Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Meu vizinho tirou minha virgindade

  • Enviado: 17 de março de 2011 14:07

Corpo do conto

INÍCIO:

Primeiro deixe eu me apresentar. Sou filho único, meus pais são separados há anos. Fui criado pelo meu pai, um cara muito gente boa e ainda jovem (42). Acabei de fazer 17 anos, sou lourinho, como minha mãe, tenho 1,55, 57 k, cabelos claros e compridos cacheados, tenho a bundinha lisa branquinha e arrebitada redonda tipo de uma maçã, coxas bem formadas e macias, gosto do meu corpo… Bem vamos ao que interessa: alguns meses atrás um amigo de meu pai se mudou para uma casa ao lado da nossa, era um cara simpático negro 48 anos, 1,98 corpo definido, dono de uma loja de roupas femininas em um Shopping. Ele havia se separado há pouco e estava meio perdido e começou a frequentar minha casa todos finais de semana. Temos uma piscina pequena, mas deliciosa, sempre fiquei com shortinhos bem curtinhos e apertados quando estávamos só eu e meu pai; sempre fui ingênuo e achei que poderia continuar do mesmo modo. Na primeira vez que me viu assim, ele me olhou de cima a baixo de um modo muito diferente, na primeira oportunidade ele me elogiou “- Claudinho você é lindo, deve pegar todas as garotas da escola!” “- Nunca fiquei com ninguém!” falei. Mudei de assunto e fui nadar, a partir daí, sempre que ele estava lá em casa, ele estava sempre me elogiando e querendo saber da minha escola, de meus amigos, da minha vida, acabei acostumando e gostando de saber do interesse dele pelo meu dia a dia. Estávamos sempre conversando e ele começou a ir à minha casa quase todo dia, mesmo quando meu pai não estava e um dia ele me perguntou” – E aí Claudinho, já arrumou uma namorada?” “- Não!” “- E não tem vontade?” “- Não.” “- Já ficou com alguma gata, já beijou?” “- Também não!” “- Gosta de homem ou mulher?” “ – De ambos!” Depois deste dia as visitas quando meu pai não estava passaram a ser mais frequentes, sempre com um agrado, um abraço, um elogio, um dia veio a pergunta: “- Você tem vontade de fazer sexo?” “- Ultimamente, tenho pensado sim e tido muita vontade.” “-Com garoto ou garotas?” “-Não sei…” Ele sorriu, meu pai chegou e mudamos de assunto. Fui deitar e não consegui dormir, fiquei pensando na pergunta sobre garotas e garotos. Acho as mulheres lindas, mas com homens sinto uma coisa diferente, oh dúvida! Acabei adormecendo. No outro dia, assim que saí da escola e cheguei ao portão de casa ele estava me esperando com um pequeno embrulho na mão. “-Preciso conversar com você.” Estranhei, mas chamei ele para entrar, ele estava todo nervoso.”-Ontem depois que fui embora, fiquei pensando na nossa conversa até tarde, eu também, depois da sua dúvida resolvi me abrir com você.” “- Fala, estou curioso.” “- Estou apaixonado por você, quero você para mim!” “-Você pirou? já vi você me admirando, me olhando na piscina. Você tem um corpo bonito, e só isto” “- Então, você me deseja?” ” -Não sei não.” Ele me deu um embrulho, era um presente, Um perfume super caro (Erotic). “- Já que você tem dúvidas me deixe te ajudar resolver esta dúvida” “- Como?” ” -Como, tô apaixonado por você. vou tentar te conquistar como homem, já que somos amigos.” Fiquei mais confuso ainda, elogiado, querido, desejado e gostando de tudo que estava ouvindo, apesar do medo, não sei do que e do coração disparado. “- Se você aceitar meu presente, vai ser só o começo.” Com o coração a mil resolvi deixar o barco correr. Olhei para ele e dei um sorriso com vergonha. Abri o perfume, senti o cheiro delicioso, virei de costas para ele e morrendo de vergonha disse “- Aceito, mas com calma, sem forçar nada e se eu não gostar posso desistir?” Senti a respiração dele na minha nuca. “- Claro. Só vai rolar o que você desejar.” Senti o seu sorriso, me abraçou por trás, beijou a minha nuca e senti algo duro e enorme encoxar em mim, as minhas pernas bambearam na hora.”- Você não vai se arrepender.” “- Delícia.” Ouvimos um barulho, era meu pai chegando. Desvencilhei-me dele e fui tomar banho. Meu pai entrou ouvi os dois conversando, demorei no banho e quando saí, ele já tinha ido. Fiquei a tarde todo confuso e à noite ele não apareceu, então acabei a noite numa gostosa punheta. No outro dia ele só apareceu à noite com outro presente, um shortinho calcinha. “- Agora você vai ser minha namorada vou te encher de mimos. ” Achei que ele estava se precipitando, mas acabei sorrindo. Ele me abraçou quis me dar um selinho, virei o rosto e ele disse “- Amanhã volto, tá?” E se foi. Isto foi numa segunda feira, ele passou a ir todos os dias e sempre tentava me beijar. Eu dizia que não, mas na hora de ele ir embora, sempre ia com ele até ao portão e deixava ele me bolinar sempre um pouco mais, mas com vergonha. Assim foi a semana inteira. No final da semana ele teve que ir numa feira de modas e não estive com ele. Senti uma tremenda saudade, ele fazia falta, estava conseguindo o que desejava. Eu estava gostando daquilo e me descobrindo… A semana começou e ele apareceu logo na segunda, na hora de ir embora para o trabalho e eu estava lá no portão. Senti tanta falta dele que resolvi ir me soltando. À noite quando ele voltou, lá mesmo no portão, no escuro, deixei ele me dar um selinho e abrir minha camisa.

Cada dia eu deixava um pouco mais e comecei a tocar nele também, a pegar e tocar naquele pau, mas sempre por cima da roupa. Na terça feira pequei pela primeira vez no seu cassete, era enorme media, 22 cm por 5 cm. Pela primeira vez deixei ele por a mão por dentro da minha roupa e alisar minha bundinha. Estava difícil, eu estava com uma roupa meio apertada. Ele me perguntou: “- Tenho na minha loja umas camisas que as mulheres usam para dormir. Se eu te der uma, você usa amanhã, na hora que eu for embora? Claro, com a calcinha!” O dedinho dele alisou meu cuzinho com a calcinha. No outro dia ele me ligou na hora do intervalo e já veio cheio de coisas. “- Oi minha delicia, minha paixão.” Mandei ele parar e ele veio com esta, “- Sábado tem uma festa de máscara e fantasia… Quer ir comigo?” “-Quero, mas não tenho fantasia e não sei se meu pai vai deixar.” “-A fantasia, a máscara eu te dou, e já falei com ele, tá liberado.” “- Então eu vou.” Teria coragem de vestir roupa de mulher sim, mas não teria como. Depois ficariam todos me zoando da festa e da fantasia. “- Mas de máscara ninguém ficaria sabendo que era você.” Como eu iria sair de casa,meu pai ia achar muito estranho, nem pensar. Só fui vê-lo na sexta, chegou antes de meu pai e me deu o presente, a camisa. Antes de eu abrir ele falou “- Seu pai me ligou mais cedo e disse que queria conversar com nós dois. “- Você sabe o que é?” Meu coração disparou, pensei que estava tudo acabado, que meu pai descobriu que a gente estava de sacanagem. Fiquei paralisado, nem abri o presente, congelei… Fui guardar o pacote. Quando voltei meu pai estava chegando “- Que bom que vocês estão aqui” Meu coração quase parou, pensei (estamos ferrados) “-Vou viajar amanhã e só vou voltar na quarta. Como eu já deixei você ir à festa, você decide se vai para a casa de sua avó ou se o Julio concordar em ficar com você, mas com a promessa de que ele vai cuidar bem de você. Julio disse que se ficar comigo, vai ser bem cuidado, como se fosse uma filha.” Eu sorri, e como seria bem cuidado! “-Então eu fico com o Julio.” Meu pai foi dormir cedo, pois ia levantar quase na madrugada. Ficamos a sós, os dois na sala e ele começou a me bolinar e pediu pra eu vestir a camisa bem folgada e colocar a calcinha, concordei, mas disse “Tudo bem, mas minha fantasia é ficar assim, mas no portão, tá?” “- concordo, mas vamos logo.” “ Vou tomar um banho e já venho, me espera no escurinho, no portão.” Tomei banho, vesti a calcinha, coloquei a camisa que era branquinha, quase transparente, ficou igual a uma mini saia. Saí do meu quarto bem devagar me sentindo uma deusa… desliguei todas as luzes da casa e estava uma lua cheia maravilhosa. Na hora que o Julio me viu as narinas dele até dilataram de tesão. Naquela hora tive certeza de que aquele macho me desejava e deseja muito, com muito tesão, muito ardor.” Que visão dos deuses! “-Você esta deliciosa minha menina! ” A gente começou a namorar, ele com todo carinho do mundo me alisando toda. “- Amor, agora que seu pai vai viajar você tem coragem de vestir roupas femininas?” “- Ai! que bom aperta aí, é claro, agora que comecei vou fazer tudo que você desejar, mas tem que ser bem sexy.” Abri o zíper dele e puxei aquele mastro todo pra fora, punhetei ele um pouco e ele foi empurrando minha cabeça, fui me curvando e de repente eu vi aquela cabeçuda vermelha na minha frente se esfregando na minha boca. Achei que ia ficar com nojo, mas mesmo assim abri a boca tinha me decidido a fazer tudo que ele queria, estava a mercê dele, totalmente apaixonada, uma verdadeira putinha sendo liberada. Chupei com carinho, o sabor era muito bom, adorei, mamei muito enquanto isto ele ficava me alisando todo dizendo “- Aí minha bichinha, chupa gostosoo. Você é mais gostosa que todas as mulheres que já tive. Nunca comi um cuzinho, você vai deixar, vai amor?” “- Num sei ,vai doer tô com medo!” Ele me levantou de uma vez me beijou na boca, beijo cheio de luxúria, de língua, mordeu meu pescoço, me virou, me encostou no muro, tirou a minha calcinha, à luz da lua viu minha bunda, modéstia a parte gostosa e virgem, abaixou, abriu minha bundinha e senti algo úmido. Era a língua dele, tive que me segurar para não cair, as pernas bambearam na hora, ele foi subindo me mordendo toda e tirando todo o resto de roupa. De repente, estava peladinha ao luar na frete de um macho que me queria muito. Eu encostado no muro senti um dedo entrando em mim, brincou um pouco e senti outro e outro; estava ardendo um pouco, mas estava gostoso. “-Tá bom amor, fala pro seu macho: Julinho, fala ui! hum! tá amorr, tá deliciosoo. Vai deixar eu tirar seu cabaçinho, vai deixar eu te comer? Vai ser minha namoradinha, vai hem?” Senti que ele também estava peladão, aquela coisa dura se esfregando no meu cuzinho, não aguentei, empinei meu rabinho de maçã e disse “-Vai me come, você conseguiu, sou sua, me fode vai, eu quero.” “-Só amanhã… esperei até,te quero na cama bem confortável.” “- Aí amor faz de mim o que quiser…” Eu pequenininha envolvida por trás por aquele ébano delicioso senti quando me levantou por trás, senti o pinto dele se intrometer entre minhas pernas e sair na frente com um dedinho no meu cu e bombando entre minhas coxas eu ouvia “-Ai minha mulherzinha gostosa, aaiiii, aiiii” Ficou assim por uns 15 minutos e anunciou “-Aí amorzinho, tô quase gozando, você deixa.?” Eu já tinha ido sem nem encostar no meu pintinho Só balancei a cabeça que sim, ele acelerou o vai vem e na hora que estava quase gozando “- Aí minha fêmea, deixa eu gozar na sua boca, chupa?” Enfiei ele na boca estava quase explodindo, dei duas mamadas e recebi um jato quente e viscoso na garganta, engoli o primeiro e o segundo, mas o resto não deu era muita coisa e não parava. Gozou no meu rosto todo, vazava pelos cantos da boca, nunca pensei em dizer isto, mas eu adorei! Já imaginando quando a transa fosse completa dei um sorriso de satisfação. Fui à torneira do jardim e me lavei ele também, vesti a camisa e fiquei nu por baixo. Ele me abraçou e disse que me amava, que eu era a menininha dele. Fiquei nos braços dele aninhado e sendo tratado com muito carinho, ficamos assim por uns 15 minutos. Estava me sentindo tão bem que dei um gemido de satisfação. Ele se assustou, se sentou no degrau da escada me colocou no colo e perguntou “- O que foi? Te machuquei amorzinho? Tá doendo o rabinho?” “- Não amor, foi muito bom imagino o resto.” Abracei ele ali no colo mesmo, beijei a orelha e boca num beijo bem apaixonado, “- Eu te amo quero ser sua na hora que você desejar.” Comecei a rebolar no colo dele, estava peladinho por baixo da camisa. Eu senti ele começar a acordar novamente ficando enorme. Ele levantou e disse que tinha que ir embora “- Ficou com raiva, o que eu fiz de errado?” “- Não, é o que mais quero, quero muito, por isto mesmo tenho que ir, se não, acabo fazendo aqui mesmo e quero fazer como você merece como minha namoradinha” “- Então tá e amanhã como a gente vai fazer?” “- Você vai fazer tudo o que eu quero, vai se vestir com roupas femininas.” “- Faço tudo que você desejar, mas na hora de sair daqui tenho que me cobrir e sair sem os vizinhos verem minha roupa. “- Vou mandar uma capa junto com a roupa pra cobrir você todinho. O menino da loja vai fazer a entrega cedo, tá bom?” “- Cedo por que, amor?” “- Você disse que vai fazer tudo que eu quero, certo?” Levantou, tirou 500 reais e me disse “- Tenho um amigo gay que tem uma máquina de bronzear e faz depilação. Quero que vá até lá e se bronzeie à vontade, quero marquinha e se depile todinho. Apesar de quase não precisar, faça uma depilação igual a fêmea fogosa que você vai se tornar, só um moicano bem ralinho. Não precisa se preocupar, ele era amigo de minha ex, é bem discreto,vai ter uma parte do salão só pra você,vai ser só você e ele” “- Então, ta.” Levantou e disse que já iria, já era madrugada, tomou minha calcinha e disse que me dava outra depois que aquela ia ficar pra lembrança da minha primeira vez como fêmea. Abracei ele como namorada dengosa e carinhosa, beijei a boca dele e entrei bem devagar, sem barulho. Dormi como um anjo sem sentimento de culpa, acordei com a campanhinha tocando, esqueci que estava só, levantei do jeito que estava e fui atender era o garoto da loja do Julio com minha entrega. Entrei curioso e já fui abrindo o pacote: eram dois presentes, um biquíni fio dental estampado com um bilhete que dizia “- Pra minha princesa se marcar com marquinhas bem pequenas, 100 beijos, te amo.” e o outro era uma calcinha vermelha e preta com cinta ligas pretas, sutiã preto e vermelho sapatos de salto da mesma cor, gargantilha também e luvas longas de renda vermelha e uma máscara toda vermelha e uma capa que cobria tudo. Achei o máximo. Não pensei duas vezes, tomei banho e vesti o biquíni por baixo da roupa e fui até ao salão que ele havia falado, chegando lá me apresentei e disse que era o Julio que tinha me indicado. A bichinha sorriu e falou “- Oi, tudo bem já estava esperando por você, o Julio me pediu discrição, portanto não se preocupe. Me levou para um reservado e disse que sabia tudo que o Julio queria. Mandou eu tirar a roupa e me deitar quando me viu de biquíni disse “- Agora entendo todo empenho do Julio, você é lindo parece uma mocinha.” “-Tire tudo.” Fiquei meio acanhado, ele me depilou todinha, me deixou mais lisinha ainda na virilha fez um moicano bem ralinho fiquei de pé e escondi o pinto, fiquei igual a uma fêmea. Coloquei o biquíni novamente e deitei para bronzear. Fiquei lá até à tardinha. Julio tinha deixado um estojo de maquiagem pago, paguei o resto e fui para casa já com o coração a mil, imaginando o que iria acontecer. Mais tarde, não tinha mais jeito de voltar atrás e eu não queria mesmo! Estava amando a expectativa. Às 8 horas ele me ligou “- Oi tudo bem?” “-Fiz tudo, tudinho de modo que ordenou. “-Ficou bom? Depilou tudo mesmo, tudinho?” “-Se ficou bom, você vai dizer pessoalmente.” “- Então tá, te pego às dez.” Tomei banho e comecei a me arrumar, me maquiei bem de leve, deixei meus cabelos cheios de cachos, o vermelho e o cabelo louro ficaram radiantes com meu bronze. Vesti a calcinha bem cavada e com uma abertura no meio a cinta liga e a sandália, a gargantilha. Quando acabei a campainha tocou, me cobri com a capa, coloquei a mascara e fui atender a porta, era ele mesmo e só vendo minha maquiagem e minha máscara, ele babou, me deu um beijinho e disse “- Deixa eu ver o resto só na festa e no escuro.” Ele estava lindo fantasiado de James Bond, meu James de ébano. Pedi a ele para colocar o carro para dentro para eu poder entrar. Não queria correr nenhum risco de me verem toda assim. “- Então tá, vamos logo, tô doido para ver e sentir o resultado!” Entramos no carro e saímos rodamos alguns quilômetros e ele pegou minha mão e colocou no pau dele, estava duro igual pedra. “-Viu como você me faz ficar sua vadia gostosa?” Abri o zíper e senti que ele estava sem cueca, coloquei pra fora seu pau e comecei um vai vem, na hora que estava abaixando para mamar, chegamos. Descemos e reparei que só tinha coroa uma ou outra mais nova. Na portaria entregamos os convite e um amigo do Julio brincou “- Que namoradinha linda! Bem que você disse que estava com uma linda gatinha, será que ela tem uma amiga?” Sorri e entramos, o Julio todo orgulhoso. Fomos para um camarote com outras pessoas, mas bem escuro. Fiquei olhando as pessoas dançarem e ele veio por trás de mim e pediu que eu tirasse a capa “- Tira a capa paixão tenho certeza que você e a mais linda daqui” Tinha um cara prestando muita atenção em nós “- Tô com vergonha, pega um bebida para eu criar coragem”. Ele levantou e foi. O rapaz que estava olhando aproveitou e veio na minha direção. Virei pra pista de dança e ouvi “- Gatinha você é muito pro coroa, vai matar ele, se ele não der conta, tô aqui, alisou minha bunda e saiu de perto. Adorei aquilo me senti sexy, desejada. Julio voltou e perguntou o que ele queria,eu disse que era apenas puxar papo. Tomei minha bebida devagar já que não estava acostumado a beber, bebi devagar, mas o efeito foi rápido, comecei a sentir um comichão. Aproveitei que começou uma música e foram todos dançar na pista, retirei a capa. Todo com vergonha perguntei “- E ai amor gostou?” A gente estava na parte mais escura do camarote, saí um pouco pra luz “- Você tá linda minha bichinha.” “- Não fala assim fico com vergonha.” “- Tá bom tesão gostosa.” “- Melhorou.” Me abraçou, me puxou pro escuro e começou a me beijar. Sem se importar se alguém estava vendo ou não, começou a me dar um pega ali mesmo, parecia um polvo, me alisava todo. Começou a me pegar com força no escuro alisava meu cuzinho ali mesmo. Me virou de costas e me abraçou por trás dizendo “- Hoje esta bundinha vai ser minha,vou gozar dentro deste cuzinho virgem, fala pra mim fala se você quer.””- Hum hum, quero muito.” Ele estava a cada minuto mais agitado, me beijava e me abraçava por trás sem ninguém ver. Colocou o pinto na minhas coxas, eu já não aguentava mais e disse “- não aguento mais, vamos pra casa, eu te quero muito.” “-Também te quero,vamos vamos…” Vesti a capa e saímos, já no carro começamos a namorar. Coloquei seu pau pra fora e fui mamando até em casa. Esperei colocar o carro na garagem e desci sem a capa só de calcinha liga, e sutiã. Já era madrugada e na luz da lua fiquei mais linda ainda. Enquanto abria a porta senti aquele mastro me cutucando estava todo pra fora, adorei. Ai, fechei a porta e ele me pegou no colo me levou pro quarto de meu pai. A cama era de casal aquelas king, me sentou na cama e ficou em pé na minha frente, tirou a calça e aquela tora dura bateu no meu rosto, comecei a beijar, lamber e chupar ele todo, punha até ao máximo que aguentava na boca e ficava engolindo cada chupada. Fui deixando ele cada vez mais doidão e a mim também. Parei e pedi, “- me come meu macho, meu homem, me chama de vadia, de putinha, de bichinha, de seu veadinho, você quer mesmo seu veadinho, sua bichinha, sua mulherzinha?” “- Diga o que você deseja, diga me come, me fode, mete em mim, me abusa, me rasga, eu quero, eu queroo…” Ele me deitou de bruços, deitou do meu lado e foi alisando minhas pernas, minhas coxas, minha bundinha, minhas costas, passou o seu pinto da sola de meus pés até à minha nuca. Tirou minha calcinha e amou minha depilação e a marca de biquíni. “- Tá do jeito que sonhei, você vai ser minha.” Abriu meu cuzinho e começou a lubrificar com a língua, meus olhos viraram, comecei a tremer, quase desmaiei. Colocou um dedinho, dois e depois o terceiro, o desconforto passou e comecei a gemer de prazer. Senti ele se ajeitar em cima de mim, abriu minha bundinha, salivou meu cuzinho e a cabeça vermelha encostou-se na portinha e disse “- Se doer muito fala, eu paro não quero te machucar tá?” Não disse nada. “- Pode enfiar, pode, você pode, pode, eu quero, eu quero tudo.” Então segura ai, a cabeça foi entrando no meu cuzinho virgem bem devagar. Ardeu pouco, ele parou um pouco e tomou fôlego, parou de arder e foi ficando uma delicia sentir aquela pica enorme grossa me abrindo. Todos dizem que a primeira vez era dolorida… eu não senti, não sei se pelo tesão enorme eu estava adorando aquela pica dura no meu cuzinho, era dura mas ao mesmo tempo macia, aveludada… “- Tá doendo amorzinho, mas não quero parar não, tá muito bom ai, aii vai, vaiii”. Senti o saco dele na minha bundinha lisinha, ele tirou, deixou só a pontinha. Começou a empurrar de novo, fechei bem as pernas cruzei meus pezinhos e empurrei a bunda para trás, entrou tudo de uma só vez. Ele ficou bombando no meu cuzinho uns 15 minutos, cansou e pediu: “- Vamos trocar de posição?” “- Vamos paixão sou toda sua, me usa como quiser! Quando tirou senti um vazio, estava desvirginado e arrombado, mas estava amando aquele macho. Ele sentou, fiquei de frente para ele e fui sentando até sumir tudo no meu cuzinho novamente, fiquei cavalgando por mais uns 15 minutos… Às vezes devagar, as vezes rápido e quando ele disse: “-Vou gozar amor aii, que cuzinho gostoso aii” Só de ouvir isto gozei sem nem tocar. “- Pode amor, pode gozar minha putinha deliciosa, aii gostosa. Você nasceu pra isto aii pode, pode, vai, vai amor goza, gozaa, ai, uii, deliciaaa.” Ele virou sem tirar, fiquei de frango assado todo cheiroso e lisinho Ele estava maluco “- Eu te amo gostosa, você ser minha todo dia aiii, hum. Acelerou mais e mais,cada vez com mais força, agoraa aii aiii. Senti que estava vindo e me abri ao máximo… ele ameaçou de tirar e gozar fora. Abracei ele com força e beijei com muito amor aquele homem que me descobriu, me amou e me fez uma putinha muito feliz. Com olhos cheio de lágrimas eu disse “- Quero você esporrando dentro mim goza, gozaa meu amorr. Senti algo quente lá no fundinho, estava muito gostoso Ele me beijou e foi gozando, gozando tudo no meu cuzinho. “-ai, aii, Julio, meu amorr, meu machoo”. Ele descansou dentro de mim até murchar. Ficamos deitados um do lado do outro. Com ele me fazendo carícias, disse: “- Foi bom meu viadinho? foi? Tirou seu cabaço, gostou? Fala aí?” – Foi muito bom,

você é um macho e tanto.” “- Você não viu nada, é só o começo ainda, temos quatro dias só nossos.” Levantei e fui tomar banho imaginando o que estava por vir.Mas isto eu conto depois. Desculpem se foi longo, mas achei que valia contar tudo.Se quiserem me add no MSN lindinhomg24@hotmail.com Escreva sua historia para mim.

No Responses to “Meu vizinho tirou minha virgindade”

  1. Mesmo sendo longo seu conto, foi excitante, boa sorte a vc.

  2. Esse conto uma delicia. Fiquei excitado do nicio ao fim. Que femeazinha maravilhosa.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: lindinhomg
  • Membro desde: 23 de março de 2010

Outros contos de autoria deste autor lindinhomg

Ultimos contos escritos por lindinhomg »

Pesquisa