Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

Minha esposa com outro homem

  • Enviado: 11 de maio de 2002 10:47

Corpo do conto

Minha esposa tem 1,65m , 45 Kg, cabelos lisos e loiros até o ombro, seios que cabem na palma da mão, com bicos grandes e aréolas pequenas, bucetinha com poucos pelos raspadinha tipo “moicano”. Ela parece manequim. Tem 29 anos mas parece que tem 18. Eu sempre tive a fantasia de vê-la trepar com outro homem, mas ela sempre negou, dizendo que me ama, que é satisfeita comigo, etc… Nas nossas transas eu sempre falava da minha vontade e ela até que compartilhava, eu falava “quero ver você trepar com outro, levar uma vara maior que a minha e me chamar de corno enquando mete” e ela dizia “tá bom, mas e se eu gostar de dar pro outro? Você vai deixar eu dar sempre?” e eu dizia “sim claro que sim quero ver você gozando gostoso”. Isso sempre esquentou nossa transa e ficamos alguns meses assim na fantasia. Até que um dia eu propus a ela que saíssemos um pouco pois ficavamos muito em casa e precisavamos passear um pouco. Resolvemos ir a um bar dançante. Ela foi vestida com uma blusinha semi-transparente sem sutia e uma mini saia que a deixava mais gostosa ainda. Chegando lá ela foi muito paquerada e eu ficava com muito tesão imaginando coisas que sempre passam pela minha cabeça. Tomei umas caipirinhas e ela umas espanholas e logo estávamos mais soltos quando disse a ela que precisava ir ao toalete. Demorei uns minutos, pois o lugar estava muito cheio e quando voltei notei que ela estava conversando com um rapaz. Ele deveria ter uns 25 anos era boa pinta e minha esposa disse que era casada, mas como ele estava sozinho, poderia ficar na nossa mesa que eu não me importaria. Fomos apresentados e ele me elogiou por ter uma esposa tão bela. Conversamos sobre diversas coisas até que o assunto acabou em sexo. Como estávamos sob efeito alcoólico eu falei que tinha a fantasia de vê-la com outro e ela meio sem jeito, disse pra eu ficar quieto, mas o rapaz, entusiasmado, começou a perguntar e eu falei que tinha essa fantasia, que queria ver minha esposa gozando num cacete maior que o meu e me chamando de corno. Ela quieta sem dizer uma palavra quando o cara pra quebrar o gelo perguntou: “mas quanto seria um pau maior pra você? “ ai eu disse: “o meu tem 13,5cm e não é muito grosso…” então ele disse: “se sua esposa fosse conivente com sua fantasia eu poderia ajudar, pois o meu mede 20cm e é bem grosso”. De repente minha esposa fala: “só que eu já disse pra ele que se um dia acontecer, e eu gostar, ele vai ter que aguentar eu dando sempre pro cara, pois eu adoro gozar”. Nesse momento o rapaz pediu que ela fosse dançar uma música com ele. Os dois foram para a pista e eu podia ver ele colado com ela e tentando passar a mão na bunda dela por baixo da mini-saia e ela afastando-o, na segunda música ela já começou a se soltar mais, devia estar com tesão e eu de onde estava via a mão do cara sumir dentro da mini-saia de minha esposa. De repente estavam se beijando no meio do salão sem a menor preocupação comigo. Acabando a música os dois voltaram à mesa como se nada tivesse acontecido. Foi aí que eu chamei minha esposa de lado e perguntei se ela quiria ir pra um motel. Ela disse que sim, mas só se fosse pra realizar minha fantasia, ela disse que aquela noite tudo poderia acontecer e ela seria de outro como eu tanto queria. Saímos dali e ela foi no banco de trás com o rapaz beijando e se esfregando. Chegando no motel, ela foi falando pra mim: “agora seu corno, senta na cedeira da mesa que na cama você não chega nem perto hoje”. Os dois foram se despindo rápido entre amassos e logo estavam nus se abraçando. Quando vi o tamanho da ferramenta do rapaz, pensei que minha esposa fosse dar pra trás, mas ela pegou o pau do cara e falou “Olha corninho, esse pau mole já é maior que o seu duro”, aí ela pediu pro rapaz tomar um banho que ela daria um trato na ferramenta. Aí ele perguntou se ela não gostaria de dar banho ela mesma na ferramenta para que ela se certificasse que estaria limpinha e ela não se fez de rogada e assim o fez. Ela sentou na cama, e abocanhou a vara do rapaz que já estava dura, era imensa e ela mal conseguia enfiar na boca. Daí o cara se pos a chupar sua xaninha raspadinha que escorria de tão molhadinha… Ela gozou e disse que era hora de sentir um pau de verdade. O rapaz começou a colocar bem devagar e ela disse “olha corninho, agora não tem mais jeito, ele está metendo o pau na xaninha da tua mulher, ele tá me abrindo como você nunca abriu e está chegando em pontos que seu pau nunca alcançou”. Ela estava sendo arrombada na minha frente e eu adorava isso. Ela gozou um monte de vezes e o cara não gozava. Ela caiu na cama e pediu que o rapaz fizesse massagem nela, pois estava esgotada. Ela deitada de bruços, começou a ser massageada pelo rapaz que massageava-lhe toda da nuca a bunda. Ele começou a massagear mais a bunda e isso foi acendendo o fogo de minha mulher de novo e ele disse que queria gozar também, e que teria de ser no cuzinho dela, pra que eu me realizasse como um corno pleno. Ela disse que não iria aguentar aquela tora no seu cuzinho, mas eu disse que tinha KY e que iria facilitar. Ai ela concordou e disse “já que estamos aqui, vamos logo com isso”. O cara passou KY em seu pau e no cuzinho dela e começou a penetrá-la ela dizia “olha corninho até meu cuzinho já não é mais só seu! Ele está me arrombando e sempre que eu der o cuzinho vou me lembrar dele, e a partir de agora é pra ele que eu vou sempre dar. Tá gostando de ver sua mulherzinha assim, amor?”. Eu dizia: “Tô adorando, você gozando nesse pintão é maravilhoso”. O cara socava forte e ela pediu pra que eu fosse chupar sua bucetinha por baixo enquanto ela levava vara no cú. Eu prontamente me coloquei em posição e sentia a vibração do sexo que ela fazia em minha boca. Ela gozou como uma putinha e o cara gozou no seu cuzinho. Depois disso todas as vezes que transamos ela fala “quero repetir a dose, amor, pau grande e grosso é que é gostoso e eu não sabia”.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: Marcelo
  • Membro desde: 12 de junho de 2002

Outros contos de autoria deste autor Marcelo

Ultimos contos escritos por Marcelo »

Pesquisa