Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

MEU AVÔ FOI O LOBO MAU QUE ME COMEU…

  • Enviado: 8 de junho de 2007 18:28

Corpo do conto

Meu nome (apelido) é Naty, acabei de ganhar um carro zero quilômetro do meu avô, pois fiz a poucos meses 18 anos e estou tirando a minha carteira de motorista. O carro é o motivo de escrever aqui a minha história depois de ler alguns contos eróticos. Quando eu tinha 14 anos, comecei a perceber que tinha o poder de seduzir os homens (na época apenas meninos): morena, cabelos lisos e compridos, corpinho perfeito  peitinhos pontudos, cinturinha fina, bundinha provocante e coxas volumosas. Fui virando uma safadinha no bom sentido. Gostava de deixar os meninos (só os bonitinhos), me dar uns amassos até ficar excitado. Eu me sentia a verdadeira boazuda segurando de vez em quando um pau na mão até o menino gozar. Apesar de deixar alguns encostar o pinto na minha xoxota ou na minha bundinha por cima da calcinha, nunca deixei nenhum me comer de verdade, o máximo que já cheguei foi a de chupar o cacete de um rapaz muito bonito e que tinha um pinto realmente gostoso. Quando eu já com meus 16 anos, sempre preocupada em fazer uma sacanagem aqui e ali e já doida pra ser descabaçada por um príncipe ou quem sabe até por um LOBO MAU não percebia os problemas que estavam acontecendo dentro da minha casa. Um belo dia, minha mãe chorando me pediu pra arrumar minha mala que meu avô (pai dela) ia vir nos buscar. Depois de muita insistência e ela dizendo que já era uma mocinha resumiu o problema. Meu pai tinha descoberto que ela o estava traindo e pediu a separação… ela alegou que traiu sim porque meu pai já não a procurava mais na cama. Minha mãe sem modéstia, apesar dos seus 36 anos (casou com 18), era uma mulher muito bonita (tive a quem puxar), um corpo perfeito daquele e sendo desprezada pelo meu pai, tinha mais era que trair mesmo. Fomos morar com meu avô, que tendo ficado viúvo a pouco mais de um ano, morava sozinho numa casa bem grande. Meu avô estava com uns 56 anos, mais era um homem ainda muito forte; não demonstrava a idade que tinha, parecia bem mais novo. Minha mãe muito abalada pelos acontecimentos, passou a dormir somente com o poder de tranqüilizantes, podia explodir uma bomba que ela não acordava. Depois de alguns dias na casa do vovô, eu e ele assistindo TV minha mãe apareceu na sala vestindo uma camisola e sentou conosco dizendo que não estava conseguindo dormir mesmo tendo tomado o remédio. Ficamos os três ali entretidos assistindo uma novela quando olhei minha mãe já dormindo toda torta encostada no sofá. Meu avô pegou-a no colo e levou-a até o quarto voltando pra sala. Depois de alguns minutos dei um beijo nele e fui pro meu quarto dormir. Acordei; não sei quantos minutos depois, e fui beber um copo de água, quando passei pelo quarto da minha mãe percebi a luz acesa. Quando entrei deparei com uma cena que me deixou estática por alguns segundos. Meu avô estava de camiseta e pelado na cintura pra baixo segurando as pernas da minha mãe com os braços e metendo a vara na buceta dela. Ele tirou aquela trolha de dentro da minha mãe e eu corri pro meu quarto e meu avô mesmo pelado me alcançou antes de poder trancar a porta. Eu muito assustada fiquei encolhida sobre a cama e ele tentando se justificar. Falou que o que ele fez era uma coisa muito errada, mas que ele tinha perdido minha avó e que minha mãe era muito parecida com ela quando minha avó era mais nova, e que ele sentindo muito falta e com minha mãe dormindo feito uma pedra sob o feito do remédio, ele não resistiu e fez aquilo sabendo que minha mãe ao acordar não ia perceber nada. Foi aí que ele me prometeu se não contasse nada pra minha mãe, quando eu fizesse 18 anos ele me daria de presente um belo carro. Como o ser humano é corrupto, eu acabei virando cúmplice do meu avô. Relaxei e olhando pra pirocona ainda meio dura do meu avô, prometi segredo pra sempre e perguntei se ele ia voltar pro quarto da minha mãe… ele então disse só se eu permitisse. Eu disse que permitia se ele deixasse ficar olhando. Retornamos ao quarto da minha mãe que continuava com a camisola levantada e as pernas abertas. Percebi que meu avô era um tarado de carteirinha… sem se importar com a minha presença ele tornou a levantar as pernas da minha mãe e enterrar a piroca na buceta dela. Eu fiquei perplexa como ele socou a buceta da minha mãe gemendo como um animal e olhando pra mim dizendo. : Naty! Segura aquela toalha aqui perto que o vovô está quase gozando…. Ele tirou a pica de dentro da minha mãe e apontando pra toalha que estava na minha mão espirrou vários jatos de porra. Fiquei com o corpo tremendo de excitação e meu avô terminando vestiu a calcinha da minha mãe e ajeitou-a sobre a cama. Pegou na minha mão me levando pro meu quarto caminhando ainda nu de cintura pra baixo com seu instrumento balançando; mesmo mole era muito grande… : Olha minha netinha! Se manter sua promessa o vovô vai te dar o seu carro e tudo que você precisar pode me pedir, ta???… : – Ta bom vovô! Se é assim, pode deixar que eu vou cumprir… e se precisar da minha ajuda pra fazer aquilo de novo e só pedir… : Há sua safadinha! Você gostou de ver o vovô metendo na sua mãe, né??… Eu confirmei com a cabeça sem tirar os olhos da sua pica que estava com ele ali sentado na beirada da minha cama, bem próximo de mim. Então ele me perguntou se eu queria que ele me fizesse carinho pra eu dormir. Eu achei que seria um carinho normal e consenti. Ele debruçou sobre a cama e começou a puxar meu short junto com a calcinha dizendo.: Você vai ter o melhor carinho que já recebeu na sua vida minha netinha linda!… Eu prendi a respiração sem esboçar nenhuma reação… então ele abriu minhas perninhas e enfiando a cara no meio delas lascou sua língua enorme na minha bucetinha. Eu senti um choque delicioso percorrer meu corpo e um prazer foi me possuindo.. Ele me lambeu, chupou, mordiscou os lábios vaginais me levando a loucura… senti um orgasmo tão bom que comecei a pedir.: : Ai vô! Que delícia!… chupa mais… chupa… ohhhh! Ohhhh! Huuuuu!…. Ele largou minha buceta e foi subindo com a língua úmida pela minha barriga e já levantando minha blusa até tirá-la e chegar nos meus peitinhos… chupou com vontade os biquinhos que estavam ouriçados e durinhos. Ele meio de lado me chupando pude ver sua piroca ir tomando volume até ficar do tamanho de quando ele enfiava na buceta da mamãe. Minha boca encheu d´água e quando ele deu um tempo nos meus peitos rapidamente agarrei aquela pirocona e caí de boca já lambendo a cabeça vorazmente. : Então sua putinha! Você gosta de chupar uma pica, hem??? …. isso sua safada…mama na piroca do vovô, mama!… Abri bem a minha boquinha e coloquei o que coube dentro fazendo bastante pressão subindo e descendo meus lábios. Vovô foi gemendo, gemendo até soltar um grosso jato de porra dentro da minha boca e pedindo pra não parar de chupar…. eu engoli e continuei a mamar recebendo e engolindo cada gota que saia daquela vara. Ele deitou ao meu lado e me abraçando procurou minha boquinha num beijo forte e com os dedos massageou sem enfiar o dedo a minha xoxota até eu ter um novo orgasmo. Dormi super feliz e quando acordei agi perto dos dois como se não tivesse acontecido nada. Naquela noite quando percebemos que minha mãe tinha tomado seu remédio e ido pro seu quarto, eu perguntei ao meu avô. : E aí vovô! Você vai querer ir no quarto da mamãe???… Ele então falou.: Eu prefiro ir no seu quarto!… você quer???… Eu já louca pra levar outra chupada na buceta falei que queria. Esperamos um tempo e ele me pediu pra verificar se minha mãe já estava dormindo. Fui e retornei eufórica dizendo que ela já estava dormindo. Caminhamos dessa vez pro quarto dele e ele rapidamente ficou pelado deitando na cama e me pedindo pra ficar de pé sobre a cama e ir tirando a minha bem devagar. Ele deitado já com a pica a meia bomba eu coloquei uma perna de cada lado do seu corpo e iniciei um strip-tease: tirei primeiro minha blusa, depois tirei o short pra logo em seguida tirar o sultiã esfregando as duas mãos nos meus seios provocando o velho como uma puta profissional… quando eu tirei a calcinha e joguei-a sobre a cara dele, ele ficou louco e me puxou pelas pernas até chegar com minha xana na sua cara…. : – Que bucetinha linda minha netinha!…. o vovô ta ficando louco por você…. Ele me fez deitar e iniciou beijando os meus peitinhos até chegar no meio das minhas pernas… lá ele chupou me deixando encharcada e pediu.: Naty!!! Você deixa o vovô meter na sua bucetinha??… Minha buceta já estava pegando fogo de vontade de levar uma pirocada… naquele momento percebi que meu avô que era o Lobo Mau que ia me comer e arrancar meu cabaço. : Vem vovô! Minha buceta é toda sua…. quero essa sua pica toda dentro de mim… vem!… Ele levantou uma das minhas pernas e debruçou sobre mim segurando sua vara com uma das mãos encostou-a na minha racha… pra facilitar eu abri bem os lábios da minha xana com as mãos pedindo. : Enfia vô!… enfia!…. ele deu uma estocada de leve abrindo meu buraquinho que envolveu somente a cabeçona… senti uma fisgada profunda e trinquei os dentes aquentando firme… ele enfiou mais um pouco e eu senti minha virgindade sendo rasgada… dei um berro tão alto que meu avô se assustou tirando sua pica rapidamente… ela estava vermelha molhada com meu sangue. As lágrimas começaram a escorrer dos meus olhos e meu avô preocupado foi me fazendo carinho e me beijando dizendo que não ia continuar. Deitou do meu lado e ficamos por vários minutos sem dizer uma palavra. Aquela ardência foi aos poucos diminuindo e apesar de ainda sentir um pouco de dor, pedi. : Vô! Você tem que terminar o que começou… eu quero sentir seu cacete todo dentro de mim…. Ele então voltou pra sua posição e iniciou novamente… senti a cabeça da sua pica entrar e depois o resto foi me penetrando até sumir totalmente dentro da minha xoxota… o prazer que eu estava sentindo com aquela piroca roliça dentro de mim era maior que a dor… e meu avô começou a movimentar sua cintura pra cima e pra baixo fazendo sua pica sair e entrar dentro de mim num ritmo lento porém firme… tive a impressão que alguma coisa estava crescendo dentro de mim com aquela pica batendo lá no fundo das minhas entranhas e eu gozei numa explosão repentina.  Ai vô!… to gozando!… to gozando!…. to gozando!…. : – Goza!… goza minha netinha!… goza que o vovô ta quase gozando também…. Ele tirou rapidamente sua pica de dentro de mim e segurando com a mão foi movimentando numa punheta e espirrando toda sua porra sobre o meu peito. Tomamos um banho juntos e fui pro meu quarto dormir toda ardida mais feliz. Passei um dia apenas sem transar com meu avô, pois minha buceta ainda se recuperava. No segundo dia meu avô disse que ia pegar minha mãe novamente depois que ela fosse dormir e se eu queria assistir. Naquele dia eu mesma providenciei o remédio pra minha mãe e fiquei no quarto até ela pregar no sono. Chamei meu avô, mas quando entramos minha mãe tinha virado de bruços; mesmo assim meu avô levantou a camisola e tirou a calcinha deixando a bundona da minha mãe exposta. O velho tarado alisou a bunda e abriu as nádegas beijando e cheirando o rego da minha mãe me dizendo que tinha uma vontade louca de comer o cu da própria filha, mas que ele tinha era medo de no outro dia ela acordar com o cu ardendo e desconfiar de alguma coisa. Delicadamente virou minha mãe de frente e iniciou o ritual de enfiar na xoxota e ficar bombando e gemendo como um animal. Fui ficando elétrica e querendo novamente a piroca do meu avô, e pedi. : – Vô! Mete um pouquinho em mim…. eu estou quase mijando de tesão… Ele muito filho da puta, me colocou de quatro e invés de meter na minha bucetinha colocou seu pau encostado no buraco do meu cu, dizendo. : – Ah netinha! Se eu não posso comer o cu da sua mãe, vou comer o seu cuzinho que deve ser mais gostoso…. Eu fiquei apavorada sentindo ele cuspir no meu rego até escorrer e chegar no cu onde estava seu cacete… O Lobo Mau era muito mau… sem ouvir minhas súplicas pra ir com calma, ele foi enterrando sua piroca no meu cu que senti uma dor tão forte que pensei que ia desmaiar. Depois que seu grande saco balançando já estava batendo na minha xoxota, ele ficou um tempo parado até eu recuperar o fôlego… Depois começou a puxar sua pica até a cabeça chegar na portinha e tornar a enterrar até o fundo. Uma sensação deliciosa foi tomando conta do meu corpo e sem pensar na dor curti a piroca do meu avô comendo minha bundinha… Ele me cavalgou como seu eu fosse uma égua e ele uivava como se um lobo fosse realmente até jorrar uma quantidade interminável de porra dentro do meu cuzinho. Quando minha mãe arrumou outro macho e foi morar com ele, eu continuei a morar e ser a amante do meu avô que incansável me fode quase todos os dias. (FIM).

One Response to “MEU AVÔ FOI O LOBO MAU QUE ME COMEU…”

  1. conto delicioso fernandasouzasantos@gmail.com

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Pesquisa