Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

FILHO TARADO POR MULHERES MAIS VELHAS…

  • Enviado: 21 de novembro de 2007 17:34

Corpo do conto

Ola!…. Vou dizer que meu nome é Carina, hoje tenho 51 anos; sou divorciada e ainda gosto de tudo relacionado ao sexo, inclusive ler alguns contos eróticos e de preferência sobre incesto. Este é o motivo de estar aqui narrando o que aconteceu e ainda acontece comigo e meu filho. Quando me separei do meu marido estava com 45 anos e meu único filho com 25. Vou tratar aqui meu filho pelo nome de Jamil. Jamil sempre foi um rapaz namorador, trocava de namorada como se troca uma camisa. Também pudera!… ele um rapagão de 1,80 mts, +- 70 kgs bem distribuídos, moreno lindo; inteligente; extrovertido, fazia as garotas suspirarem com seu charme. Como tinha um bom emprego, Jamil era independente e morava sozinho numa bela casa em um condomínio. Depois de quase um ano separada passei a me sentir muito sozinha, sem perceber que estava atrapalhando a vida de meu filho passei a ir freqüentemente na casa dele e muitas vezes ficar alguns dias lá hospedada. Jamil era muito educado e me tratava com muito carinho. Comecei a perceber que ele saia muito com mulheres mais velhas que ele, 30, 35 e até de 40 anos. Eram belas mulheres, mas a diferença de idade era visível. Certa vez ele chegou com uma mulher de +- 38 anos, morena bonita que tinha um corpo muito parecido com o meu (sempre cuidei do meu corpo com muita malhação em academias): seios grandes e durinhos, bunda volumosa mas firme, cintura fina e coxas grossas. Já tarde da noite fui dormir e deixei os dois na sala. Uma ou duas horas depois, acordei e resolvi ir até a cozinha beber água. Ao passar pelo quarto de Jamil escutei uns sons muito sugestivos… os dois deviam estar transando. Sem me conter cheguei bem perto da porta e comecei a ouvir. Durante uns 10 minutos aquela mulher gemeu e urrou nitidamente com a vara do meu filho lhe comendo. De repente percebi minha xoxota começar a ficar úmida ouvindo os dois: – Que caralho gostoso… soca na minha buceta… (ela) estou gozando…. (ele) agora vou comer esse seu cuzinho… (ela) aiiiiii, ta rasgando meu cú!…. Ela gritava como se estivesse sendo judiada sexualmente. Nem tomei minha água, retornei ao meu quarto e lá soquei dois dedos na buceta numa siririca alucinante. Custei a dormir e quando acordei aquela mulher foi embora minutos depois… Confesso que fiquei enciumada com tanto carinho que meu filho demonstrou pra aquela piranha. Ele preparou um lanche pra mim e eu sutilmente indaguei que aquela namorada dele era muito bonita mas que era bem mais velha que ele. Ele sem saber que eu sabia que eles tinham transado me respondeu que ela não era sua namorada, era apenas uma amiga. Eu nitidamente demonstrando ciúmes perguntei se ele transava com todas as suas amigas. Jamil ficou sem graça e eu lhe pedi desculpas por ter ouvido os dois transando dentro do quarto. Ele então disse que atualmente gostava mais das mulheres maduras do que aquelas namoradinhas novinhas sem muita experiência e que se fosse uma mulher casada e carente pra ele era melhor ainda… pediu pra não ficar preocupada que ele sempre usava camisinha. Os dias foram passando e eu na conseguia tirar da cabeça a tara que meu filho tinha por mulheres mais velhas. Fiquei uns tempos sem ir na casa dele, até que um dia ele apareceu na minha preocupado pelo meu sumiço. Expliquei que tinha percebido que estava atrapalhando seus encontros amorosos me hospedando na sua casa. Ele explicou que não tinha o costume de levar mulheres pra casa; aquela tinha sido uma exceção, e que gostava que eu lhe fizesse companhia de vez em quando. Voltei a dormir freqüentemente na casa do meu filho e a me sentir mais à vontade. Ele tinha a mania de sempre quando ia dormir, entrar no meu quarto e me dar um beijo de boa noite. Eu sabendo da sua tara e querendo provar pra mim mesma que ainda podia causar boa impressão a um homem, resolvi testar meu próprio filho. Até que um dia, deixei-o na sala e fui pro quarto… larguei como sempre a porta somente encostada e fiquei pelada bem perto do armário de roupa pra fingir que a minha intenção era pra me vestir. Fiquei naquela posição por mais de meia hora até que percebi a porta sendo aberta…. Jamil quando se deparou comigo totalmente nua ele pediu desculpas e já ia saindo, eu rapidamente. : – Pode acabar de entrar filho, eu já vou me vestir!…. Ele titubeou mas acabou ficando parado dentro do quarto a poucos metros de mim com o olhar fixo no meu corpo. Eu fingindo naturalidade abri a gaveta e retirei uma calcinha e fui colocando-a sempre virada de frente pra ele…. peguei uma camisola e lentamente passei-a sobre a cabeça pra vesti-la; nunca dormia com sultiã. Percebi que Jamil ficou totalmente balançado vendo sua própria mãe peladinha, pra quebrar o gelo. : – Oh filho!… desculpa, esqueci de trancar a porta…. mas acho que não tem problema nenhum, né?….. você já viu tantas mulheres bonitas nuas que não vai ficar incomodado de ter visto uma velha como eu sem roupa….. Ele retrucou.: – Que isso mãe??!!…. pelo contrário, você tem um corpo maravilhoso… eu nunca podia imaginar que tinha uma mãe tão….tão…. : – Tão o quê??…. pode falar!…. : – Tão gostosa!… perdão mãe por falar assim…. : – Ah filho! você deve ser o único homem que pensa isso de mim, eu sei que já sou uma mulher fora de forma…. Ele voltou a confirmar que eu era mulher ainda muito bonita e que se quisesse podia facilmente arrumar um namorado. Eu aproveitei e confessei ao meu filho que não queria mais me amarrar a nenhum homem apesar de sentir falta de sexo às vezes. Jamil então me abraçou carinhosamente, dizendo. Oh mãe!… eu sei o quanto foi difícil sua separação com meu pai, mas não fica assim não! …. você sabe que te amo muito e quero você sempre perto de mim, tá???… Eu então falei.: – Tá bom filho!… e muito obrigada por elogiar meu corpo e me fazer sentir mais bonita do que sou…. Ele rindo respondeu que era pra eu tomar cuidado, pois se tornasse a me ver pelada seria capaz até esquecer que eu era a sua mãe…. No dia seguinte, estava terminando de tomar meu café da manhã quando ele chegou na cozinha e me deu um beijo de bom dia e sentou também para lanchar. Minutos depois eu disse que ia tomar um banho, ele pediu pra esperar um pouco que ele precisa escovar os dentes pra sair. Eu normalmente disse que ia deixar a porta aberta e me dirigi rapidamente pro banheiro. Quando eu já estava quase terminando o banho ele entrou e começou a escovar os dentes…. eu simplesmente abri a porta do box e fiquei me enxugando e perguntando se ele ia demorar muito pra voltar pra casa. Jamil terminou sua higiene bucal e virando pra mim (estava novamente pelada na frente do meu filho) dizendo que voltaria somente à noitinha, pegou a toalha da minha mão e terminou se me secar esfregando a tolha em todo meu corpo sem esquecer da minha bunda e da minha xoxota…. Eu fiquei tremendo de excitação e notei que ele também ficou muito excitado, pois na frente da sua calça formou um volume bem visível. Ele me devolveu a toalha e deu-me um beijo de leve na boca e abaixando beijou também um dos bicos do meu peito, falando. : – Dona Carina, espero que o dia passe rápido pra eu poder voltar pra casa, e saiu rapidamente. Fiquei o dia inteiro nervosa… a tarde tomei um banho novamente e vesti uma calcinha bem cavada e a camisola. Quando ele chegou devia ser umas oito horas da noite, deu-me novamente um beijo de leve nos lábios e foi tomar seu banho. Ao passar perto da porta do banheiro, percebi que ele tinha deixado aberta e resolvi lhe perguntar se ele queria comer alguma coisa. Jamil pediu pra eu entrar e desligou o chuveiro… meu coração disparou quando ele saiu do box peladão e ficou bem perto de mim puxando conversa se enxugando. Quando eu vi aquela pica enorme, grossa e dura com +- 20 cms cheguei a sentir uma leve tontura e uma contração forte na minha buceta. Jamil percebendo meu vacilo me segurou perguntando. : – O que foi mãe?…. está sentindo alguma coisa????…. Eu rapidamente respondi. : – Não Jamil, está tudo bem!… é que depois de tanto tempo sem ver um homem nú na minha frente quase tive um troço… ainda mais com esse tamanho!…. Ele falou.: – Mãe!… ando sentindo muito tesão por você, sabendo que está sem fazer sexo a tanto tempo meu tesão aumenta mais ainda… Jamil me abraçou forte e eu segurei e apertei sua pica sentindo ela duríssima. Ele me levou pro seu quarto e lá tirou minha camisola me colocando deitada na cama, tirou minha calcinha e deitou sobre mim mamando os meus peitos avidamente…. quando ele passou a beijar minha boca introduzindo sua língua, notei que ele procurava posicionar sua vara na entrada da minha buceta. Pra facilitar dei uma levantadinha nas pernas e senti minha vulva envolvendo a cabeça daquele mastro… Quando Jamil começou a empurrar e enfiar aquela coisa grande e grossa dentro de mim, tive a impressão que vários sinos tocavam dentro da minha cabeça…. A sensação de ter meu filho me comendo foi indescritível…. meu corpo parecia estar ligado numa tomada de 220 volts. Quando seu pau entrou todo na minha xoxota tive meu primeiro orgasmo e me transformei numa vadia sendo fodida. : – Mete meu filho!… mete gostoso na minha buceta…. iiiiiisssso!…. mais!… mais!…. quero gozar de novo no seu pau!…. Jamil era uma máquina de fazer sexo, ele socou sua piroca em mim por mais de dez minutos sem parar. Eu só sei que tive vários orgasmos antes dele encher minha xoxota de porra num gozo prolongado. Dormi como a mulher mais feliz do mundo, acordei no dia seguinte me sentindo uma adolescente. Quando Jamil chegou na cozinha, deu-me um beijo longo pra depois dizer que eu era a melhor mulher que ele já tinha tido nos braços. Eu toda orgulhosa. : – Jamil!…. você não consegue imaginar como estou feliz, nunca na minha vida senti tanto prazer…. Jamil me puxou fazendo eu sentar no seu colo e levantando minha camisola alisou minhas coxas e me beijando apaixonado, disse.: – Mãe!… eu quero ver você feliz, podemos fazer e sentir juntos todos os prazeres entre um homem me uma mulher, é só você querer!… Eu.: – É claro que eu quero!…. não quero ser mais uma mulher recalcada e achando que tudo é pecado… Fiquei aguardando Jamil chegar do serviço com a perereca latejando de vontade de ser novamente penetrada. Quando Jamil chegou eu estava na cozinha vestindo apenas um short. Ele me pegou como se eu fosse realmente a sua mulher…. me abraçou e me beijou apaixonadamente pra depois ir me despindo toda. Colocou-me deitada sobre a mesa e segurando minhas pernas sobre seus ombros enfiou a boca na minha perereca lambendo minha racha com sua língua… chupou e sugou meu grelo com tanta pressão que senti um orgasmo transformado em cachoeira saindo pela buceta e lambuzando a sua cara. Jamil lambeu um pouco meu liquido vaginal pra depois levantar e tirar seu trabuco pra fora e rapidamente socá-lo todo dentro na minha xoxota. Novamente meu filho bombou tanto na minha buceta me proporcionando vários gozos seguidos e despejar todo seu leite dentro das minhas entranhas. Tomamos um banho e fomos pelados pra sala onde ficarmos assistindo TV e nos acariciando até ele pedir pra dar uma chupadinha no seu pau. Duas coisas que eu nunca tinha feito; chupar um pinto e dar a bunda… mas a situação não me permitia recuar, ajoelhei e fui procurando abocanhar aquela vara. Quando senti aquele tronco duro com um gosto salgado palpitando dentro da minha boca fui gostando e comecei a subir e descer os lábios fazendo minha saliva escorrer em toda sua extensão. Jamil não era de gozar facilmente, chupei tanto que minha boca começou a doer… mas mesmo assim continuei e ele segurou minha cabeça até que gritou que ia gozar… quando senti um torpedo de porra bater lá no fundo da minha garganta tirei a boca rapidamente e ele continuou a espirrar o restante lambuzando minha cara… que gosto delicioso era a porra do meu filho!. No dia seguinte retornei pra minha casa, só voltando uns 15 dias depois pra passar o final de semana a pedido dele. Logo que nos encontramos Jamil já foi dizendo que sentiu muito a minha falta naqueles dias…levou-me pra sua cama e depois de me despir ele percorreu todo meu corpo com sua boca, beijando; lambendo e chupando tudo que ele via na sua frente… depois de lamber e enfiar sua língua na minha buceta me fazendo gozar bastante, ele enfiou sua piroca na minha boca e meteu como se ela fosse uma xoxota… quando ele gozou procurei engolir tudo saboreando como se fosse um manjar dos deuses. Os dias se passaram e Jamil começou a elogiar muito a minha bunda, sempre que ele me comia quando ficava de quatro, ele apalpava, alisava e esfregava seu pinto no meu rego antes de enfiá-lo na minha buceta. Fui percebendo que ele queria era comer meu cuzinho ainda virgem, mas talvez não querendo me magoar só ficava me esfregando. Até que resolvi e perguntei.: – Filho!… você está com vontade de comer minha bunda???… se tiver eu deixo, tá?…. é só você ter cuidado porque nunca dei ele pra ninguém!… Jamil ficou todo empolgado em saber que ele ia ser o primeiro a comer meu cú. Rapidamente ele pegou um gel e enfiando seu dedo lambuzou bastante meu rabo. Eu de quatro senti quando ele encostou aquele trabuco no meu anus e deu uma empurrada… o gel fez aquela tora escorregar pra dentro de mim como se fosse um quiabo… no início senti um desconforto, mas quando senti toda aquela grossura latejando e fazendo um movimento de entra e sai, comecei a sentir um prazer tão grande que praticamente urinei de tanto que escorria pela minha xoxota meu liquido vaginal. Jamil parecia um animal… segurando a minha cintura com as duas mãos ele dava socadas firmes, dizendo.: – Nossa mãe!!!.. que cuzinho gostoso que você tem… pisca o cuzinho no meu pau, pisca!… issssso!… até parece que ele tá mordendo meu cacete…. mãe!… mãe!…. mãe!… ahhhh!… ahhhh!…. ahhhh!…. Que delicia quando senti Jamil gozando e gotejando aquele monte de porra dentro da minha bunda. Já se passaram uns 5 anos e ainda continuo a transar com meu filho. Por enquanto não necessito de outro homem pra me satisfazer, basta ele vir na minha casa ou eu ir na dele pra gente passar horas peladinhos fazendo todo tipo de sacanagem.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Pesquisa