Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Voce ja acessou o contoerotico vezes! Para acesso ilimitado em nosso site seje um assinante vip

carro lotado com a cunhada no colo

  • This item has been sold
  • Enviado: 1 de março de 2010 17:28

Corpo do conto

Olá, pessoal olha eu aqui de novo com mais um conto. Passado muito tempo após aquela foda linda com minha cunhada, passamos a nos falar mais, mas somente aos poucos pra ninguém estranhar. Certo dia, teríamos uma festa para irmos toda a família. Minha esposa foi com a minha sogra um dia antes pra ajudar a prima, pois a festa era do seu casamento. Ficando apenas eu, meu concunhado e minha cunhada. O concunhado foi de moto na frente e ela não quis ir pra não estragar o penteado. Íamos pegar carona com a outra prima dela, chegando lá tinha umas seis pessoas pra ir com agente num carro só, superlotando o santanão da prima e, o pior, que só tinha mulher no carro e só eu de homem, ai veio a brincadeira de quem sentava no meu colo. Eu, todo sem graça, já disse que ia sentar no colo de Kátia uma prima nossa, ela disse que não porque eu era pesado demais e, então, minha cunhada disse pra eu ir no colo dela e fomos. No meio do caminho a conversa ia rolando e a danada começou a passar a cabeça nas minhas costas, dando mordidas de leve em mim e rindo alto, o pessoal perguntou por que ela tava rindo e eu disse que ela tava me mordendo e todo mundo riu na hora a chamando de tarada. Aí ela começou a passar a mão na minha perna dizendo olha gente como ele tá super gostoso com essa roupa, e todo mundo ria, mas as primas que estavam no banco de trás estavam já entendendo o que ela queria. Ai que perna gostosa você tem hein cunhado, riu dizendo olha gente pode olhar vai eu deixo to tomando conta pra maninha, mas vocês podem olhar. Eu já tava todo sem graça. Então ela pergunta você não tá com calor não é? To morrendo de calor e tirou o meu blusão de dentro da calça, eu disse ta louca? Você vai me amarrotar todo, tentando disfarçar, claro. Ih, para de frescura, um gato gostoso desse pensando se vai amarrotar, fala sério, eu hein! disse ela. Olha gente ele não tá um gato hoje olha a barriguinha dele, e disse já me arranhando e passando a mão de leve perto do cinto já quase tirando ele, mas jogou a camisa por cima e ficou me alisando beijando meu pescoço. A Kátia disse: Caramba você daqui a pouco alisa ele todo até onde não deve. Ou, onde deve Kátia disse ela rindo e todo mundo riu menos a Kátia que já tinha percebido o fogo dela. De repente ela tira minha blusa e começa a me morder e alisar minhas costas e falou baixinha para as primas que estavam no banco de trás – Olha como o safado tá!(risos). Aí ela pede pra parar o carro porque estava muito apertado e tava incomodando ela dizendo que eu era pesado pra ela. Fiquei triste na hora já estava com o pau duraço feito pedra, mas quando saímos, ela falou agora é você que vai sentar no meu colo pra ver como é bom ta. Disse ela referindo ao meu peso eu acho. (risos) Kátia disse – se quiser eu sento no colo dele prima? Negativo, sua esperta (risos) as duas riram. Cambada de taradas vocês hein não respeitam nem a prima e você que não respeita sua irmã hein, que vergonha. Vou contar a ela quando chegarmos disse a prima mais velha, a motorista. Vai nada se tá é gostando isso sim. (risos) Então, ficaram quietas e entramos no carro só que ao entrar, ela levantou o vestido e quase apareceu tudo e sentou no meu colo. Aí, fui eu quem começou dizer, em voz alta – Agora você vai ver como é bom ser torturada tá? O carro ficou um silencio só! Todos quietos e apreensivos pra ver no que dava. Ela ficou quieta e eu comecei a beijar o pescoço dela e, com os olhos fechados, ela dizia: Para cunhado, era brincadeira! Como sabia fingir a putinha (risos)! Dei uma mordidinha na orelha dela e mandei-a sentar de costa pra mim, mas falei alto – e abri as pernas dela colocando a outra perna dela em cima da perna de Kátia. Nosssaaa! vocês vão acabar transando aqui mesmo eu hein. Tá com inveja, né Kátia? Disse minha cunhada. Depois pode ser sua vez na volta pra casa, eu deixo ta, mas só hoje amanhã é da mana de novo. Aí eu comecei a apertar as pernas dela e subir com as mãos a piranha rebolava e gemia devagarzinho e bem baixinho com os olhos fechados. Quando fui olhar pra frente vi minha prima no volante lambendo os lábios, com aprovação da cena que estava acontecendo dentro de seu carro. Subi uma mão pro seios dela e outra coloquei a calcinha de lado e comecei a masturbar ela, ta gostando minha putinha tá? To, seu cachorro gostoso, continua vai enfia logo o dedo na minha bocetinha vai. Enfiei o dedo na bocetinha dela por um tempão e dava pra ela chupar. Aí fiz uma loucura, já estava colocando tudo a perder mesmo, porque alguém poderia contar e não ia saber quem era e pior era tudo verdade. Foi quando abaixei o vestido dela ate a cintura e comecei a mamar os peitos dela nossa que tesão estava cheio de saudades dela porque apesar de voltar a falar com ela nunca mais tínhamos transado. Ela me punhetava devagarzinho, quase sentada no colo de Kátia, para ter mais espaço. Ela foi descendo a minha calça e colocando meu pau pra fora e mandou todo mundo olhar a minha piroca – Olha gente que delicia Kátia! Olha gente nossa que coisa mais gostosa. Nessas horas já estava difícil até mesmo de o pessoal do volante olhar pra frente. A Kátia me olhava doida pra chupar meu caralho, mas não dava por causa do espaço (risos) então ela levantou o vestido e disse – Gente, eu vou sentar e rebolar gostoso nessa piroca tá? E sentou de uma vez! Soltei um gemido alto agarrando ela pela cintura e puxando seu cabelo. Vai minha puta cavalga nessa piroca! Vai, rebola safada! Senta no pau de seu cunhado vai, senta e rebola pra todo mundo ver vai cachorra. Isso, safado! Vai que vou gozar gostoso nessa piroca vai seu puto disse ela, aaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiii que delicia me fode vai fode essa cachorra vai, vai que meu corninho tá me esperando lá na festa que quero chegar cheia de leitinho teu, meu macho gostoso. Ela sentava e rebolava freneticamente feito cadela no cio. Nessa hora, o carro tava parado na beira da lagoa e, nem percebemos, todas elas estavam olhando e foi quando uma disse vamos sair e ver de um pouco mais pra trás. Até que enfim, vocês se tocaram hein (risos) disse ela rindo. Então, a coloquei sentada de frente pra mim e nos beijávamos feitos loucos. Uma hora ela disse baixinho no meu ouvido – Nossa que saudade de uma piroca de verdade sabia? Não via a hora de repetir nossa foda meu amor, me come vai me faz gozar seu puto safado. Deixa-me mamar quando você for gozar tá? Deixo sim minha piranha, e socava com força na bocetinha dela e ela puxava meu cabelo me beijando, dizendo que me amava e que me queria todos os dias! As garotas ficaram ali paradas só olhando e quase gozando também. Eu anunciei que iria gozar, ela saiu de cima de mim deitou com a cabeça no meu colo e batia uma punheta devagarzinho até a cabeça do pau e ia apertando e caia de boca sugando tudo – gritando depois – quero porra, meu macho gostoso! Dá-me, vai, dá leite pra sua cunhadinha putinha, vai! E eu gozei feito louco e ela de boca aberta recebendo tudo e mamando gostoso meu pau. a putinha não deixou nada pra trás mamou ate a ultima gota e ria com a boca ainda cheia de porra! E ainda disse: E aí, pessoal? Vocês gostaram? E ninguém falou nada! Entramos no carro e fomos embora, chegando à festa ela entrou direto e foi ao banheiro. A minha esposa perguntou ao pessoal o que houve e elas disseram que ela estava passando mal. Foi algo que ela bebeu no meio da viagem na estrada, eu acho disse Kátia – e todo mundo riu (risos) e depois disso não podíamos transar mais. Agora, somente na frente de suas primas esse era o nosso acordo, entre eu, elas e suas primas, mas fica pra outra vez.

No Responses to “carro lotado com a cunhada no colo”

  1. Cara de sorte..que safadesa delciosa….parabns…

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Sobre este autor

  • Escritos por: Falcongas
  • Membro desde: 13 de agosto de 2009

Outros contos de autoria deste autor Falcongas

Ultimos contos escritos por Falcongas »

Pesquisa