto, mas vê se não para…

Fui ate a gaveta onde guardo os vibradores e peguei o que mais gostava

Mais ou menos 15 cm e bem grosso em forma de tridente. De um lado, um vibradorzinho pro feijaozinho e do outro lado de oito cm, não muito grosso para massagear o cuzinho dela. Não consegui achar a loção, fui correndo ate a geladeira e peguei o pote de manteiga e voltei para a sala quando tive medo dela ter desistido e encontrei-a com três dedos dentro da boceta… Que visão… -Você e uma cadela mesmo!…

-Cala boca…

Lambuzei o vibrador com manteiga e entreguei… -Toma…

-Eu não vou enfiar nada no meu cu …

-Você que sabe , se basta usa só a cabeça na sua bocetinha…

Lambuzei meu cacete de manteiga e me sentei de novo para assistir… Ela estava usando apenas a cabeça na boceta, abriu bem as pernas, mas desta vez estava gemendo feito uma cadela! -Filha da puta… Depois disso, nem chega mais perto de mim… cachorro.

O bom deste vibrador é que todas que não querem meter no cu ele fica cutucando e da pra ver quando começa a piscar elas não se contentam com os cinco cm dentro da boceta e acabam tentando enfiar no cu e quando conseguem o vibradorzinho da frente não tem dó do grelinho

-AAAAHHHHHHHHHHH puta que pariu, eu to gozandoooooooooooooo…

Não aguentei, segurei o vibrador e levantei-a e empurrei até ao quarto e joguei-a na cama…

-Sei lá como meu irmão te come, mas agora você vai virar os olhos sua vagabunda…

Ela se assustou… -Não isso a gente não pode, vamos parar

-Foda-se… Abaixei as pernas travando o vibrador nas coxas e comecei a mamar naqueles peitos com marca do biquíni. – Devagar ta doendo…

Fui dar um beijo e ela não quis e dei-lhe outro tapa e beijei agora ela retribuiu… Fiquei pensando: queria chupar e fazer me chupar, mas não aguentei… Virei-a de costas, levantei a bunda dela e estoquei de uma vez naquela bocetinha… Esqueci de falar, não tenho um cacete enorme, tem 18 cm, mas ainda bem que ele é bem grossinho…

-AAAAAiiiiiiiiii devagar ta machucando…

Diminui o ritmo, mas como sempre adoro fazer dei altos tapas deixando aquele bundão bem vermelhinho… Não sou nenhum cara ignorante, mas tem hora que é necessário para um homem e uma mulher dar uns tapas e pegar com força na bunda puxando e estocando sem dó… Pelo menos ninguém nunca falou realmente que não gostou… Puxei-a pelos braços e coloquei de costas por cima de mim… HAHAHA Não precisei falar nada começou rebolando sem subir e descer esfregando aquela boceta o máximo que podia… -AAAHHHHHHHH gostoso hhhhhssssss aaaaaiii

-AAAAAAHHHHH Marquinhos eu vou gozarrrrrrrr… Agora ela começou a cavalgar, misturando o barulho daquele bundão batendo nas minhas pernas e o barulho dos tapões que eu dava naquela bunda

-NNAUMMMMMMM paraa eu to gozandoooooooooooooooo

Depois que eu vi que ela gozou não perdi tempo coloquei ela de quatro de novo e fui encostando naquele cuzinho que eu tanto queria…

-Agora é minha vez…

-Minha bunda não eu nunca fiz isso! Seu irmão já tento eu não deixei…

-Você acabou de enfiar o vibrador eu sempre fui louco de comer esse cuzinho… Do jeito que eu falei eu dei uma estocada que ela caiu na cama…

-AAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHH que dor

-Desculpa agora que ta dentro vai mexendo devagar…

Deitei meu corpo e a abracei por trás… Ela começou um vai e vem devagar e vi que estava saindo lágrimas… Levantei meu corpo e deixei ela se mexer… Depois de uns 10 minutos vi que ela estava se masturbando o que me levou à loucura, levantei a bunda dela peguei com forca e fui puxando mais devagar, mas até ao final! -Devagarrrrrrrr assim AAAHhhhhhh

Quando notamos só lembro-me de estar estocando sem dó…

-AAAAAAHHHHHHH vou gozarrrrrr ahhhhhhhhh -Eu também vou

-Ta doendo, mas mete com forçaaaaaaa que eu vou gozarrrrrrrr

-AAAAAAAAAAAHHHHHhh to gozando na sua bundaaaaaaaa que gostosoooooo

Ficamos parados por uns 40 minutos, eu deitado por cima dela e abraçando-a. Depois fomos tomar um bom banho por uma hora…

Depois disto ela voltou ao Brasil na semana seguinte e nunca mais tivemos mais nada… Mas nada como uma cunhada.

Abraços a todos! Deixem comentários

As mulheres podem mandar seus comentários em meu e-mail

Em Julho de 2011 estarei retornando ao Brasil

Sou de São Paulo

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

Outros contos de autoria deste autor marcelinho japa

  • Nenhum outro conto escrito por este autor encontrado.
Ultimos contos escritos por marcelinho japa »

Pesquisa