Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Irmão da minha melhor amiga (Parte 1)

  • Enviado: 8 de fevereiro de 2008 20:57

Corpo do conto

Tudo começou quando entrei no 2º grau, era novo na cidade, começava em colégio novo, minha família mora em uma cidade bem pequena no interior do Paraná, e então vim embora pra Curitiba fazer o 2º grau. Não era acostumado com cidade grande então eu fui uma semana antes pra me familiarizar com o caminho do colégio, ruas e tal, pra não andar muito perdido quando começassem as aulas. Eu tava morando num apartamento muito bom, na verdade o prédio e muito bom, o apartamento e bem pequeno só pra mim mesmo, prédio pequeno, tem três andares e dois apartamentos por andar, a área externa e ótima, tem piscina, e ninguém usa por que no prédio só mora gente velha. Já vi que de cara ali não faria nenhuma amizade.

No inicio das aulas, cheguei bem antes no colégio, é bem grande e muito diferente do meu antigo colégio de cidade pequena, tinha tanta gente bonita, eu tava encantado, e meio isolado. Quem já passou por isso sabe como que é.

Fui orientado pra onde ir por um inspetor que tava por lá, olhei meu nome em que lista de turma estava e fui procurar minha sala, o sinal tocou, eu entrei na sala era como se fosse um auditório, o professor ficava em cima de um palquinho, e as carteiras dos alunos ficavam em um tipo de escadaria, sentei bem na frente, do meu lado sentou Ana Luiza, uma menina bem simpática que parecia conhecer todo mundo, como ela era muita extrovertida ela levantou-se e foi na frente falar pro professor fazer uma apresentação pra conhecer os novos alunos. Ela foi se sentar e então começou a apresentação de um por um, logo como sentei bem na frente e na ponta iniciei, falei de onde tinha vindo e tal, depois de um tempo ela puxo papo comigo, e no intervalo já me apresento pra todo mundo, logo já estava feliz por ter feito amizades rápido.

Passou umas semanas e eu e Ana já estávamos muito amigos, ela me ajudava muito por não conhecer bem a cidade, logo começamos ir juntos pra aula porque morávamos perto, as vezes alguém da casa dela levava a gente de carro. Geralmente o pai dela ou uma irmã, ate um dia que estava eu parado em frente ao meu prédio e ela chega lá com outra pessoa no carro, já buzinando pra eu subir logo, então entrei e olhei o ser que estava ali do lado, quase enfartei.

Ana falou:

_Ale, esse e meu irmão Gustavo, acho que agora que ele ganhou esse carro ele vai leva a gente meio que todo dia pra aula por que e caminho pra faculdade dele.

_Ah. Que bom. Prazer Gustavo. Sou Ale.

Ele como típico curitibano foi meio frio e não me deu muita bola. Mais eu quase enfartei de ver aquele cara lindo, ele tem 1.80m, saradinho, cabelos arrepiado pra cima, e muito bonito, e usava aquele dia uns óculos de sol que deixou mais charmoso ainda.

Seguimos pro colégio e na saída ele foi mais simpático.

_ Cuida da minha irmãzinha aí em Ale.

Eu quase morri a hora que ele falou comigo ainda mais que ele tirou os óculos e olho bem pra mim a hora que ele falou comigo, eu na época era novinho, mesmo. Tinha 14 pra 15 anos, 1.73m 63 kg. Corpo legal, um rosto bonito, já fiz vários trabalhos fotográficos.

Eu respondi:

_Pode deixar. Não me vinha mais nada na cabeça na hora pra falar.

Eu e a Ana entramos para o colégio. Eu não parei de pensa naquele cara nenhum minuto naquela manhã.

A semana foi passando e o Gustavo tava indo levar a gente todo dia pra aula, e sempre meio em silencio enquanto eu e Ana papeávamos mais do que duas lavadeiras, ele só ria da gente.

Na sexta a Ana me falou pra gente espera na saída do colégio que o Gustavo ia dar uma carona pra gente.

Logo ele chegou e entramos no carro. Então ele e Ana começaram a comentar de uns problemas que os pais deles estavam passando e que tava um inferno o clima na casa deles, eles queriam deixar os pais deles meio sozinhos uns dias, sem problemas pra ver se melhorava. Como eu morava sozinho falei.

_ Bom, vocês sabem que moro sozinho, se quiserem podem passar o fim de semana lá em casa, ele ficou meio assim e a Ana na hora fico feliz.

_Ai que idéia boa, vamos poder biscatear à noite toda!

(Gustavo) _Biscatear o que? Se comporta guria, não sei ainda. A Célia (outra irmã) falo pra gente ir pra praia quem sabe.

(Ana) _Pois vai você com ela e o namorado dela, eu não vou segura vela com eles não. Ai. GU vamos ficar lá no Ale, a gente pode sair biscatear a noite pra ver se você ou eu ou Ale desencalha.

_Vocês dois são novinhos de mais pra sair assim pra balada. Acho melhor não.

_ Que foi que deu em você que ta tão chato assim? Credo GU.

(eu falei) Bons vocês que vejam aí, o convite ta feito. Se quiserem e só me ligar depois então Ana.

_Não sei meu irmão mais eu vou.

Aí começaram a discutir entre eles e eu logo sai do carro pensando comigo. Não devia ter falado nada. (doce ilusão… eu pensei isso por que não sabia ainda o que me esperava a noite).

No meio da tarde a Ana me ligou e falou que eles iriam sim. Então nos encontramos e fomos ao mercado. Eu peguei uma cestinha pra comprar comida e a Ana foi correndo pego um carrinho, Falando que ia compra um monte de coisas, falei que não precisava de tantas coisas, ela falo. Me deixa filho, o Gu vai vim buscar a gente aqui no mercado, e só a gente da um tempo aqui pra ele volta pra casa, pegar as mochilas que já tão prontas que ele vem aqui.

Concordei. Eu sempre ia à onda dos outro.

Bom a Ana compro bebida, já vi que o negocio não ia prestar não mais tudo bem, ficamos andando no mercado até o irmão dela ligar, ele fico esperando no estacionamento e saiu pra guardar as compras no porta malas.

(Gustavo) _Quanta bebida meu deus.

(Ana) _olha só, vamos nos divertir hoje? Preciso desestressar irmão.

(Gustavo) _quero só ver isso. To achando que vai dar errado isso Ana.

(pra amenizar eu falei) _ gente, cada um sabe o que faz quem quiser beber bebe e tal. já estamos crescidos todos.

(Gustavo) _Vocês são crianças gente.

(Ana) _Gustavo, pare já com isso, criança nada. melhor eu beber perto de você do que longe.

Resumindo fomos pra casa, o GU guardou o carro na garagem e foi assistir TV na sala enquanto eu e Ana preparávamos umas batidas na cozinha.

Começamos a beber, e Gu também, e logo estávamos todos meio alegres, o GU foi se arrumou rapidinho, ele saiu do meu quarto lindo, ele arrumo bem os cabelos, tava com uma calça jeans clarinha, uma camisa pólo branca com listas azuis e um Nike.

Àquela hora tiver certeza que ele viu que eu babei nele, ele me olhou e deu um sorriso sem graça. A Ana andava por dentro do apartamento meia bêbada puro uma atentação, cantando e procurando as coisas dela, deixamos ela se arrumar no banheiro, ela tomo banho, cantava puro uma desesperada lá dentro, eu só ria, entrei no meu quarto e tava com vergonha de sair não achava roupa nenhuma, ouvi Ana saindo do banheiro e gritando que só faltava por o sapato, e eu ainda tava de cueca vendo minhas roupas, e gritei que já tava quase pronto.

Peguei um baby look, Jeans escuro e um Nike preto, e coloquei um boné na minha cabeça por que não ia dar tempo de arruma meu cabelo com a pressa que Ana estava em ir.

Saí do quarto a Ana falou que demora hein. Ganho de mim. O GU tava na sacada e me olhou e sorriu de novo e fiquei muito sem graça. Fomos pra garagem pegamos o carro e quase enfartei a hora que a Ana me disse, vai na frente que fica melhor eu ir sozinha atrás, quero ser vista.

Saímos e fomos direto pra Avenida Batel, onde tem vários barzinhos e umas babadinhas, o movimento lá é intenso. A Ana tava com a cabeça pra fora mexendo com todos os homens da rua. ela gritava pra eles. Oi Delicia. O delicia lá na minha cama. daí pra pior. O Gustavo tava de cara com ela e eu só ria. ela ate falou. GU, você acha que eu nunca dei? Eu já dei. Ela tava muito bêbada e ele tava sem graça de ouvir aquilo, chegamos a uma balada, paramos em um estacionamento, o GU conhecia os donos do lugar e entramos por traz sem pegar fila nem pagar nada, tava bombando lá dentro, cheio de gente bonita, eu e a Ana saímos pra biscateara e o Gu ficou com uns amigos dele, um mais gostoso que o outro, a Ana tava bebendo mais lá, e eu junto, ate a hora que começou tocar funk, e eu e a Ana lá no meio biscateando dançava se esfregando, todo mundo olhava a gente, tentava dança igual. Batiam palmas, eu vi muitos caras me olhando, e daí tava me achando, Só senti uma mão puxando eu e a Ana pro canto, era um cara muito gostoso, e falo na lata. Vocês querem ir pro motel comigo e mais um amigo? Eu parei na hora e a Ana começou a rir.

Quando o Gustavo viu aquilo ele e um amigo foram lá, e puxarão, o Gustavo falando vamos pra casa.. Nós falamos que não que tava legal, ele falo pra gente se comportar. Ai ficamos ali na roda de amigos dele, e a Ana já se pego com um ali e estavam quase se comendo, o Gustavo não tava gostando do que tava vendo, mais ele e do tipo de irmão que vê e fala, mais não faz nada pra empatar a vida.

Quando eram umas cinco da manha a Ana só falou pra ele, to indo antes com o Murilo, depois te ligo pra você abrir a porta do prédio pra mim ta?

_O Gu falou o que?

_Nada só fez cara feia. Mais só vou dar uns beijos. No stress.

_ta bem. O GU também vai leva a Guria que ele ta beijando ali. Vou ir de táxi pra casa, ele também deve pra lá também.

_quer que eu e o Murilo te deixemos lá antes?

_não. Da onde. Eu me viro. Vai logo.

_Ta bem.

Ana saiu, então fiquei meio desolado ali com aqueles homens todos. me senti meio mal até, e o Gu tava de lado beijando a guria, então fui no banheiro, e não voltei lá, pensei comigo. Vou dar mais um tempo e volto a pé, por que eu idiota nem peguei dinheiro, tava só com o cartão de credito.

Bom, fiquei num canto lá, e acho que o Dj foi tocar as ultimas dele, começo a toca funk de novo, e eu pedi mais uma bebida e virei num gole, e fui lá pro meio dançar, já tava vazio aquilo, tinha pouca gente, e na hora ainda tocava o creu. E eu dançava puro uma atentação, sozinho lá no meio. Comecei a encarar um cara que estava no camarote, e ele também me olhava à hora que acabou o creu, eu fui sentar, ele chegou perto de mim falando, você dança bem de mais, ta sozinho?

(eu quase tive um enfarto, meu deus, eu não conseguia fazer nada e nem fala nada. Ele era lindo. Tinha cabelos cacheados loiro, olhos castanhos, 1.75m mais ou menos e um corpo lindo, e uma mala então que fechava o pacote). Só respondi que estava sozinho, ele sento do meu lado, pediu se eu queria beber e tal eu no grau que tava acabei pedindo pra ele alguma coisa pra beber então, começamos a conversar e eu já tava vendo que ia rola algo, só tava com medo por que ainda era virgem, ele se ofereceu pra me leva embora e eu aceitei na hora, levantamos pra ir embora, ele falou que já voltava, pegou minha ficha e pagou, eu fiquei de cara com aquilo, e acho que o Gustavo viu, a hora que ele viu que eu tava indo com o cara ele fez um risco pra lá , me puxou pelo braço e falo:

(Gustavo) _Ta indo pra onde?

(Eu) _to indo com ele embora.

(Gustavo) _Você conhece esse cara?

(nisso o Gabriel, nome do cara, Veio e pergunto se eu tava com problemas eu falei que não, e o GU fez uma cara de demônio pra ele que ate eu fiquei com medo).

(Gustavo) _Conhece ele pra ir embora com ele?

(Eu) _Não, conheci agora, e como eu não tinha com quem voltar resolvi aceitar o convite dele.

(Gustavo) _Como ninguém ia te levar? Eu ia com você embora.

Nessa hora meu chão sumiu, minha pressão baixou e quase desmaiei de verdade, só respondi que não queria segurar vela pra ele e a guria, ele falo quem nem ia com ela embora que era só uns beijos de balada e tal.

Falei. Então ta vamos juntos embora, só vou fala com ele ali.

O Gu não saiu dali e ficou olhando.

(Eu) _Gabriel, vou volta com ele por que ele vai posar no meu apartamento com a mana dele e não tem como entra lá depois. Inventei mais um monte de desculpas, ele pego meu fone e disse que me ligaria no outro dia.

Gustavo me pegou pelo braço e falo, vamos pra casa por que você ta dando um passo pra frente e três pra traz. Não ta bem. Concordei, ele pago a ficha dele, e como eu já estava com a minha paga, fomos pro carro, no caminho um cara veio falando pra mim. Vem você e sua amiga dança o creu aqui pra mim e pros meus amigos. Gustavo deu um empurrão no pia e ele caiu no chão. O cara não falou nada e saiu dali.

(Eu) _Obrigado GU!

(Gustavo) _Nada. Só vê se da próxima vez você e a Ana não fazem isso, que os caras caem em cima mesmo, ainda mais que Ana e linda, e você quando dança funk fica lindo.

A hora que ele disse isso eu olhei pra ele sem graça e ele ficou mais sem graça ainda por que viu que falou um pouco alem do que devia quase morri de vergonha, entramos no carro, e fomos embora, eu até hoje não acredito que eu fui capaz de dormir. E bêbado quando dorme já viu né. Ele pegou minha chave, guardou o carro, veio do outro lado e me pego no colo, essa hora eu acordei e comecei tremer, porque ele tava me levando pra cima no colo dele, eu disfarçadamente coloquei a mão no peito sarado dele e quase que enfartei ali, eu o ouvi pensar alto dizendo. Espero que a Ana não esteja nesse estado.

Ele me colocou de pé e fico me segurando contra seu corpo, fez isso para abrir a porta, eu estava quase morrendo ali, sentindo aquele corpão me pressionando, eu não sei como não tive um troço ali, ele me pegou de novo, me levo pro meu quarto, e eu fingindo estar dormindo, ele tava todo atencioso comigo, já tinha arrumado tudo, minha cama e de casal e ia dormir eu e a Ana ali e ele no outro quarto. Ele pegou meu pijama que estava em cima de uma cadeira, e tiro minha roupa, eu tava adorando tudo aquilo, eu vi que ele passou a mão na minha barriga, mais eu nem esboçava reação por causa do meu estado, ele me vestiu, foi ao banheiro, aí eu apaguei.

Acordei ate bem umas oito da manha, e olhei pro lado ele tava dormindo do meu lado, tava coberto e sem camisa, meu deus do céu, pense em alguém que deu um sorriso de orelha a orelha, olhei meu celular nada da Ana, deitei de novo, nisso ele acordou também me olho eu fingi que tava dormindo, ele deito de volta. Umas 11 da manha meu celular começa a vibrar, eu acordei e pro meu espanto, ele tava deitado bem coladinho em mim, meio de conchinha só que sem abraçar, queria aproveitar meu momento, mais meu celular tava me chamando tive que ir atender, pois tava preocupado com a Ana.

(Ana) _Amor, deixa eu fala com meu irmão preciso fala com ele.

(Eu) _Ana o que aconteceu? Onde você ta?

(Ana) _Nada não só quero fala com ele.

(Eu) _ta bem. Vou acordar ele, Ai eu falo pra ele te ligar ta?

(Ana) _ta bem. Beijos.

Fui ate lá, e comecei a cutucar ele que foi acordando bem de vagar, levanto e passo a mão nos olhos, meu deus. Que visão, aquele corpo, sarado, a barriga definida, disfarcei um pouco pra ele não perceber nada. Falei pra ligar pra Ana.

(Gustavo) _OI Ana onde você ta?

(Ana) _To na casa do Murilo, Viu vou pra Ponta Grossa com ele e a família dele no parque de vila velha, pega o Ale e vem aqui pra irmos.

(Gustavo) _Na boa Ana. Se quiser ir vai, eu não vou não. a gente chego em casa 6 horas da manha. Vou ver se o Ale quer ir levo ele aí. Desligo meio brabo

(Gustavo) _A Ana vai pra uma cidade aqui perto num parque com a família do cara lá.

(Eu) _Não estou a fim de ir não.

Na hora eu dei uma jogada né.

(Eu) _Vou liga pra ela e fala que também não vou, to meio podre. Acho que a Ana arranjou um namorado de verdade hein.

(Gustavo) _É só o que me faltava mesmo. Essa minha irmã e muito louca.

Liguei pra Ana e falei. Ela não insistiu muito mesmo porque tava empolgada com o cara.

Bom, pensei até que o GU fosse se arrumar e ir embora. Até que ele me fala

(Gustavo) _Vamos dormir mais um pouco, depois saímos para comer e pegamos um filme.

(Eu) _Claro.

(não consegui falar mais nada, ele tava vestindo só um short. Meu deus que homem gostoso).

Deitamos só que ele não me enconchou mais não. Aquilo foi mesmo por causa do sono ele nem viu que se se encostou a mim.

Acordamos. Fomos a um shopping comer, demos uma volta lá. ele tava sendo muito legal comigo, me contando varias histórias e tal, passamos numa locadora pegamos um filme, fomos no mercado e ele compro muitas besteiras de comer vendo filme.

Fomos pra casa, ele se ofereceu pra arrumar a sala pra gente ver os filmes, pensei que ele ia pegar um colchão de solteiro pra ele e arrumar o sofá pra mim. A hora que vi, ele tinha arrumado o colchão de casal.

Deitamos lá e começamos ver o primeiro filme. Era uma comedia, e eu rio muito, eu sou pior que criança. E ele ria do meu tipo, foi muito divertido. No segundo filme ele foi estourar pipoca e volto, e aí ele ficou bem pertinho de mim pra comer e vendo um filme de suspense, nesse a gente não falo muito, ele ficava roçando sua perna na minha, como eu era ingênuo, inseguro nem sabia o que fazer. O filme tinha umas seninhas bem picantes e vi que ele tava excitado, pois mexia muito no pênis dele por baixo da coberta, teve uma hora que ele me pegou olhando para o pênis dele, ai ele parou na hora me mexer.

Bem no final do filme eu peguei no sono, terminou o filme e ele deitou do meu lado e dormiu também. Fomos acordados com uma chuva que tava caindo forte, ele se preocupou com a Ana e ligo pra ela. Estava tudo bem, chegaria bem à noite e iria direto pro meu apartamento, fiz uma janta pra gente, ele falava bastante, me contava um monte de coisas. Estávamos ficando amigos apesar da diferença de idade, ele tinha 20 e eu ia fazer 15 ainda em algumas semanas.

Minha mãe ligou. Ela me liga toda noite, aí chorei de saudade no telefone desliguei e ele me abraçou, e falou que devia ser difícil sair de casa tão novinho, mais que era melhor pra mim, ele me apertava contra aquele corpo lindo. Meu deus. Parei de chora na hora, fiquei com vergonha dele, mais ele me entendeu, jantamos e ficamos vendo TV e conversando, até a Ana ligar que tava chegando. Ele ficou aliviado, pois estava bem preocupado mesmo.

Nisso meu celular toca, vou olhar e não reconheço o numero, atendi.

(Eu) _Alo?

(Gabriel) _Oi Ale, tudo bem?

(Eu) _Tudo, é quem?

(Gabriel) _O Gabriel, já esqueceu de mim?

(Eu) _Gabriel? Nossa, desculpe, claro que não. (nessa hora olho pro GU e vejo que ele parece que fico meio inquieto e com uma cara fechada).

(Gabriel)_O que você esta fazendo?

(Eu) _Nada, to em casa.

(Gabriel) _Quer Dar uma volta comigo?

(Eu) _Dar uma volta? (a hora que falei isso o Gustavo nitidamente não gosto e chegou perto de mim e falou a Ana ta chegando).

(Eu) _Melhor hoje não, minha amiga ta chegando aqui, me liga outra hora.

(Gabriel) _Você e esses amigos hein. To achando que esta me enrolando, se não quer sair comigo fala logo meu.

(Eu) _Não é isso, escuta, então eu te ligo a hora que eu tiver tempo ta?

(Gabriel) _ok, você que sabe. tchau

Nem respondi e desliguei. O GU se mostrou preocupado, falando pra eu toma cuidado, que eu não o conhecia direito e que antes de sair assim com alguém tem que ter certa amizade. Eu notei que ele não gosto deu ter falado que eu retornaria a ligação, mais também eu não tinha certeza de nada, achava que tava me iludindo, que o GU só queria ser amigo mesmo. Ficamos num clima meio estranho até que a Ana tocou o interfone.

Ela chegou cheia de novidades, loca como sempre não parava de falar, o MU tava com ela, e já de cara pediu pro GU se ele liberava a irmã pra namorar, o GU não gosto muito, mais não teve jeito né. Deixou. Ele e o Mu foram conversar na sacada, enquanto Ana me contava tudo que tinha acontecido, que quase não dormiu que foi pra Ponta Grossa com um vestido emprestado da mãe do MU. Eu só ria de tudo, e hora ou outra eu e o GU tocávamos olhares. Eu não sabia o que tava acontecendo, nunca tinha passado por nada parecido, mais tava adorando aquilo.

Ana estava empolgada com o MU, pediu se ele podia dormir lá em casa também. Não vi problema, sempre gostei de ter meu apartamento como ponto de encontro e refugio pra qualquer amigo! Arrumei meu quarto pra eles, falei pra não fazerem as artes na minha cama e dei risada, na sala arrumei dois colchões pra eu e o GU.

Ana e Murilo foram para meu quarto e fecharam à porta. A Ana me garantiu que não tinha feito nada e não faria por enquanto. Eu esperava que fosse verdade, por que ainda tinha aquele pensamento de interior, sei lá.

O GU tava sentado lá na sacada, eu deitei no meu colchão e fiquei olhando pra TV, ele sento no sofá do lado do meu colchão, e começamos a conversar, ele tava me falando que tava se sentindo bem, que esperava que seus pais tivessem se acertando e tal. Já tava bem tarde, eu tava morrendo de sono, O GU colocou seu colchão bem do lado do meu, eu tinha colocado meio longe, então ele encostou e se deitou, não se cobriu, ele tava lindo, sem camisa, acabei dormindo e acordei com ele tremendo, acho que tava com frio, eu levantei e cobri ele, ele abriu os olhos e sorriu pra mim, que vontade me deu de beijar ele, eu tive um impulso pra isso, quase fui, mais acho que Deus me segurou, deitei de volta e não parava de pensar no que tinha acabado de acontecer, adormeci e acordei olhei pro lado o GU não estava, olhei pro corredor a porta do meu quarto aberta fui até lá e Ana tava dormindo sozinha na cama, acordei ela, olhamos para fora tava um dia lindo, muito calor, ela pergunto dos meninos, eu disse que tinha acabado de acordar e não tinha visto eles saírem, o meu prédio devia ta vazio, tinha 2 apartamentos vagos e os outros era meio ocupado por membros de uma mesma família, mais todos já com uma certa idade então direto eles sumiam o final de semana todo, Ouvi o portão da garagem abrir e fechar, logo o GU e o Murilo entram com umas sacolas, foram comprar o café da manha, eu não quis comer, eles comeram, falei pra gente descer pra piscina, mais ninguém tava com roupa de banho, fomos no shopping aqui perto, compramos e fomos pra piscina. Meu deus, que lindo era a visão daqueles dois de sunga. Nossa o Murilo tem umas pernas e uns braços muito fortes, e o GU e todo sarado tem uma barriga linda. Quase enfartei a hora que os dois de sunga, Ana a mais loca já tava lá em baixo pulando na água.

Eu tava morrendo de vergonha de por sunga, falei pra eles que já ia descer.

Coloquei uma sunga verde, me olhei varias vezes no espelho. Meu corpo e legal, cintura fina. Bom coloquei uma camiseta e desci, Ana e Murilo estavam dentro da água e o GU tava deitado numa cadeira tomando sol, quando eu tava chegando ele olhou pra traz e sorriu, eu tava morrendo de vergonha, baixei meus óculos de sol e fui deitar no outro lado da piscina, Ana e Murilo tava quase se comendo dentro da água até que Ana paro e falo que ia ligar pros pais deles avisando que chegariam em casa no fim da tarde, ela saiu da água, e subiu, e nisso eu tirei minha camiseta olhei pra traz e peguei Murilo e Gustavo me secando um monte, o Murilo tava tomando água e paro na hora e fico olhando. Fiquei tão sem graça que deu vontade de por a camiseta de volta, peguei um óleo e comecei passar, o Murilo se ofereceu pra passar nas minhas costas, eu disse que não precisava que conseguia sozinho, o Gustavo não gosto desse atiramento do Murilo, eu tava de costas mais percebi o Gustavo olhando feio pro MU, Ana desceu.

(Ana) _ta sofrendo pra passar isso aí hein? Deixa que te ajudo. Você hein meninos. nem pra ajuda o Ale.

(Gustavo) _Ele disse que podia sozinho.

Eu nitidamente tava evitando ficar perto do GU, ele tava de um lado da piscina e eu de outro.

Não demorou muito ele veio do meu lado e sentou e fico me olhando. Eu levantei e entrei na água, ele levantou e chamou a Ana queria fala com ela, eles foram à churrasqueira e eu fiquei com o Mu dentro da água. Ele é muito palhaço. nisso ele e a Ana combinam muito, então ele começo a tenta me da um caldo, aí ele ficava me agarrando, me dando uma enconchadas, e eu ali quase tendo um emfarto, tava deixando né, a Ana foi no banheiro ali na churrasqueira, e o GU veio, nisso o Murilo me pego de jeito e me deu um caldo de verdade, quase me afoguei, e na hora o GU pulo na água e me tiro dali e falo.

(Gustavo) _Ta se aproveitando aqui né Murilo.

E nisso ele foi pra cima do Murilo. Eles começaram a tenta um afoga o outro, sô que o negocio tava serio ali, tava virando briga, e eu tava com uma cara de bunda só olhando ali no canto, gritei pra eles pararem e nada, aí a Ana veio correndo e eu falei vamos separa eles, ela pulo no meio deles e seguro o Murilo, e o GU foi pra cima dele de novo.

(Ana) _Ale segura ele, eu entrei na frente dele e ele parou na hora.

Ficamos todos sérios ate que o Murilo começa a rir e vai pedir desculpas pra ele e pra mim, e me da uma pegadinha na bunda, o GU me puxou na hora.

Eu tomei sol quase a tarde toda e fiquei longe do GU, Ana e Murilo ficaram brincando dentro da água, o GU hora tomava sol, hora entrava na água com eles.

Tomamos banho e já de roupa novamente, o Murilo foi levar a Ana, e o GU fico vendo eles saírem e daí volto e foi bem direto.

(Gustavo) _Por que você não me deixou chegar perto de você hoje à tarde? Fiz alguma coisa?

(Eu) _Não, foi impressão sua…

(Gustavo) _Ta bem. Amanha passo com a Ana te pegar pra ir pra aula.

(Eu) _Espero vocês o mesmo horário de sempre!

Ele saiu e me deu um abraço e falo no meu ouvido.

(Gustavo) _Qualquer coisa que você precisar me chama que venho correndo.

(Eu) _pode deixar. Ate.

(Gustavo) _ate.

Eu não tava entendendo o que tava acontecendo, eu não queria me iludir e nem fantasiar nada, ele podia querer me proteger por eu morar sozinho só, a noite pensei muito nesse final de semana que passava, e dormi como um Anjo.

Acordei na hora de sempre, arrumei meu material e fui pra rua onde a Ana passava para me buscar, eles chegaram entrei no carro, e foi normal até aí fomos conversando, o GU tava falando das provas na faculdade, que tava muito difícil e tal, ele sempre me olhava pelo espelhinho e eu dei uma de safado e encarava também, chegamos no colégio e era dia que eu tinha treino de vôlei, tava jogando pelo colégio, então a hora que sai do carro os meninos do time que estavam lá na frente vieram todos me cumprimentar e o GU fico olhando na fila de caros pra sair, ele nitidamente tava querendo sair do carro aquela hora, até tive a impressão dele tenta abrir a porta, a Ana ate paro e olho pra ele ver se ele queria falar alguma coisa.. Ela me olhou com uma cara de não to entendendo, e eu fiz aquela cara de bunda típica de quem fala. Eu também não. O primeiro e o segundo tempo de aula era de inglês, e eu nem um pouco a fim de assistir fui pro banheiro esperei a aula começar e fui pro laboratório de informática, já era bem amigo do monitor que vinha de uma cidade perto da minha então ele nunca me entregava quando eu ia matar aula lá, entrei no meu ORKUT pessoal, e ele tinha-me add lá, abri meu MSN, mesma coisa, dei uma olhadinha básica no orkut dele e já vi muita coisa que me deixo com aquele friozinho na barriga, um nozinho na garganta. Uma vagabunda, umas biscates se atirando. deus que me perdoe, fechei aquilo e pensei comigo. Eu sabia que eu tava pensando tudo errado, da onde que um cara daqueles ia olhar pra mim? Dei um tempo lá, uma biscateada no ginásio, e fui pra aula, sentei do lado da Ana, aí ficamos conversando, ela me contando do MU, falando da possibilidade de namoro e tal. Eu tava feliz por ela, mais com uma dorzinha no coração que fiquei a hora que dei uma biscateada no ORKUT do GU. Na saída o Mu veio buscar a Ana e eu fui almoçar ali perto porque tinha treino logo depois.

Meu técnico é um homem lindo e gostoso, mais tem um humor infernal. Então e gente treinava sério mesmo, sem brincadeira, saí acabado do treino, treinei como titular, então tava que nem podia erguer os braços, voltei a pé pra casa, liguei meu laptop e entrei no MSN e fui toma banho, a hora que voltei tava uma janelinha brilhando mais nem dei bola, fui na cozinha fiz um lanche aí voltei lá. Quase morri do coração era o GU.

(Gustavo no MSN) _ Opa Ale.

Daí deu um tempo ele repetiu a pergunta, aí chamou a atenção 4 vezes, aí começo. Aconteceu alguma coisa? Você ta bem? Me responde, vou liga no teu cel.

Olhei ali em cima ele tava offline, corri e fui ver meu celular, 3 ligações dele, aí uma mensagem, to indo aí to preocupado.

Meu coração foi a mil por hora.

Pensei em ligar, mais achei melhor ver o que ia dar, se ele ia mesmo lá em casa.

Sentei no sofá, e fiquei ali esperando, num nervosismo, daí levantei, pensei. Vou por um short bem curto que só uso na praia. Corri no meu quarto e coloquei ele, daí sentei de novo, e o interfone toco, corri lá na cozinha atender puro um idiota. daí pensei em fazer uma voz de sono.

(Eu) _Oi

(Gustavo) _E o GU abre aí, abri, ele subiu deixei a porta aberta já, ele deu uma batidinha e eu gritei que podia entra, ele entro, numa pressa.

(Gustavo) _Meu você ta bem? Por que não falou comigo?

(Eu) _Nossa que desespero homem. Obrigado por se preocupar, só que tomei banho e dormi.

(Gustavo) _Meu, eu fico muito preocupado com Você aqui sozinho, te quero como um irmão mais novo.

A hora que ele falou isso foi como se me jogasse um balde de água.

(Eu) _Mais essa e minha vida. Fazer o que, tenho que ficar sozinho.

(Gustavo) _tudo bem. Eu entendo. Na verdade eu quero fala com você o que vai fazer hoje a noite?

(Eu) _Estudar pra uma prova.

No que eu falei isso dei aquela olhadinha pro lado e me toquei que falei bobeira, ele ia te convidar pra alguma coisa.

(Eu) _Ta mais o que você quer me falar?

Ele deu um suspiro e falou.

(Gustavo) _Eu te falo outra hora nada importante. Vou te deixar estudar então. Desculpe incomodar.

(eu) _imagina poder vir sempre que quiser, e se eu precisar de alguma coisa, já vi que posso confiar em você e com certeza vou te ligar.

Ele me deu uma batida no ombro e disse.

(Gustavo) _faz isso, mais pode me chamar pra qualquer coisa. Deu uma risadinha.

Na hora não me liguei à indireta. Só respondi ok, e ele saiu. Meu deus. Eu tava delirando de felicidade, pulei, dei risada dancei na frente do espelho.

Antes de dormir ele me mando uma mensagem desejando boa noite, só respondi e dormi como um anjinho feliz da vida. Eu tava achando já que ia rola algo. Só não ia me atirar ia espera alguma coisa dele. Ele deu tantas indiretas, mais eu idiota só me tocava depois.

Chegou sexta feira, dia que a cidade bomba, combinei com a Ana de sair dar aquela biscateada, já que o MU não ia sair porque tinha prova, e nem falamos nada com o GU, a gente saiu de táxi aqui do meu apartamento, já paramos no começo da avenida batel e déssemos a pé ate a INSID, um lugar ótimo aqui em Curitiba, paramos lá na fila. Grande pra variar, a Ana não parava quieta, ia e voltava da ponta daquela fila, e eu fiquei guardando nossos lugares, e já tava papeado com 2 meninos que estavam na minha frente, eles não eram de Curitiba, e estavam me perguntando sobre o lugar e eu respondendo, chego a nossa vez de entrar, chegamos lá no meio e ficamos dançando e dando risada, mais a Ana tava com a cabeça que era só Murilo , e eu ouvindo, e eu só coma cabeça que era Gustavo, mais nem podia fala nada ne. De repente ela me da uma cutucada e fala olha o sem vergonha do meu irmão ali. Todo feliz e quebrei a cara. ele beijando uma guria. Me veio muitas coisas na cabeça, e fiquei meio desiludido, então decidi. Vou beber muito, e ali comecei, olhei para a Ana e falei. Vou arrebentar esse lugar no meio de tanto dançar. E fiquei lá bebendo e dançando puro uma atentação. Eu chamava atenção com certeza porque o que passaram a mão na minha bunda aquele dia não ta escrito, o GU só olhava de longe, aí a Ana foi conversar com ele e eu não. Fiquei lá, e logo chego aqueles 2 meninos felizes da vida e ficaram ali comigo, e um deles me falava umas coisas no ouvido e nem entendia por causa do som. só concordava, olhei pra traz não vi nem ele e nem a Ana. Corri os olhos por tudo e vi a Ana no celular, e o GU não enxerguei, A Ana desceu feliz que o MU tava vindo, e eu fiquei ali biscateando no meio, a hora que o MU chegou a Ana e lógico foi lá com ele e eu fiquei com aqueles meninos, não tava vendo o GU já imaginava que ele tivesse saído com aquela vagabunda lá.

Aí já tava entregue ne. Bebendo pior que carro veio.

Sinto algum me puxando pelo braço pra longe dos meninos e eu vou indo no embalo. Naquela altura eu não mandava mais nas minhas pernas. A hora que paro eu olhei, era o GU com uma cara de demônio e começo fala um monte de coisa e eu nem entendia só dava risada. Eu lembro mais ou menos dele falando, que eu tava dando vexame, que eu tava bebendo e me expondo de mais, que tava deixando pegarem na minha bunda.

Ele me levou embora, me tiro de lá. Eu só dava risada e ele me olhava bravo.

No carro me baixo a pomba gira com o espírito mal que atenta á Ana todo tempo, e comecei mexer com todo mundo na rua. Gritava, chamava pra vim fala comigo. Tava puro uma tentação, daí o GU fecho a janela e eu fiquei de cara, e a hora que ele paro num sinal eu pulei pra fora do carro e saí, ele ando um pouco pra frente e paro o carro e foi me pega. Eu tentei correr dele mais num dava. Ele me puxo forte aquela hora e falo. Ta pensando o que? Faz favor de se comportar? Eu quero-te ajudar e você faz isso, me soco no carro de novo e eu peguei no sono. A sena da descida se repete só que na hora que ele me colocou de pé e me seguro contra seu corpo pra abrir a porta, eu mais pra lá do que pra cá, o abracei por cima do pescoço e ele paro e fico me olhando, aí eu não resisti fechei os olhos. Isso foi a deixa ne. só senti os lábios dele nos meus. Ele ficou assim um tempinho e abriu a porta, eu já podia andar essa altura e fui reto pro meu quarto ele foi atrás e tiro minha roupa e, pois meu pijama. Achei tão lindo isso, ele deitou do meu lado e falo.

(Gustavo) _menininho, você da um trabalho.

Eu virei pra ele sorrindo, e aí ele me deu um beijo de verdade. Eu tava tão bêbado que nem me lembro direito como foi, só que me senti nas nuvens. Ele me ajeitou na cama e eu dormi. Acho que ele deitou ali do lado também e dormiu, no outro dia acordei 10 horas da manha, olhei pro lado e ele não tava. Eu lembrando de tudo comecei a pensar ele saiu e não falo comigo, não quer me ver, ele deve achar que fez besteira e agora?

Tomei um banho e na cozinha ele tinha escrito um bilhetinho e deixo em cima da mesa dizendo te ligo mais tarde. Tenho compromisso. Se cuida e se comporta pelo amor de deus. Preciso ter uma conversa séria com você.

Fiquei tão feliz. Eu abracei o recadinho e dei uma risada de felicidade. Ai deus. Obrigado por essa chuva que caiu na minha horta! Preciso fala com o senhor melhor na igreja depois! Juro que eu vou lá.

A felicidade. Passei o resto do dia estudando e esperando ele me ligar!

O tempo passou muito rápido, já tinha acabado a novela do globo e tal, nada dele me ligar, e eu também não ia correr atrás, na verdade tava que não sabia o que fazer. Pensei que ele não fosse me ligar, liguei o PC e fui da uma biscateada no ORKUT, entrei no dele e vi uns três recados de uma guria, a reconheci, era a que ele ficou na ultima festa. Não lembro bem o que ela escreveu, mais parecia que eles tinham combinado de se encontra na mesma noite. Eu só pensei assim. Ah vagabundo veio, é assim. Então você vai ver. Desliguei o PC e liguei pro Gabriel. Falei pra ele onde eu morava e ele ia passar me buscar, tava firme ali pensando no GU, mais ele foi um cachorro. Desgraçado. Me da raiva até hoje quando eu lembro disso, a vagabunda ainda falo então ta vamos lá no japonês comer, eu já tava arquitetando um jeito de saber onde ele ia, liguei pra Ana e perguntei se ela gostava de comida japonesa e tal, ela falou que sim e me falo 2 lugares que eram bons. O Gabriel chegou, eu desci, e entrei no carro, ele sorriu pra mim e disse oi e tal. Daí falei pra ele desses dois lugares, ele falo assim, vamos passar em frente e ver o qual tiver menos movimento a gente entra. Ok.

Fomos num e tava entupido. Tava explodindo gente pra fora, era mais no centro, então fomos pro outro, um pouco mais retirado, eu tava torcendo pra que o GU tivesse nesse com a vagabunda, dito e feito, a hora que a gente tava parando na frente o manobrista tava trazendo o carro dele, e já entraram dentro e foram. Eu quase chorei.

A hora que vi a sena. Entrei lá com o Gabriel. Ele e um cara incrível gostei bastante, ele tinha 23 anos, era dentista e tal. Tava interessante mais o Gu não me saia da cabeça. Jantamos, e saímos dar umas voltas, aí ele paro numa rua, e ficamos conversando, num momento de distração que eu tive ele me puxou e me deu um beijo. Eu não tive como resistir. Afastei ele com jeito e falei pra ele que era meio cedo ainda, que não sabia o que eu queria, na verdade se eu não tivesse pensando no GU eu me atracava com ele ali.

Ele entendeu, convidei ele pra ir lá em casa, a hora que a gente tava subindo chego uma mensagem no meu celular do GU. Ta dormindo? Desculpa tive um problema, quero fala com você.

Na hora que li isso deu vontade de mandar um soco como resposta. O vida infernal. Eu era novinho mais não era bobo. Ai que ódio. O Gabriel viu que eu fiquei inquieto e perguntou o que era. Disse pra ele nada. Entramos lá em casa, aí fiquei com raiva né. Acabei dando mais uns beijos no Gabriel, ate porque ele tem uma pegada que você não resiste.

O Gabriel acabou dormindo lá em casa. Só que na sala né. Eu bobo ate tranquei a porta do meu quarto.

No outro dia, liguei cedinho pra Ana e falei que ia sozinho hoje pra aula que ia passar em um lugar antes. Mentira pura né. O Gabriel foi me leva. E pra minha sorte a hora que ele me deixou na porta o GU paro atrás para deixar a Ana.

(Ana) _Ué amigo, com quem você veio. Por sorte o Gabriel saiu, E ela não viu quem era, e eu pude mentir.

(Eu) _um primo meu que passo uns dias aqui em Curitiba e hoje antes de ir embora foi leva umas coisas lá em casa.

(Ana) _ah ta.

O GU me olhou desesperado, ele fez um sinal com as mãos querendo entender o que eu fazia naquele carro, eu nem olhei e entrei no colégio, logo ele me mando uma mensagem dizendo sai da sala que vou te liga, me atende. Nem saí e desliguei meu celular, perto da hora de ir a Ana me falo que o GU vinha buscar. Aí não tinha desculpas pra não ir junto.

Entrei no carro e nem olhei pra ele.

Ele fez um rolo lá, e deixou a Ana antes em casa e disse que ia me deixar e ir a um lugar lá perto do meu apartamento. A Ana não falou nada, só nos despedimos.

(Gustavo) _Ale. O que foi? Olha pra mim.

Eu nem olhava só falei pra me leva logo pra casa.

(Gustavo) _Ta zangado por eu não ter falado com você ontem? Tive um problema.

(EU) _você e bobo né? Eu vi os recados da vagabunda no teu ORKUT, e depois vi você e ela saindo de um restaurante.

(Gustavo) _você viu isso?

(Eu) _vi sim. E não tenta me explica nada que eu não quero nem saber.

(Gustavo) _calma tem uma explicação. primeiro de tudo vamos esclarecer o que ta acontecendo entre a gente?

(Eu) _eu não quero esclarecer nada. Não ta acontecendo nada. Ele parou no sinal fui tenta descer do carro ele me segurou e falou.

(Gustavo) _Você não vai escapar de mim assim tão fácil.

(Eu) _Porque, Você ta achando que me manda disserto?

Ficamos em silencio um pouco e ele começou a me explica e eu ouvindo em silencio.

Eu não lembro bem as palavras que ele usou pra explicar, mais resumindo, ele falou que tava confuso, que queria saber o que ele realmente tava sentindo, e tal.

Eu continuei olhando pro alem e ele ficou em silencio, aí ele pergunto se eu não ia falar nada. Eu olhei pra ele e fiz que não com a cabeça.

Ele falou

(Gustavo) _Vamos esclarecer o que esta acontecendo entre a gente? Você sabe que eu to a fim de você e você de mim. mais nunca tinha ficado com outro cara, to meio confuso.

(Eu) _Quem que disse que eu gosto de você? Eu tava só querendo usufruir do seu corpinho.

(Gustavo) _O que?

Aí não agüentei né. Comecei a rir.

(Gustavo) _Acho que essa risada fala que isso foi uma brincadeira?

(Eu) _olha. Eu também nunca fiquei com outro cara, eu to a fim de você sim, mais tem muita coisa pra gente ver, não quero me iludir, não quero me sentir usado nem nada, não quero servir como uma experiência pra você.

(Gustavo) _O que eu posso fazer pra eu mostrar pra você que não é isso que eu quero.

(Eu) _Ah meu filho, você não quer nada né? Eu não vou fala, nem sei o que também. Então me deixa logo em casa.

Ele me deixou em frente do meu prédio, deu uma pegadinha na minha mão e acabei até me esquivando um pouco dele.

Subi pro meu ap pensando.

Ai deus, o que será que ele vai fazer? Meu Deus.

Ana me ligou um tempo depois me falando que seu irmão ia fazer uma festa à fantasia na casa deles mesmo, no dia do seu aniversário, e pediu pra que ela me convidasse. fiquei pensando, porque ele mesmo não fez isso? Então ta. Ela me falou que só eu de amigo dela que iria, que estaria cheio de amigos dele lá. me conto que ela e o MU transaram finalmente. Me contou que o pênis dele era meio torto, mais não da nada, demos mais umas risadas, e aí fui me arrumar que ia ter um jogo a noite, interno do colégio, pra que fosse formado o time que iria representar o colégio, porque tinha uns 30 meninos que treinavam, mais só 18 formariam o time, 6 titulares e 12 reservas.

Fui pro jogo a pé mesmo, joguei bem bonito e consegui a vaga de levantador titular, como eu tava feliz. Dei umas biscateadas por lá, falei com um povo e tal e fui pra casa, saí e logo uma esquina abaixo do Positivo, meu colégio, uns pivetes me assaltaram, quase cortaram meu braço, levaram meu celular dinheiro e tal, um deles apertou tanto uma faca no meu braço que corto um pouco e fico sangrando, comecei a chorar, tava meio longe de casa, e não tinha como ligar pra alguém, e pior que ninguém parava me ajudar, então tentei ir para pronto socorro, mais nem sabia direito onde ficava, parei no meio do caminho e liguei pros meus pais. Deixei eles quase locos lá, e eles a mais de 500 km de distancia não tinham como fazer nada, então aos trancos e barrancos cheguei lá, limparam meu braço e viram que foi um corte superficial, uma enfermeira me deu dinheiro pra pegar um ônibus e voltar pra casa.

Cheguei desesperado lá em casa, sorte que tinha o número da Ana anotado na apostila do colégio, peguei o fone e liguei pra ela.

(Eu) _Ana do céu, quase me mataram, não sei como que cheguei em casa, cortaram meu braço. Comecei chorar, ela fico desesperada porque não entendeu nada, e começo grita no fone.

(Ana) _calma, quem te corto? Aonde que foi?

Nisso ouvi uma voz no fundo gritando, o que foi? Quem é no fone?

Eu só chorava nem falava nada, de repente eu ouço o GU falando,

(Gustavo) _o que ta acontecendo? Onde você ta?

Eu só chorava, aí volto a Ana no fone.

(Ana) _Ale, se acalme, o GU vai correndo para sua casa, e eu vou espera o MU e já vou aí também.

(Eu) _ta bom Ana, espero vocês.

Deu 10 min o GU já tava tocando o interfone, ele subiu rápido, a porta deixei aberta, ele entro e nem falo nada, já me abraço forte, me ergueu um pouquinho no colo dele, e falou.

(Gustavo) _agora eu to aqui, calma.

Então fui me acalmando, tava me sentindo seguro com o abraço dele.

Ele me afastou um pouquinho, e fico me olhando, olhou o curativo no meu braço, aí contei pra ele o que tinha acontecido, ele ficou louco, queria achar os caras.

(Eu) _que vai adiantar você sair, procurar onde? Essa cidade muito grande, não da nem pra saber pra que lado foram.

(Gustavo) _Eu não aceito ninguém encostar em você, se eu cruzo com um desses cara na rua eu mato.

(Eu) _para. já to melhor.

(Gustavo) _ roubaram o que?

(Eu) _dinheiro e meu celular. Agora to sem não posso mais fala com ninguém. (comecei chora de novo)

(Gustavo) _você e doido? você pensa no teu celular? Pense que não te fizeram nada de mais alem desse corte.

(Eu) _Ta certo.

Ele me abraçou daí ele falou.

(Gustavo) _Vamos mudar de assunto. Esqueci de te perguntar. quem te levo pro colégio?

(Eu) _Não vamos falar disso?

(Gustavo) _Eu quero saber.

(Eu) _Foi o Gabriel.

(Gustavo) _quem é esse?

(Eu) _Aquele cara que eu ia embora da festa aquele dia.

(Gustavo) _Eu não acredito que você foi com ele. fez alguma coisa com ele?

(Eu) _Hum, eu acho que não.

(Gustavo) _Você acha que não?

Tocou o interfone ele foi atender, UFA salvo pelo gongo. O meu deus.

Ana e Murilo subiram, aí contei tudo pra eles, e tal, ficaram comigo um tempo, aí falaram da festa e tal, aí Ana falou pro Mu pra irem porque tinha aula cedo, o GU falou que já ia, eles deceram.

O GU me olhou como uma cara de quem diz. vamos continuar de onde paramos a conversa?

Ele nem precisou falar nada, já levantei e falei, pensei. Vou fazer alguma coisa.

(Eu) _Ai minha cabeça, que dor. Nossa. Deixa eu procura um remédio.

Eu pensei que isso fosse o fazer esquecer, mais que nada, aí ele falo vem cá quero que conte o que vocês fizeram.

Nisso ouvi que vinha descendo a rua um carro que tava dando uns estouros, aí eu tive que correr na sacada pra ver.

Vinha que vinha o trem veio lá de cima quase desmontando. Gritei lá de cima. Se vê que cai amarre. E o motor deu um estouro e eu gritei meu Deus, cuidado que vai explodir.

(Gustavo) _Saia daí, para de mexer com os outros na rua?

Nisso ele começou a rir, e eu não entendi o por que, eu sempre faço isso.

(Gustavo) _Menininho, você e um sarro, por isso que me apaixonei por você, pelo seu jeito simples de ser.

(Eu) _ sério? Eu sou tudo isso?

(Gustavo) _ e muito mais. Mais ainda quero saber o que você fez com ele.

(Eu) _ ah ta. Vou conta. eu liguei pra ele por que se você ia sair com alguem eu também tinha que sair com alguem.

Nisso ele me puxou e me deu um beijo bem demorado, e falou.

(Gustavo) _não quero saber mais nada. Não precisa falar mais

(Eu) _A não, agora vou falar, eu beijei ele, ele me levo pra janta, ele dormiu aqui em casa.

(Gustavo) _O que? você trouxe aquele cara pra dormir aqui?

(Eu) _Só por que tava tarde, e não fizemos mais nada, é serio.

Ele ficou indignado. Queria ir embora.

(Gustavo) _Olha. fiquei de cara com você agora.

(Eu) _Desculpa, é que fiquei meio sem saber o que fazer. Liguei pra ele para ele me ajudar a não sentir o ego baixo.

(Gustavo) _ta bem.

(Eu) _escuta, quero saber o que você vai fazer pra me prova tudo aquilo hein!

Ele sorriu meio tímido e falou.

(Gustavo) _pode deixar que já estou pensando. E se prepara pra curtir a minha festa hein!

(Eu) _Mais preciso ir mesmo, amanha temos aula cedo hein.

(Gustavo) _Ta bom.

Ele me abraçou e me deu um beijo, falou pra ligar pra ele se precisasse de alguma coisa e tal, e desceu.

Eu fui à sacada ficar vendo se ele ia pro lado da casa dele realmente, fiquei vendo o homem lá na esquina de baixo com aquele carro parado. Coitado. Depois me deu dó de ter zoado com ele.

Tomei um calmante que a Ana deixou pra mim e dormi.

Ta. Vamos direto para o fim de semana, o dia da festa. Os pais e a irmã mais velha da Ana foram pra casa da praia deles, aquela noite estava quente, eu e a Ana alugamos umas fantasias, ela alugou uma de fada, e me fez alugar uma fantasia de elfo adorei aquela fantasia. Valorizava meu corpo bastante, mais tava morrendo de vergonha de sair do quarto da Ana vestido daquele jeito, meu Deus. Eu era do interior e ainda não tinha ido a uma festa a fantasia, nem em carnaval. Estava com muita vergonha, eu e a Ana fomos ate aponta das escadas espiar como estava o movimento, o negocio já tava bom. Cheio de gente. Meu Deus. Literalmente um ´calor´. Já trava pensando em descer logo pra biscatear lá no meio. Estava cheio de delicias lá. O meu Deus. eu queria ver o GU, mais não enxerguei, o MI viu a gente espiando lá de cima e subiu, nisso a Ana correu pro banheiro falando que ia passar sombra, eu levantei e o MU me seco, ele deu uma risadinha safada de canto, e fez tipo um beicinho e um sinal de positivo. Ta bem hein Ale. Eu quase enfartei. Ele gostava de me provocar, Eu também dei uma risada e corri para quarto, deu uns 5 min a Ana entrou lá.

(Ana) _vamos descer filho?

(Gustavo) _Ai Ana que vergonha. Eu vou tira essa roupa.

(Ana) _Nem. Ta ótima essa fantasia.

Eu me sentia uma aberração mais fui né. Falei pra Ana ir à frente queria ver se alguém ia falar algo dela, ela desceu e já foi reto nas bebidas, daí fui atrás, um monte de gente começou me olhar. Aí eu comecei me olha também. Sera que enrosquei essa praga dessa fantasia em algum lugar que caiu um pedaço? Olhei em volta tava normal, olhei pra frente já não tinha tanta gente me olhando. Daí desci.

Fui reto nas bebidas também, peguei uma cerveja e comecei beber e fala das fantasias com a Ana, Já tinha um povo animado mandando ver na festa. Ana ficou ali bebendo e eu fui dar aquela biscateada básica lá no meio.

Conferir os corpos que estavam por ali e tal. Comecei a conversar com uns meninos ali e tal, daí fiquei ali no meio biscateado, e nem sinal do GU, Fui pergunta pra Ana dele, ela falou.

(Ana) _deve estar lá pra fora.

(Eu) _tem gente lá fora.

(Ana) _OO se tem.

Saí pra fora da casa. Meu deus. Quase caí de costas. tava entupido de gente. Deu-me uma alegria a hora que eu vi, daí comecei dança a Ana veio atrás nos se demos as mãos e saímos dançando e biscateando no meio do povo, e da lhe bebida, teve uma hora que senti umas 3 mãos na minha bunda. E eu dava risada, Ana também, só ria de tudo. Tava muito boa a festa.

(Ana) _olha ali meu irmão.

Quase morri a hora que eu vi, meu Deus. Ele vestido de arqueiro, só com um coletinho, mostrando aquele corpo sarado. Umas três vagabunda em volta dele, ele não tinha me visto.

(Ana) _Vamos lá falar com ele Ale?

(Eu) _Ok.

(Ana) _Olha só meu irmão. Ta gatinho hein!

Ele deu risada me olhou e sorriu também, puxou eu e Ana para perto dele, e um fotografo que tava por lá tirou uma foto, daí Ana correu lá com o MU que tava biscateado de mais sozinho, o GU me olhou e falo.

(Gustavo) _Ta gostando da festa?

(Eu) _ta muito boa. Seus amigos são legais.

(Gustavo) _Só não ta legal essa fantasia tua aí. Não dava pra usar algo que não mostrasse tanto teu corpo?

(Eu) _e, olha só quem ta falando. Você com essa calça atochada de arqueiro ta bem pior.

Dei uma encarada na mala dele ele viu e riu.

(Gustavo) _Não se preocupa é só seu.

Dei uma risada, e falei pra ele que ia pegar mais bebida e que via ele depois.

(Gustavo) _se comporta Ale.

Dei uma piscadinha, ele me chamou para volta ali rapidinho, voltei e ele falou. (Gustavo) _Depois da festa viu?

(Eu) _depois da festa?

(Gustavo) _Você sabe do que to falando.

Saí dali meio boiando. Que será que ele ta falando depois da festa? Bom foi beber e curtir um pouquinho.

A festa tava boa mesmo. Eu tava tentando me controlar pra não ficar bêbado, a final, eu bêbado numa festa com um monte de delicias. Eu ia acaba fazendo besteira, a Ana já tinha sumido com o MU e nem falo comigo, fui ao quarto dela e nada. Sentei lá um pouco pra relaxar, e fiquei espiando da janela a festa no lado de fora, desci de novo e na parte de dentro tava mais sossegado o ambiente, já ouvia pessoas sendo jogadas e pulando na piscina. E a musica tava muito boa àquela hora, fui lá pra fora e fiquei dançando, tinha 2 meninos atrás de mim que estavam atolando a mão na minha bunda, eu saia de perto e eles iam atrás, olhei minha imagem no vidro da porta, aquela fantasia tinha me deixado ótimo mesmo. O GU tava bebendo um monte, e sempre que me olhava dava uma pegada na mala dele e uma risadinha, só não tava gostando do bando de vagabundas atrás dele, tinha uma que tentava agarra ele. Eu tava começando a não liga mais e tava deixando quem quisesse pega em mim também. Eu só assim, nunca fico pra traz em nada, comecei papear com um povo ali e dançar, olhei o GU vindo da garagem da casa com um negocio amarelo na mão, ele fez sinal que ia entrar pra dentro e era pra eu ir atrás dele. Dei um tempo e fui ele tinha subido tava no corredor dos quartos, ele pegou aquele negocio amarelo e me deu, e falo veste.

Eu ri e abri pra ver o que era. uma capa de chuva.

(Eu) _Você deve ta doido se ta achando que vou vestir isso. Pra que?

(Gustavo) _Não quero ninguém mais olhando teu corpo e nem te pegando. Veste logo isso, ninguém vai nem notar o que é.

(Eu) _ A ta. Acha que ninguém vai ver? Ridículo isso GU. Eu não vou vestir essa capa de chuva. E outra. Ta uma suruba geral nessa festa. Quero só ver o que vai da.

(Gustavo) _Você que sabe. Mais se quiser me ver feliz veste essa capa.

Dei risada e desci de novo, não tava nem aí, ele veio atrás e daí não saia de perto de mim, se alguém chegava perto ele dava um jeitinho de fica no meio e puxa papo, estavam jogando todo mundo dentro da piscina, eu estava ali de bobo num canto, com o GU na minha frente falando com umas pessoas, de repente eu senti que me pegaram pelas pernas. iam me joga dentro da água.

(Alguém) _Vamos lá elfo tua vez.

(Eu) _nem sonhem me larguem.

Agarrei-me nas grades na lateral da piscina, eles me puxavam pelas pernas e eu me agarrei nas grades. Puxaram-me tanto que uma hora conseguiram me solta, um cara me abraçou por traz e pulo comigo dentro da água.

Filho da puta, e o GU só viu a hora que estavam me jogando já. Ele correu lá, e o cara não me soltava a hora que a gente levantou ele falou no meu ouvido. Nosso que gostosinho, e o pinto dele tava duro na minha bunda. O GU chegou loco lá, começo grita pra parar com a folia e tal, me puxo de dentro da água, eu saí ele me olhava como se achasse que eu tivesse alguma culpa, saí dali e corri pra dentro, o povo já tava indo embora, já tava amanhecendo o dia, entrei num banheiro e sentei no vaso, todo molhado, pensando que o GU ia fala que eu tava biscateado com o pia dentro da água.

Ouvi o som daquelas botas que o GU tava, subindo as escadas, meu coração foi gelando. Destranquei a porta do banheiro, vi que ele foi no quarto da Ana, tirei a minha roupa molhada e passei uma toalha em volta do corpo, ele bateu na porta do banheiro, eu disse que podia entra, ele entro, tava sem camisa , só com a calça e as botas.

(Eu) _GU. Antes de você falar alguma coisa, eu não tive culpa de nada, eu tava do teu lado, eles foram lá me pegaram, eu tava gritando pra me largarem, você nem viu.

(Gustavo) _Tudo bem. Só me zanguei por que o cara se aproveitou um pouco da situação, não ia ter acontecido nada se tivesse posto a capa como eu pedi pra você. Teu corpo e muito bonito, chama a atenção, eles só fizeram isso porque queria se aproveita de você.

(Eu) _Nada a ver, eu não ia ficar com aquela capa e não preciso esconder meu corpo.

(Gustavo) _Esse corpinho só eu posso pegar, só eu posso ver e principalmente só eu posso sentir o gosto. Não admito ninguém fazer com você o que estavam fazendo hoje. Eu quero que você se cuide pra mim.

Fiquei todo vermelho e envergonhado, ele sabia como mexer comigo.

Ele continuou. E disse.

(Gustavo) _você e só meu.

Abraçou-me e me deu um beijo, ele me ergueu um pouquinho e minha toalha quis cair e ele segurou aperto minha bunda, me, pois contra a parede. Eu tava entregue ali pra ele, ele me beijava intensamente.

Ele parou e a gente ficou ali abraçado, eu contra a parede. Fico um silencio. Aí eu disse.

(Eu) _E então, você me disse que ia fazer algo depois da festa, não entendi nada àquela hora.

(Gustavo) _Vem comigo. Eu apertei melhor a toalha e fui atrás dele, entramos no seu quarto, ele acendeu a luz, aí nos sentamos na cama, ele me olho, seguro meu rosto. E disse.

(Gustavo) _pensei em muitas maneiras de te prova que quero você mesmo, sem brincadeiras, sem te magoar. Fiquei meio assim, porque você e novo de mais ainda. Mais não consigo pensar na hipótese de te deixar, e outra pessoa tomar esse lugar.

Ele abriu a gaveta e tiro dela uma caixinha e me deu pra abrir, tinha um par de braceletes de prata, e dentro tava escrito A&G e um coração do lado.

Aquilo mexeu muito comigo, ele falo.

(Gustavo) _que enquanto ele usasse aquilo era pra eu ter certeza do que ele estava sentindo, e queria a mesma coisa de mim, se um dia alguém aparecesse sem, alguma coisa de errado tava acontecendo e a gente ia conversar.

Eu tava encantado com aquilo, eu abracei ele, aí ele pego uma outra caixa e eu abri, ele tinha comprado um celular novo pra mim. Que lindo.

(Gustavo) _agora posso fala com você o tempo todo de novo.

Ele me mostrou o celular dele, me mostro uma lista com um papel, ele me falou que eram os números mais importantes da sua agenda que ele não podia se desfazer, pego o celular velho dele cheio de telefones de vagabundas e Cia., Foi na janela e arremessou longe. Vi que passo o muro. Deve ter ido parar na rua.

(Gustavo) _Agora é com você Ale. Vai de você acreditar em mim, eu acho que fiz tudo que pude, se quiser que eu faça algo mais e só me pedir.

(Eu) _ hum. Ta bom. Vou pensar. Fechei a caixinha com as pulseiras e deixei em cima da cama e levantei.

(Gustavo) _O que?

Ele parou e ficou me olhando pasmo.

(Eu) _Eu disse que vou pensa. Ele ficou me olhando sério. Tipo com cara de ´não acredito´.

Eu dei uma risadinha e falei.

(Eu) _e brincadeira. Eu acredito em você. A melhor prova e a que vêm do coração, das palavras que são ditas, do olhar. Você me convenceu do que você quer.

(Gustavo) _menininho um dia você me mata com essas brincadeiras.

Abraçamos-nos, eu me vesti, coloquei minha pulseira, ele colocou a dele, aí falei que ia ao quarto da Ana pegar o presente dele. Dei pra ele um perfume. Já sabia que ele usava. O 212, adoro o perfume e sem nem pergunta sempre soube que ele usava. Ele adorou, nos beijamos mais um pouco, e como já tava dia, me arrumei e ele foi me levar em casa e voltou, porque iam umas diaristas limparem a zona da festa. Liguei pra Ana, celular fora de área. Devia ta no motel com o MU. Um mais bêbado que o outro. Deitei na minha cama e dormi como um anjinho. Coitadinho do GU só ia dormir a tarde disserto, ia demora pra arruma aquilo.

Se eu dormi umas 2 horas foi o muito, porque a Ana me ligo e foi lá em casa, aí ficamos fofocando o dia inteiro, fomos a casa dela, o Gu tava dormindo, demos uma estudada, eu nem estudava, só fingia, minha cabeça tava lá em cima dormindo com o GU, achei estranho ele não ter tentado nada comigo, mais eu também tava inseguro e não estava pronto pra transar ainda, eu tinha medo, e a pesar de confiar já no GU, eu ainda mantinha um pezinho atrás porque ele sempre falava da diferença de idade. Pensei também que em oito dias seria o meu aniversário, e sempre que passa meu aniversario, começa a esfriar, época do ano que eu não gosto nada. Já era 6 da tarde, resolvi ir pra casa, aí pensei nos braceletes, eu tinha que disfarçar perto da Ana, já penso se vê eu e o GU com um negocio igual nos braços? Ela e mais ligeira que rastilho de pólvora, já ia se ligar na hora, precisava falar com o GU disso. Quando estava passando pela sala, o GU vinha descendo as escadas com aquela carona amassada, ele sorriu e falou.

(Gustavo) _já ta indo?

(Eu) _sim, já enchi bastante o saco da Ana aqui.

(Ana) _Da onde. Acho ate que vou com você lá pra tua casa.

(Eu) _Então vamos. Podemos passar no shopping comer.

Fomos saindo e o GU falou.

(Gustavo) _Querem que eu leve vocês? Só espera eu tomar um banho e trocar de roupa.

(Ana) _Nem. Fique aí, não sei o que deu em você, nunca andava comigo, e agora me leva para a aula todos os dia, e sempre quer ta junto. Eu hein.

Ele deu risada e a gente saiu. Passamos no shopping, e fomos pro meu apartamento, ficamos lá na sacada biscateado, aí o MU ligo pra Ana e foi lá busca ela. Sabia que a Ana só queria ir lá para casa pra sair com o MU e nao precisar dar satisfação em casa disso. Ai vida.

(Ana) _Ale, vou indo amigo, te ligo mais tarde, ou então nos vemos na aula amanha.

(Eu) _Ta bem.

Liguei a TV, dei uma olhada no meu celular, tinha uma mensagem do GU, (Deve ta com a aninha aí neh? Vê se nao apronta, e nao esquece que eu to aqui em casa pensando em você. Beijos).

Respondi pra ele, (A Ana já foi, saiu com o Murilo. Nao me esqueço de você não, to quietinho aqui em casa também.).

Mandei a mensagem, e fiquei vendo TV, tava vestindo uma pólo velha, e um short bem curto, deitei no sofá e tava quase dormindo, de repente toca o interfone vou atender.

(Eu) _OI.

(Murilo) _Ale. É o MU, Quando deixei a Ana em casa, ela me pediu pra passar aqui e pegar a bolsa dela, que ela deixou, disse que ta em cima da cadeira na sacada, posso subir aí?

(Eu) _claro.

Abri o portão para ele, peguei a bolsa e fiquei esperando.

Bateu na porta, fui abrir a hora que eu abri, ele me seco dos pés a cabeça. Ele veio entrando, ele meche muito comigo, ele e lindo de mais e muito safado também.

(Eu) _ta ali a bolsa dela. Porque ela nao veio junto pegar?

(Murilo) _achou melhor eu vir aqui pegar, depois levo na casa dela e a gente fica mais um pouquinho lá na frente.

(Eu) _então ta. Leva aí a bolsa então.

Ele veio chegando perto de mim e começo fala da festa.

(Murilo) _A festa tava boa ontem neh?

(Eu) _verdade.

(Murilo) _Gostei muito da sua fantasia ontem, nao consegui tirar os olhos de você ontem.

Ai meu deus, ele vinha falando e chegando perto de mim. Socorro meu senhor.

Quando vi eu já tava encostado na parede e ele bem perto de mim, eu fui sair da frente dele ele estico um braço na parede me impedindo.

(Eu) _Murilo. Sai que eu não to gostando disso.

Foi eu fala isso que ele me pego pela cintura e me puxo conta o corpo dele.

(Eu) _ai, sai Murilo, me larga, não to gostando dessa brincadeira.

(Murilo) _Não e uma brincadeira, nisso ele me lasco um beijo.

Eu tentei me livra dele, e não conseguia, o safado me pego de jeito. Ele ficou uns 2 minutos me beijando, aí ele parou e fico me apertando contra ele, eu falei pra me solta se não eu gritaria. Ele só sussurrou.

(Murilo) _Não precisa gritar eu já to indo. E não conta isso pra ninguém entendeu?

Falo isso num tom de quem estava me ameaçando.

Abri a porta e ele foi embora.

Idiota, acha que eu tenho medo dele?

Comecei chorar meu deus. Eu não tive nada a ver com isso, Ele me pegou eu não queria.

Ai meu pai. como que eu vou olhar pra Ana agora?

Peguei meu celular e dei um toquinho no GU e ele me ligou.

Já comecei chorar quando ouvi a voz dele.

(Gustavo) _O que aconteceu Ale? Porque ta chorando?

(Eu) _venha aqui. Preciso falar com você.

(Gustavo) _ta calma, espera que já chego.

Ele veio, o abracei e comecei contar. Contei tudo o que tinha acontecido, mostrei a marca da pegada que o Murilo deixou na minha cintura.

(Gustavo) _Eu vou matar esse cara, já te falei que eu não admito que ninguém alem de mim te encoste. Eu te respeito tanto, e dói chega um filho da puta e te agarra desse jeito?

Eu já sabia que ele não valia nada, por isso nunca gostei da Ana ta se envolvendo com ele.

Eu só chorava e pedia pra ele não me deixa sozinho ali.

Ele sentou, e eu sentei entre suas pernas e deitei, ele fico fazendo carinho em mim, e acabei pegando no sono, o senti me levando pro quarto e deitando ali do meu lado, No outro dia ele acordo as seis da manha, me acordo, falo que ia pra casa se arruma, e que passava com a Ana me pegar pra ir pra escola.

Fiz um sinal de positivo com a cabeça e falei pra ele encostar aporta, que eu ia dormir só mais um pouquinho. Levantei me arrumei era dia de treino. Rotina normal.

Tinha esquecido de falar pro GU para disfarçar os braceletes na frente da Ana, antes que ela percebesse algo, eu coloquei um relógio por cima do meu, e na hora que a gente tava indo pra aula, ela passou a mão no braço do GU, falo que lindo e tal. Ele olhou pra traz e eu mostrei o meu encoberto pelo relógio ele só riu.

Ele me mandou mensagem à manha todinha, eu nem prestava atenção na aula, ele tava começando a tocar no assunto. Tipo quero sentir você por completo e tal.

Ai meu deus. Eu não tenho como fugir. Vai chega a hora que eu vou ter que liberar. Tava morrendo de medo.

Dia de treino. Meu deus. Mais um dia que saí morta, nossa, como o GU já tinha me pedido, a hora que terminasse era pra eu ligar que ele ia me busca e me leva em casa. Liguei pra ele, e fiquei lá esperando, tava papeando com as faxineiras do colégio, adorava falar com elas. Me contavam todas as intrigas entre professores e entre elas. Adorava conversar com elas. O GU me deu um toque e saí, ele já tava ali na frente, entrei no carro, ele olho meu braço e pergunto.

(Gustavo) _Cadê o bracelete?

(Eu) _ a é. Tirei pra treinar, não pod

One Response to “Irmão da minha melhor amiga (Parte 1)”

  1. Poxa,tinha que continuar !

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

Outros contos de autoria deste autor rioverdegoias

Ultimos contos escritos por rioverdegoias »

Pesquisa