Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

Irmã carinhosa

  • Enviado: 18 de maio de 2001 12:28

Corpo do conto

Caros leitores, meu nome é Júnior e essa é a história que rolou há dois meses entre eu e minha irmã, eu tenho 29 anos e minha irmã que se chama Raquel tem 18. Tudo andava normalmente em minha casa, eu trabalhava de dia e à noite estudava e foi quando meus pais teriam que viajar para o interio pois minha vó estava muito doente, então ficaria eu e minha irmã sozinhos por um mês inteiro. Nos primeiros dias tudo corria normalmente até que no terceiro dia eu cheguei à noite em minha casa e minha irmã estava assistindo tv na sala apenas com uma camiseta comprida. Eu comi alguma coisa e fui assistir tv com ela e sentei ao lado dela perguntado o que tinha acontecido naquele dia e ela me falou que estava um pouco com medo de ficar o dia inteiro em casa sozinha, porque às vezes escutava alguns barulhos, à essa altura ela estava deitado com a cabeça em meu colo e eu aisando seus cabelos, de repente ela virou um pouco de lado e a camiseta subiu deixando o que eu nunca tinha notado, minhã irmãzinha estava uma delícia, suas coxas grossas e lisinhas e uma bundinha redondinha dentro de uma calcinha preta bem cavadinha, na hora meu pau deu sinal de vida e confesso que fiquei meio constrangido por estar sentindo tesão pela minha própria irmã, ela continuou falando o que tinha rolado na aula e coisas banais do dia dela e eu alisando sua cabeça e comecei passando a mão pelo seu braço, sua barriga e de repente ela me pede para fazer massagem nos seus pés, claro que concordei, então ela se virou colocando sua cabeça no encosto do sofá e as pernas em cima de mim. Comecei massageando bem devagar e ela adorando e falei se poderia subir para as pernas e ela concordou, quando eu comecei a subir para as suas coxas ela falou que estava com sono e queria dormir mas estava com medo de dormir sozinha e falou para mim dormir com ela na cama de nossos pais, advinhem se concordei.

Fomos para o quarto e ligamos a tv e estava passando um filme meio sacana, para provocar minha irmã, aliás deixe eu descreve-la: 18 anos, loirinha, branquinha, coxas grossas, bundinha bem redondinha, peitinhos que parecem feitos em um molde de tão perfeitos e uma carinha de criança, bom, voltando a história para provocar ela fui para a cama só de cueca e meu pau duro era visível, de repente Raquel me fez uma pergunta: Maninho, você se excita vendo esse tipo de filme?, e eu: – Claro que sim Raquel dê uma olhada no meu estado. Ela olhou no meu pau e falou: – Apesar de eu já ter namorado nunca vi um pau ao vivo e riu. Foi minha deixa, perguntei se queria ver e ela disse que sim, coloquei meu pau para fora e ela falou que era lindo e quis pegar, era incrível minha irmã pegando no meu pau era demais, quase gozei na sua mão, quando disse para ela :

- Raquel gostaria de ver seu corpo, pode ser?

E ela imediatamente ficou de pé na cama e tirou a camiseta, quase morri com a cena, minha irmã era um tesão, sua bucetinha lisinha era demais, seus peitos de tão duros quase não balançavam, ela riu para mim e perguntou se gostei, e respondi que amei e puxei ela para baixo e fiz o que jamais pensei em fazer, deu um beijo em minha própria irmã, que cresceu ao meu lado, um beijo cheio de tesão, fui descendo e lambendo cada parte do seu corpo até chegar na sua buceta, chupei ela com toda a minha experiência e ela gozou como uma louca, eu não aguentando pedi para ela chupar meu pau o que ela fez com maestria. A cena dela chupando o meu pau é inesquecível e não aguentei e gozei em sua boca e ela engoliu e falou que estava ótimo o sabor e riu um pouco, meu pau não amoleceu e pedi para ela fixcar de quatro pois queria come-la, ela disse que era virgem e se deviamos fazer realmente aquilo, olhei nos olhos dela e beijei sua boca e disse que só faria o que ela quisesse, como resposta ela ficou de quatro, toda arreganhada para mim, expondo aquela bucetinha raspadinha e virgem, encostei meu pau na entrada da sua buceta e fui empurrando bem devagar, era maravilhoso eu estar comendo uma bucetinha virgem e ainda da minha própria irmã, fui bombando cada vez mais forte e ela gemendo bem alto, comecei à dar tapas em sua bundinha para ela relaxar e acabei gozando como nunca tinha gozado, quase desmaiei de tanta porra que joguei dentro dela.Durmimos abraçados como namorados e na manha seguinte acordamos e trepamos a manha inteira e só depois lembramos que não usei camisinha, ficamos um pouco receiosos, mas depois fizemos um teste de gravidez e deu negativo, de lá para cá eu e minha irmã tansamos quase todos os dias e no próximo conto contarei como ela conseguiu seduzir meu pai. Gostaria de receber e-mails de pessoas que também já viveram o incesto para trocar idéias.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: jaguar
  • Membro desde: 30 de agosto de 2004

Outros contos de autoria deste autor jaguar

  • Nenhum outro conto escrito por este autor encontrado.
Ultimos contos escritos por jaguar »

Pesquisa