Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Voce ja acessou o contoerotico 1 vezes! Para acesso ilimitado em nosso site seje um assinante vip

Cunhada novinha e safada

  • Enviado: 27 de janeiro de 2014 09:26

Corpo do conto

Olá meu nome é Augusto tenho 29 anos, tenho 1,75 m, 70 kg, sou moreno pele clara. Sou casado há 5 anos com Patrícia 25 anos 1,67m morena, minha esposa é aquela mulher fofinha, cheinha, seios fartos, mais parecem dois melões, bunda empinadinha redondinha, coxas bem torneadas. Nos damos muito bem no casamento e ela sabe exatamente como me satisfazer na cama. Sua irmã Priscila tem 18 anos, 1,72m e as mesma características de minha esposa exceto que seus peitos são um levementes menores e mais empinadinhos, devido ao fato de minha esposa já ter amamentado e ela não.
Nunca tive olhos para minha cunhada, apesar de sempre ficar sabendo de suas histórias, mas depois que ela completou 19 anos comecei a reparar mais naquela gostosa. Ela gosta de ir dormir lá em casa pra conversar com minha irmã, e contar-lhe suas confidências amorosas, com quantos homens já havia saído, como eram suas noites, detalhes muitos que por vezes em conversa com minha esposa, está me confidencializava, e eu ficando cada vez mais louco pra pegar minha cunhadinha.

Eu já estava a uns 6 seis meses paquerando minha cunhada e por vezes fazia questão de deixá-la me ver olhando para seus atributos com um olhar de cobiça. Quando há dois meses, quando estou no trabalho, minha esposa me liga pedindo pra eu passar na casa de sua mãe, pegar um dinheiro que uma amiga deixou lá com minha cunhada, pra pagar uns produtos que minha esposa havia vendido pra ela. Me explicou que sua mãe naquele dia iria chegar tarde do trabalho, pois iria passar no centro comprar um vestido antes de ir pra casa e que a Priscila deveria chegar em casa por volta das 5 hrs, e que ela já gavia havisado que eu passaria lá. Pronto passei o dia todo na expectativa, até deixei minhas atividades de lado e comecei a procurar contos eróticos na net e ficar olhando as fotos que andei tirando escondido de minha cunhada pra ficar mais excitado.

Resolvi sair um pouco mais cedo do trabalho, fui direto até a casa da mimnha sogra. Como já tenho certa intimade com a família fui direto entrando pelo portão e passando na garagem escutei o chuveiro ligado e percebi que minha cunhada estava no banho. Por um instante exitei, minha vontade era entrar correndo pela porta e agarrá-la no banho mesmo e arrombá-la por inteiro, porém e se ela resistísse, e se fosse me entragar para minha esposa, podia ser o fim do meu casamento. Parei e escutei um pouco, nada havia só o barulho do chuveiro. Logo se ela não estivesse tão distrída em seus pensamentos, com certeza teria escuto que entrou alguém. Então decidi por me identificar.

– Pri, sou eu, o Guto, posso entrar?

– Claro Guto.

Entrei, e quando chego na sala outra surpresa. A porta do banheiro estava entre aberta. Parei e meu pau já estava pulsando de tesão dentro da minha cueca, era minha chance de vê-la, de possuí-la, então cheguei próximo a porta o mais silenciosamente que pude para expiá-la, e institivamente já fui acariciando meu pau por cima da calça. Fiquei nisto por um breve momento e então falei:

– Pri, vou encostar a porta e vou te esperar na cozinha, para você ficar a vontade. Mas claro que não iria, ficaria ali mesmo acariciando meu pau e expindo. Mas sua resposta me desconcertou.

– Não precisa fechar a porta, pode deixar assim mesmo, para podermos ir conversando, então ela abriu a porta do box que é fumê, e me deu um sorriso safado e completou. Veja só esqueci de trazer minha toalha, você poderia pegá-la no meu quarto está em cima da cama.

Respondi que tudo bem e corri ao seu quarto, lá encontro não uma, mas duas toalhas. Fiquei ali, um tempinho olhando uma foto dela, então peguei as toalhas e voltei ao banheiro, no caminho já fui desabotoando minha camisa e soltando a fivela do meu cinto, entrei sem fazer cerimôneas, a porta do box estava fechada e disse:

-Pri, não sei qual destas é sua toalha, mas vou deixar as duas aqui. Nisso foi minha última surpresa, ela abriu o box com tudo e mostrando peladinha pra mim e disse:

– Você pode usar uma delas se você quiser. Pensa que não noitei que há tempos desejas isto.

Tirei minha roupa correndo e entrei no banho com ela. Fui logo puxando pra junto de mim e tasquei um beijo longo e apaixonado. Com uma mão fui massageando seu cabelo e a outra fui deslizando pelo seu ombro, costas até chegar em sua bunda. E logo comecei a boca passei aos seus peitos e comecei a chupá-los e mordê-los, ela ficou louca e pegou no pau e começou a punhetar. Meu pau não é tão grande tem uns 18 x 5 e ela logo que pegou disse:

– Minha irmã sempre falou que você tinha um pau gostoso, fez tanta propraganda que me deixava com uma tesão. Hj vou matar minha vontade de provar esse caralho.

– Sei, que seus namoradinhos com certeza já te fuderam muito. Maseu não parava de massageá-la.

– Que nada essa piazada de hj em dia, são td um frocho, pro isso prefiro homens mais experientes.

– Então se prepara, que hj vc vai gozar muito, gata.

Coloquei uma mão em sua bucetinha, tava depildinha, procurei seu grelinho e comecei a acariciá-lo, e senti que seu corpo se arrepiou, ela deu um gemido fraco, e me puxou pra outro beijo demorado. Com a outra mão eu acariciava um de seus peitos. E terminando o beijo voltei rápido a mamar em seu outro peito.
Ela estava entregue loca de tesão, me afastou, se agachou e meteu meu pau em sua boca e começou um boquete. Não tinha muito prática pra isso, pois tinha tido poucos namorados, porém aos poucos foi melhorando. Ela lambia a cabeça do meu pau, enquanto me punhetava e logo enfiava boa parte dele pra dentro.

E eu falava: – Vai putinha chuma minha pica gostoso chupa.

Após uns 3 minutos q ela tava nisso, tirei sua mão do meu pau, peguei em seu cabelo e comecei a direcionar o boquete, forçando meu pau entrar cada vez mais em sua boca. Ela fez uma pressão com sua boca e comecei a bombar como se tivesse metendo em sua bocetinha. E rapidinho gozei na sua boca. Ela engoloiu tudinho e continuou chupando mais um pouco para limpá-lo.

– Então a levantei, me agachei em sua frente, coloquei uma de suas pernas em meu ombro e comecei a chupar sua bocetinha, metia minha lingua bem fundo e lambia com força, sugava seu grilinho com força e ela começou a gemer cada vez mais forte, passava a mão em sua bocetinha e tornava a chupar fazendo circulos com minha língua em volta do seu grelinho. Lambi a portinha de seu cuzinho e o espaço entre o cuzinho e bucetinha e ela massageando seu peito com uma mão e com a outra puxando meu cabelo na tentativa de enfiar ainda mais minha cara em sua bucetinha, gemia, gemia cada vez mais. Eu passava minha lingua por toda a bucetinha dela, sentindo o cheiro e o sabor daquele melzinho delicioso pois eu adoro chupar. Passei então a chupar seu grilinho enfiando dois dedos um sua bucetinha, ela começou a rebolar na minha cara. E dizer – Isso, vai, mais, me faz gozar, me faz sua putinha safada – e depois de um gemido mais alto ela travou suas pernas, prensando minha cabeça, deu uma estremecida e gozou um monte. Tirei meus dedos de sua bucetinha e esperei, e assim q ela afrouxou um pouco as pernas, dei uma lambiada paara sentir o seu mel.

Me levantei a beijei e a convidei a ir para sua cama, para continaurmos. Chegando em seu quarto fui beijando-a e acariciando sua bucetinha. Senteia na cama e então coloquei meu pau entre seus seios onde recebi uma bela espanhola. E a fiz me chupar mais um pouquinho para lambuzar meu pau. Coloqueia de 4 e novamente voltei a chupar sua bucetinha e seu cuzinho que piscava de tesão, ela só rebolava e gemia, eu disse:

– Vem, agora senta no meu pau e cavalga sua puta, senta gostoso. Ela prontamente encaixou meu pau na entrada de sua bucetinha encharcada e de uma vez só sentou com tudo, me fazendo gemer de tesão, ela se apoiou em meu peito, chegando sua boca bem próxima da minha e começou a subir e descer sua bucetinha no meu pau, bem devagar. Ela deu um sorriso safado e disse:

– Nossa Guto, agora eu sei porque minha irmã é louca pra você. Ai q pau gostoso, enfia tudo na minha buceta, me arregaça me faz uma puta feliz..Quero ser sua cadela. E acelerou o movimento me levando ao delírio, Comecei a mamar em seus peitos enquanto ela subia e descia no meu pau igual uma louca. E logo ela anunciou outro gozo, seu corpo estremeceu ela se enrigeceu, gemeu forte e parou sentada no meu pau. Foi caindo de lado, deixei ela se recompor por uns instantes e então disse:

– Minha vez de gozar gostoso em você: Coloqueia de 4, pincelei sua bucetinha com meu pau, enfiei um pouquinho, depois tirei. Enfiei de novo e tirei, Enfiei uma terceira vez com tudo até o talo e deixei. Ela suspirou deu uma gemida e disse:

– Isso me fode gostoso, não fica judiando de mim. Dei mais uma duas estocadas pra lambuzar bem meu pau, tirei e fuidirecionando em seu cuzinho.

Ela já foi dizendo: – não ai não. Nunca dei o cuzinho, doi demais e não sei se estou preparada.

Eu falei Que era normal doer no começo, mas que depois a dor se transformaria em tesão e seria a melhor trepada da vida dela. Mas tirei meu pau de seu cuzinho e voltei e enfiá-lo fundo em sua bucetinha.

– Isso me fode gostoso, seu safado, gosoto. Se vc me foder gostoso, eu prometo que da próxima vez eu te dou meu cuzinho.

E foi o que fiz, enfiei tudo de uma vez e comecei a estocar meu pau em sua bucetinha com força, ritmado segurando seu cintura com uma mão e dando tapas em sua bunda com a outra. Novamente fui metendo até sentir que seus gemidos se intensificaram, sinal de que ela tava quase gozando, nessa hr tirei quase td meu pau de dentro da sua bucetinha e estoquei com força ela deu um gritinho e pediu mais, comecei a tirar quase td meu pau de dentro e estocar com força e não demorou muito seu corpo anuciou outro gozo. Eu tava morrendo de tesão, e já não aguentava mais, então tirei meu pau de sua bucetinha e gozei na sua bundinha, espirrei muita porra na sua bundinha.

Depois levantamos, tomamos outra ducha rápida, pois sua mãe não tardaria a chegar, ela me deu o dinheiro que eu fora buscar, trocamos mais algumas carícias, me despedi e fui saindo. Ela correu para seu quarto ligar o computador.

Encontrei minha sogra chegando em casa, e disse que tinha acabado de chegar e só tinha ido mesmo buscar o dinheiro. Mas que voltava outro dia com a Patrícia para jantar.

Desde então minha cunhadinha passou a ser minha putinha, já comi seu cuzinho, outro dia contarei essa história, ela disse que adorou que vai repetir sempre. Mas continuamos a nos tratar com indiferença principalmente na frente da Pati. Para ela não desconfiar.

Espero que gostem da minha primeira história quem quiser entrar bem contato: rs631033@gmail.com

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: rs631033
  • Membro desde: 23 de janeiro de 2014

Outros contos de autoria deste autor rs631033

Ultimos contos escritos por rs631033 »

Pesquisa