Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

Enviar Conto

Comendo o rabão peludo do caminhoneiro.

  • Enviado: 7 de setembro de 2012 16:58
Comendo o rabão peludo do caminhoneiro.

Corpo do conto

Meu nome é João Pedro e vou lhes contar o que me aconteceu em uma viagem que teve um final que não começou bem mas me rendeu uma foda fantástica. Sou moreno, tenho o corpo malhado tenho 27 anos e sou tarado em um cuzinho de macho.

Estava voltando para casa quando de repente meu carro enguiçou, tentei arrumar, mas não encontrei o defeito, celular no meio da estrada sem sinal, resolvi pedir carona para ir ate a cidade mais próxima chamar um mecânico após algum tempo um caminhão para no acostamento explico e sou convidado a entrar no enorme veiculo.

O caminhoneiro Geraldo, estava sem camisa expondo seu peito peludo e sua barriga que não era trincada como a minha, mas seca, vestido apenas com um short largo permitindo livre movimento a suas coxas grossas e também peludas.

_Você viaja par longe ou faz apenas viagens curtas? _ Puxei conversa.

_ Faço os dois tipos longas e curtas.

_ Você faz academia esta em forma.

Após um sorrisinho e uma coçada em seu cavanhaque respondeu:

_ Como não posso freqüentar a academia regularmente tenho alguns aparelhos em casa e no caminhão trago pesos e treino todos os dias alem de fazer abdominais e outros exercícios para não enferrujar.

_ Esta dando resultados _ sorri.

Chegamos a um posto que estava desativado já estava tarde da noite Geraldo parou o caminhão e desceu.

_ Não acredito, como esta tarde para continuarmos a próxima cidade esta longe este posto servia de parada vou verificar se pelo menos os banheiros estão funcionando.

Resolvi descer também e ir junto. Geraldo pegou uma mochila umas lanternas enormes e entramos.

_ Sem luz mas tem água, ta fia mas do jeito que estou suado o dia todo no maior calor preciso de um banho.

Falou e começou a tirar a roupa, as lanternas pareciam dois farou iluminava boa parte do banheiro que era enorme. Quando vi a bunda de Geraldo nua meu pau virou roxa, já estava sacando ela desde que saímos do caminhão mas ali peladinha toda peludinha enorme não consegui me segurar, o caminhoneiro me perguntou:

_E você João Pedro não vai tomar banho? Esta com vergonha de mim ou não trouxe sabonete e toalha? Se for isso fique a vontade pode pegar o meu trouxe ate shampoo.

Nem respondi já fui logo tirando a roupa e quando Geraldo viu meu pirocão falou:

_ Que isso cara ta na seca, que caralho duro é esse?

_ To ate meio sem graça cara mas é esse seu bundão meu pau ta tarado nele.

_ Então você curte uma brincadeira entre homens

_ Não curto muito afeminados não, gosto mais estilo macho como você.

_ Então quer dizer que esse caralhão esta assim por minha causa? _ Falou o caminhoneiro se aproximando coçando o saco peludo que balançava.

_ Mas vou logo avisando sou apenas ativo não curto da a minha bunda não e ai rola?

Geraldo nem respondeu abaixou pegou na base do meu pau e colocou na boca e tirou esfregando os lábios em minha rola.

_Que delia _ disse Geraldo colocou mais três vezes seguidas enfiando ate a garganta dando ate uma engasgada

_ Safado gostoso agora vou fuder essa boca como se fosse uma buceta.

Segurei na nuca de Gerando e trazendo de encontro ao meu corpo fazia movimento de vai e vem.

_ Há que maravilha , que boca gostosa vou gozar.

Após um tempo nesse boquete frenético gozei mas meu caralho continuou duro.

_ vem cara me fode !

_ Estou louco para fazer isso mas primeiro vou sentir o sabor desse bundão.

Coloquei Geraldo de quatro apaupei e apertei bem aquelas nádegas e abri deixando seu buraquinho bem exposto e enfiei a língua, lambia e cuspia naquele cu peludo enquanto arrancara urros de Geraldo.

_ Haaa, Haaa que delicia lambe meu cu vai enfia essa ligua toda dento dele haaaa

Urrava com sua voz grave e forte me deixando ainda mais excitado. Passei a dedar o cu do caminhoneiro usando como lubrificante o shampoo que ele trouxe, enfiava os dedos e retirava cada vez mais rápido enquanto Geraldo gemia cada vez mais auto e grosso ate que gritou:

_ Enfia logo esse cacete no meu cu caralho!

Untei meu pau com o shampoo e cravei fundo no cu peludo de Geraldo arrancando-lhe um urro de prazer e dor, Em pe apoiado na parede o caminhoneiro machão peludo e gostoso empinava seu rabão para que eu pudesse cravar cadavez mais fundo minha rola, o que fazia com gosto e rápido chegava a ouvir meu saco batendo na bunda de Geraldo gemia, urrava e batia na parede.

_ soca… fundo issso…. haaa vai que delia João que rola e essa cara enfia tudo haaaaa

Dei um tapa na bunda de geraldo que ficou mais loucode tezão rebolando ainda mais em meu mastro atolado em su cuzão.

_ Esta gostando? Fala Esta curtindo meu cacete no seu cu caralho?

_ Estou, esta muito bom continua não para. _ Respondeu Geraldo iniciando uma punheta, após algum tempo esporrou em toda a parede litros de porra, estremecendo todo apertando ainda mais meu pau e acabei gozando em seu cu enfiei bem fundo em seu cu e tirei Geraldo se virou deu uma enxaguada em meu pau para tirar o shampoo e mamou feito um bezerro em meu cacete. Tomamos um banho voltamos para o caminhão conversamos escutamos musicas e dormimos no outro dia mais uma foda antes de voltarmos para a estrada trocamos email e telefone Geraldo me deixou a cidade mais próxima e segui viagem e eu fui atrás do mecânico.

E isso ai galera comentem e contem se gozaram muito com meu conto fui.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Pesquisa