Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Minha esposa e meu amigo.

  • Enviado: 15 de maio de 2008 12:01

Corpo do conto

Em Dez/07 um amigo do sul veio passar uns dias em nossa casa. E como bons anfitriões, o recebemos da melhor forma possível. Na semana que antecedia sua chegada eu comecei fantasiar loucuras e falava pra ela. No dia que o amigo chegou em casa, ela estava num short microscópico, deixando metade da bunda de fora, uma calcinha sumindo na bunda, um top e um tamanquinho que empinava mais ainda a bunda. Quando minha esposa apareceu na sala senti que meu amigo olhou para sua bunda e percebi que ele ficou excitado, fiz que não vi, mas fiquei pasmo. Ela apenas falou: – oi amor, não sabia que você ia trazer a visita hoje… Estava dando uma faxina. Claro que ela sabia e por isso se vestiu assim, afinal nunca deu faxina vestida daquele jeito. O nosso amigo fez um elogio rasgado e disse que eu era um cara de sorte por ter uma esposa tão bonita e coisa e tal. Percebi que minha mulher corou um pouquinho, mas sei que ficou muito lisonjeada como eu fiquei. Sabia também que ela achava esse meu amigo um cara muito bacana, e em algumas de nossas transas ela já havia me comentado acha-lo um tesão de homem. Passado o susto, tudo ficou normal. Dois dias haviam se passado e nada de anormal acontecia. Apenas percebi que ela passou a usar em casa vestidinhos curtos, devido ao calor, calcinhas pequeninas e sempre sem sutiã. Estava diferente, muito provocante e bela…..

Na terceira noite, chegamos eu e meu amigo juntos do trabalho e encontramos minha esposa só de toalha. Percebi que aquela imagem mexeu com meu amigo. Devo dizer que a toalha mais mostrava que cobria algo, entramos em casa e ela foi tomar banho. Quando voltou foi show! Uma sainha e um top de parar o comércio e, mesmo sem ver, eu tinha certeza que não havia nenhuma calcinha ali. O nosso amigo só faltou comer ela com os olhos e comentou: – Cara, com todo respeito, sua mulher é uma gata! Agradeci o elogio, engolindo a seco aquela descaração na minha frente. Ela completou: – Viu só, sua esposinha bate um bolão… Mas, sortudo é você que me conquistou primeiro e rapidinho virou meu dono (sorrindo com a maior cara de puta). Logo percebi que ela ao colocar a roupinha estava querendo aproveitar a situação. Havia um entrosamento diferente entre meu amigo e minha esposa. E aos poucos, durante a noite, notei os dois sempre juntos, sorrindo e com algumas brincadeiras. Ela estava radiante…..

No dia seguinte pela manhã estávamos nós de novo na cozinha tomando o café da manhã. Ela, vestida apenas com uma blusa minha, como um micro vestido. Ele disfarçou, mas percebi que ficou excitado com a falta de roupa dela. Ela pegou uma xícara de café e fez a mesa da sala para o café, enquanto eu disse que ia tomar um banho. Ela ficou com ele na sala, ele sentado e ela ainda em pé pegando as coisas. Fiquei escondido escutando a conversa dos dois. Ela sentou e ele perguntou por que ela fazia isso. Ela, se fazendo de boba, perguntou o que? Ele apenas apontou pro corpo dela.

Ela disse que em casa sempre fica bem a vontade. Não fazia por mal. Ele perguntou de mim. Ela disse que eu gostava que ela se vestisse assim, se mostrando. Nisso vou tomar banho. Quando volto, percebo sua excitação. Não preciso dizer que naquela manhã ele foi atencioso e ela sempre sorridente…..

Saí para trabalhar e voltei no fim de tarde, ao chegar senti que algo mais podia acontecer, ou já estava acontecendo. Minha esposa estava de cabelos molhados, com cara de exausta e com certa dificuldade pra andar. Vestia uma camiseta branca, com os biquinhos eretos e uma mini tanguinha. Fiquei surpreso e fui falando que trajes eram aqueles? E meu amigo onde estava? E ela provocando responde: – Está com ciúmes, ou medo do outro macho traçar a sua esposinha? Aquela conversa e ela vestida daquela maneira me deixou excitado, e ela: – Ahhhhhhhh então esse pau duro é por quê? Se não de ver a sua esposa assim toda oferecida! Não resisti e beijei sua boca, apalpei sua bundinha e senti sua bucetinha molhada e ela falou: – Tá vendo como você gosta amorzinho… Eu já estava querendo foder ela ali mesmo na sala, não me importando mais com o meu amigo. Foi quando ela disse; – calma, o seu amigo está no computador, ali do lado, no escritório. Contive-me e fui falar com ele que se assustou a me ver. Ele estava visivelmente excitado, só de short, cabelos molhados e sem camisa, na frente do computador. Fiz que não percebi nada e fui tomar um banho.

No banho, aquela situação estava me excitando tanto que não resisti e comecei a bater uma punheta………..olha a situação: eu me punhetando porque vi minha esposa semi nua como uma safadinha se mostrando para um amigo meu que deve ter comido ela a tarde toda e ainda iria dormir na minha casa nesses dias. Foi quando minha esposa entra no banheiro e me flagra de pau duro e me punhetando e ela fala, que tesão todo é esse seu safado. Então ela se ajoelha e lambe gostoso o meu saco e começa a chupar o meu pau. Fiquei louco de tesão, ela se portando assim com outro homem em casa, não demorei pra gozar na boca de minha cadelinha, que saiu do banheiro sem me dizer nada sobre o que estava acontecendo. Ela apenas aumentou o mistério dizendo que me esperava na sala, e para eu não demorar, pois está na hora de comer. E saiu rebolando como uma puta, e eu fiquei encucado. O que será que ela pretende com isto, me provocando.

Não preciso dizer que no jantar a provocação foi geral, parecia que ela estava no cio e com vontade de ser devorada por nos dois. Notei que o meu amigo ficou desconcertado, de pau duro, tentando esconder para me respeitar, sempre desviando o olhar dela com medo, mas excitado com as provocações de minha esposa.

À noite, após o jantar e um bom vinho, notei o olhar de minha esposa, e percebi todo o seu fogo. Continuamos a beber, e minha mulher foi ao aparelho de som e pôs uma fita da Rita Lee e começamos a curtir o som. Minha mulher pareceu estar bem altinha e muito excitada. Veio a junto de mim e me beijou. Mas ela se fez de difícil e saiu de cena. Entrou no quarto e disse que iria tomar um banho e dormir. Olhou para nós com um ar de puro tesão.

Recolhemos-nos e me surpreendi com toda a sua tara. Sentindo meu pau duro com sua exibição ela disse baixinho no meu ouvido: – você é louco mesmo, por querer dar sua mulher para outro, eu nunca vi isso!!! Dei um beijo nela colocando sua mão em minha rola que já estava dura e disse só de imaginar veja como fico, ela: – você quer mesmo que eu dê para ele não quer? Eu confirmei: – é claro que quero! Percebi que ela já estava pensando em aceitar a proposta, coloquei minha outra mão na sua bucetinha e percebi que ela estava ensopada, ai eu tive certeza que iria realizar, ou já tinha realizado minha fantasia. Caí de boca e lambi aquela bucetinha molhadinha. Ela estava transformada, pois gritava ao meu ouvido: – come sua mulherzinha, come essa esposa safada que você tem!! Fode ela como ela merece!!! Ao som de suas palavras eu enlouquecia aí ela se pôs de quatro e eu meti muito até fazê-la gozar e eu gozei logo atrás…..

Dormimos abraçados depois de tanta provocação, mas de madrugada, enquanto todos dormiam, eu acordei para ir ao banheiro e na volta acordei minha esposa e perguntei se ela não queria provocar meu amigo, ela acordou meio desnorteada com a proposta, mas no calor da excitação disse que toparia provoca-lo ainda mais. Então eu tive a idéia dela colocar uma shortinho de algodão e um top e ir acordar meu amigo com uma desculpa qualquer. Ela ficou com medo, mas atendeu meu pedido, colocou a roupa tesuda que deixa as polpinhas da bunda de fora e um topzinho, fiquei de pau duro na hora. Fui com ela até a porta do quarto onde o amigo dormia e fiquei a vendo entrar, ela dava um passo pra dentro do quarto e saia de novo, ficou assim uns dez minutos até que criou coragem e entrou, eu fiquei do lado de fora do quarto escutando ela acordar o amigo e logo em seguida escutei gemidos de beijos, meu pau melava de tanto tesão, (adorei a idéia de ser CORNO dentro da minha casa) ficaram uns 20 minutos se esfregando e eu só escutando como um bom marido e corno manso.

Depois ela voltou pro nosso quarto, contando baixinho todos detalhes, que ia só provocar, mas não agüentou de tesão e acabou fazendo besteira, disse que tinham se beijado se esfregado, que ele chupou a buceta dela e que eles ficaram em pé e ela colocou a mão na parede, ele puxou o shortinho de lado e meteu nela por trás. Dizia que o cacete dele era delicioso. Que eu devia ficar sossegado que ela já estava trepando com ele desde de manhã e estava adorando. Que queria ficar trepando com ele por todos os dias. Coisas sem nexo. Coisas de puro tesão. Fiquei louco com a narração a beijei e chupei sua buceta melada……

No dia seguinte o clima tava meio estranho, minha esposa estava nos evitando o dia inteiro, ficou no quarto. Mas na hora de dormir ela foi dar uma geral na cozinha. Meu amigo estava na sala vendo tv. Eu fui com ela até a sala, conversei um pouco com meu amigo e me recolhi alegando cansaço, disse que ia dormir. Ela disse tudo bem, pois só ia recolher os copos e arrumar a cozinha, que já ia, foi quando meu amigo se prontificou a ajudar. Fui tomar uma ducha, e me deitar na espera de minha querida esposa. O tempo foi passando, e nada de ela voltar, eu pensei vou chamá-la. Aí fui buscá-la. Aproximei-me com cautela. O que vi me deixou desnorteado e pasmo……

O cara estava abraçado a minha esposa, beijando e apalpando todo o seu corpo. Beijando-lhe os seios e se esfregando nela. Pensei em dar um basta, mas achei que seria um escândalo, e resolvi me calar, devia esperar o momento certo. Ele tentava tirar sua roupa e ela não permitia, ela foi iludida por ele que estava tentando se aproveitar dela, e ela falava que não podia mais fazer isso, pois era casada com um amigo dele. Ele tentava de todas as maneiras, até que ele tirou seu cacete para fora e mandou minha esposa apalpar, ela então segurou para ver se ele desistia, mas nada, ele persistia, e ela segurando aquela rola e punhetando, quando ele pediu para ela por na boca, ela disse que não, que não podia, e ele dizendo só um pouquinho, foi quando ela tremendo de tesão se abaixou e aquela cena me deixou chocado, ela se ajoelhou e abocanhou com vontade. Eu via a gostosa da minha esposa, totalmente exposta, a mercê daquele safado, acariciando as bolas dele e chupando a pica. Pela primeira vez pude vê-la segurando com as duas mãos aquele cacete gigantesco, não acreditei que ela pudesse agüentar aquilo, era descomunal, ela chupava olhando para cima. Ele perguntou se eu tinha desconfiado de algo e ela disse que não, que eu continuava bem mansinho. Ele falou que ia arregaçar a boceta dela e ela se apoiou com os ombros na pia, só levantou o rabo e disse: – Vem meu caralhudo que fiquei o dia inteiro pensando nisso, mas é só um pouquinho que o corninho pode desconfiar da demora.

Ele olhando pra porta querendo se certificar que eu não estava, segurou nas suas ancas e começou a meter em minha esposa já toda gemendo. Ele entrou na boceta de minha mulher bem lentamente até um terço do membro e parou, ela continuou empurrando o corpo para trás até empalar-se toda no pênis dele. Quando ela levou a mão para trás e segurou o corpo dele eu pensei que foi por sentir dor, então ela pediu a ele para ficar quieto um momento ou gozaria, mas não adiantou muito tão logo ele deu umas quatro ou cinco estocadas ela ergueu seu corpo e anunciou: – Aaai!!!! Estou gozando!!! Meu amigo esperou uns minutos e depois começou a meter forte. Que maravilha aquele potente arregaçando minha esposinha safada ali na cozinha. Ela engolia aquele cacete e gemia baixinho e ele dizia que ia arrebentar ela e que eu era muito corno. A boceta da minha mulher estava partida com aquele cacete enterrado. Ela começou a gozar de novo, então ele falou que iria gozar em sua boca, mas ela se negou e não deixou. Ele então punhetou aquele pauzão até gozar na bunda dela, nisso eu saí transtornado sem saber o que fazer e fui para o meu quarto, esperando a minha amada…….

Quando ela chegou, me abraçou e me beijou, dizendo que me amava e que eu era o melhor marido do mundo e que ela nunca iria me deixar e nem eu a ela, aconteça o que acontecer. Vendo-a falar dessa maneira, não disse nada, apertei a bunda dela melada de porra e transamos como loucos, ela como uma verdadeira puta, cheirando a rola. Eu adorei. Perguntei como ela estava e ela sorrindo disse: Estou toda abertinha, mas quero mais. Não queria estragar a festa da minha esposa. Resolvi, chutar o balde e contei a ela que vi o que ela aprontou na cozinha e que queria ver mais, apesar de estar confuso com tudo aquilo que presenciei…….

Pois então, a mandei ir ao quarto do nosso amigo, transar de novo e depois trazer ele pra nossa cama, que eu queria ver ele comendo ela, afinal já era CORNO mesmo e era meu sonho isto. Que mal tem o cara saber que eu já sei de tudo. Ela se surpreendeu com meu pedido e disse cuidado para não se arrepender depois.

Então ela foi. Mas o que aconteceu daí por diante eu conto depois pois o conto vai ficar muito grande…

Votem que público a continuação.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: Rasta
  • Membro desde: 12 de agosto de 2002

Outros contos de autoria deste autor Rasta

Ultimos contos escritos por Rasta »

Pesquisa