Welcome, visitor! [ Register | Loginrss

As melhores acompanhantes do Rio de Janeiro estão aqui! hotside.com.br

Tipo do usuario: guest

A viagem

  • Enviado: 8 de novembro de 2013 17:59

Corpo do conto

Este conto é totalmente verdadeiro, apenas troquei os nomes dos personagens para não comprometê-los,aconteceu a cerca de 10 anos quando eu e uma amiga resolvemos ir para Macapá no ramo de confecção. ao chegar em Macapá nos dirigimos para casa dos parentes desta minha amiga par ficarmos hospedados, mas como a casa era pequena os donos da casa conseguiu a casa vizinha para dormi, que estava desocupada, enquanto que esta minha amiga ficara com eles. Levávamos muitas confecções feminina e de vez em quando chegava mocinhas querendo ver para comprar. Fiz amizade com a filha desse casal que nos acolheram, era uma linda menina que tinha no máximo 18 anos.Tinha um corpo atraente, uma bunda maravilhosa e uns peitinhos lindo que sempre deixava mostra, pois usava sempre blusinhas leves sem sutiã o que me deixava louco de tesão. Eu sempre saia pela manhã e quando voltava almoçava na sua casa e em seguida ia para a casa vizinha descansar. Taynar, a filha do casal, sempre ia a tarde onde eu estava para conversar. Num desses dias eu estava deitado na rede quando ela entrou e ficou mexendo nas confecções perguntando se podia provar, eu disse que sim. Ela pegava a peça vestia e vinha pedir minha opinião. Toda peça que vestia ficava bem nela, vestiu um vestidinho bem fino e leve, pegando também uma minúscula calcinha vermelha que a vestiu e veio até a sala perguntando se estava bom,eu respondi que sim, em seguida levantando o vestido mostrou a calcinha e disse: “e a calcinha? ficou bem?” eu me levantei chegando perto dela disse que tinha ficado ótimo, ao mesmo tempo que pegava na sua mão puxando-a para junto de mim, ela foi logo me abraçando e me beijando enquanto eu explorava seu corpinho, chupando seus mamilos e pegando por entre sua calcinha na sua bucetinha que já estava toda molhada. Fiquei preocupado de entrar alguém então fui a té a porta e tranquei,em seguida a levei para a rede e ficamos no maio amasso,para minha surpresa ela abriu o botão da minha calça, descendo o ziper, retirando para fora meu pau que pulsava de tanto tesão e pos a chupar alucinadamente, em seguida deitou de costa em cima de mim, pegou no meu pau e alojou por entre suas pernas, nas sua bundinha, direcionando na entrada do seu cu. Meu pau estava todo babado e com o tesão que ela estava não foi difícil invadir seu cuzinho que pelo visto não era mais virgem, fiquei louco de tesão quando sentir meu pau invadir até o troco, sentindo a polpa da sua bunda bater com força no meu colo, ela mexia a bunda e se contorcia sentada no meu cacetão de 22 centímetro. De repente percebi que ela estava toda arrepiada e ao beijar-me estava com seus lábios gelados com o corpo todo estremecido, foi aí que percebi que estava gozando, aquilo me despertou mais tesão ainda fazendo-me gozar abundantemente dentro do seu cu,ficamos cansados e dormimos abraçados. Já era uma 2 horas da tarde quando a campainha tocou, acordamos apressados, olhamos pela frecha da porta e vimos que era a sua mãe. Pensamos: pronto estamos fritos, ela correu depressa para a porta da cozinha sindo pelo quintal, abri a porta e sua mãe entrou perguntando pela filha, eu disse que não a vi, pois estava dormindo, ela disse que pensou que Taynar estava comigo e eu negativei novamente, ela continuou conversando e olhando as confecções, ela era uma mulher muito bonita: branca, bem feita de corpo e dona de uma bunda maravilhosa. Ela continuava olhando as roupas e eu tentei arriscar dizendo que tinha muito vestido que ficava muito bem nela. Em seguida ela perguntou se podia provar o que eu disse que podia, entrou no quarto vestiu e voltou mostrando se ficou bonita, eu disse que ficou lindíssima, ela sorriu perguntando preço, eu me levantei e fui ao seu encontro dizendo que podia ficar com o vestido, ela agradeceu entrando no quarto para tirar o vestido sem fechar a porta, ficou de costa, retirou o vestido ficando só de calcinha, eu cheguei por trás dela e a abracei beijando sua nuca deixando-a toda arrepiada, meu pau ficou duro de imediato, sentindo o pau duro na sua bunda começou a se contorcer e esfregando sua bunda no meu pau, disse-me que estava muito carente, pois seu marido sofria de diabetes e não conseguia ereção. Em seguida retirei sua calcinha, abri sua bunda e direcionei meu cacete na entradinha do seu cu, ela delirava de tesão e tomou a iniciativa de forçar a entrada, meu pau entrou todo enquanto ela remexia sua bunda gemendo como uma louca, não demorou muito para gozarmos, que ao retirar o pau fez escorrer por entre suas pernas um filete de gozo atingindo seu tornozelo. Em seguida fomos tomar banho e no banheiro comi sua buceta. A partir daí, nos dias que fiquei na sua casa, todos os dias comia ela e sua filha.

2 Responses to “A viagem”

  1. Delicia se comida assim.fique toda melada

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Para entrar em contato com este autor preencha o formulario abaixo e clique em enviar.

Pesquisa